Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


29.5.10

Foto 015

Conversa 009 Cátia 30 C02

Catia 30 (18:31): estás aí, xarminho?
xarmus (18:32): Olá delicia… tudo bem??
Catia 30 (18:42): reclamo tempo p mim!!!
xarmus (18:42): hehehehehehe…. isto tem andado complicado de tempo...
Catia 30 (18:42): fogo
xarmus (18:42): muito trabalho
Catia 30 (18:42): e n dás 1 jeitinho? Ando com uma tesão
xarmus (18:43): andas mesmo a precisar??
Catia 30 (18:43): ando!
Catia 30 (18:43): quer dizer, ainda quequei na semana passada, mas já passou 1 semana
Catia 30 (18:43): mas tenho saudades de ti
Catia 30 (18:47): deixo foderes a minha boca… o meu cu, o que tu quiseres
xarmus (18:47): deixares fazer tudo.... agrada-me
Catia 30 (18:48): eu sei
Catia 30 (18:48): ando assim numa fase mais liberal
Catia 30 (18:48): devassa mesmo
xarmus (18:48): isso agrada-me muito… assim, ainda acabas por me convencer… hehehehehehe

Foto 014

28.5.10

R002 Anonimato

A primeira vez que me encontrei pessoalmente com uma mulher que conheci na net, fiquei impressionado com a rapidez com que nos enfiámos na cama. Marcámos um encontro num local público. Eu ia algo nervoso, e quando nos encontrámos, perguntei-lhe se ela queria beber um café ou se queria passear, ao que ela me respondeu:
M - Foder.
Depois de ter apanhado tudo o que me caiu ao chão, e de me ter recomposto do choque, perguntei-lhe:
L - Onde?
M – Onde tu quiseres, não tinhas uma autocaravana?
L- Tenho, está estacionada ali à frente….
M – então vamos.

Mal entrámos na autocaravana, a mulher ajoelha-se, agarra-se-me às calças,  abre-me a braguilha, tira-me o piço para fora e começa a mamar de uma forma sôfrega e muito gulosa. Fiquei prontinho para o pior num instante e rapidamente passámos às hostilidades.

Deita-se, abre as pernas e diz: - lambe-me um bocadinho para eu ficar bem molhadinha (como se eu precisasse que me peçam.. hehehehehe). Ao fim de umas boas duas horas de excelente sexo, e depois de ela se vestir e sair porta fora, fiquei a pensar na sorte que tinha tido em ter encontrado uma mulher tão cheia de fominha e tão assumidamente desinibida logo à primeira. Fizemos sexo como se já o fizéssemos há anos. Impressionante.

Como a segunda, a terceira e as seguintes mulheres que conheci na net, e com quem fui para a cama foram idênticas, rapidamente vi que não tinha que ver com as mulheres em si, mas sim com o facto de a relação ser absolutamente anónima, e eu não as voltar a ver.

Ao longo destes anos, percebi que o anonimato é a palavra mágica nestas andanças das redes sociais de relacionamentos, principalmente no que toca a relacionamentos sexuais. Tem muitas vantagens e também tem desvantagens, dependendo do ponto de vista, dos interesses e objectivos de cada um de nós. O anonimato na net, faz com que aconteçam coisas e cria situações que de outra forma era impossível acontecerem.

A possibilidade de nos relacionarmos anonimamente uns com os outros, possibilita que nos mostremos sem mascaras, como realmente somos, como pensamos, o que queremos, e o que sentimos. Os preconceitos, as vergonhas, os tabus e outros factores que até então eram inibidores de nos mostrarmos como realmente somos, perdem grande parte do sentido.

É também esta característica que torna as conversas anónimas através da net muito interessantes. É evidente que nem toda a gente tem esta perspectiva, e pelo contrário, aproveita o anonimato para se mostrar aos olhos dos outros não como é, mas como gostaria de ser, ou encarnando personagens que servem os objectivos a que se propõem. (ler as historias H004 Mentiras perigosas e H003 Viver à conta).

É também devido ao anonimato que se torna tão fácil encontrar sexo na net. Como nos podemos encontrar uns com os outros sem que haja qualquer tipo de ligação social entre os intervenientes, tudo o que aconteça entre duas ou mais pessoas, fica no segredo dos deuses. Como não sabemos quem é determinada pessoa, e como não existem amigos em comum, não existe a possibilidade de voltarmos a encontrar essa pessoa, a não ser que seja de vontade mútua.

Esta característica dos encontros sexuais faz com que o relacionamento seja muito mais desinibido, e sem consequências futuras. A performance de uma mulher que tem sexo com um homem que sabe que se quiser não vai voltar a ver, e que ele está impossibilitado de voltar a procurá-la ou de poder contar a alguém que a conheça o que se passou entre os dois, é muito mais desinibida e despreconceituosa do que seria com alguém que conhecesse a sua identidade, ou com quem tenha amigos em comum.


Claro que isto depende das experiencias que cada um já teve, mas quando um homem e uma mulher com experiencia neste tipo de encontros sexuais se encontram, é um autentico descalabro. É sexo puro e duro, com requintes de malvadez, em que cada um faz o que bem lhe der na gana, e dá largas à invaginação. Se já tiver havido uma conversa prévia acerca do que se gosta, do que é permitido ou não, a coisa fica mesmo perfeita.

O anonimato nos relacionamentos da net, abre a um maior número de pessoas, possibilidades que até agora eram impensáveis no campo sexual. Relacionamentos entre pessoas com grande diferença de idade, relacionamentos com pessoas casadas, relacionamentos homossexuais, relacionamentos de sexo em grupo, relacionamentos swingers e relacionamentos entre pessoas com incompatibilidades a outros níveis, sejam físicas, de classes sociais, raças ou até incompatibilidades de personalidade. Como os encontros são de carácter puramente sexual e de apenas umas horas, possibilita o encontro sem levar em conta factores que poderiam ser incompatíveis a um relacionamento assumido perante a sociedade, mais alargado no tempo ou incompatíveis em relação a interesses ou objectivos de vida em comum. No fundo, as pessoas aproveitam o anonimato para fazerem aquilo que lhes apetece e que geralmente a sociedade condena. 

H009 Duas amigas

(01:32) Cris 19 diz: oi
(01:32) xarmus diz: Olá
(01:32) Cris 19 diz: curti a tua msg
(01:32) xarmus diz: bigada
(01:32) Cris 19 diz: deves ser fodilhao lol
(01:32) xarmus diz: faz-se o que se pode…
(01:33) Cris 19 diz: ja deves ter fodido muitas gajas
(01:33) xarmus diz: Não me posso queixar
(01:33) Cris 19 diz: es tu na foto
(01:33) xarmus diz: claro… e esse cuzinho é teu?
(01:33) Cris 19 diz: yep lol
(01:33) xarmus diz: que rico cuzinho… jasus… perdia-me aí
(01:34) Cris 19 diz: es um kota todo bom lol
(01:34) xarmus diz: faz-se o que se pode… heheheheh
(01:34) Cris 19 diz: que idade tinha a pita mais nova que fodeste
(01:34) xarmus diz: não sei… uns 20 anos
(01:34) Cris 19 diz: fodias uma de 19
(01:35) xarmus diz: se fosse preciso… fazia o sacrifício… heheheheheh
(01:35) xarmus diz: porquê a pergunta?
(01:35) Cris 19 diz: procuro um homem mais velho pa curtir comigo e com uma amiga minha lol
(01:36) xarmus diz: então acabaste de encontrar…
(01:36) Cris 19 diz: tens sitio
(01:36) xarmus diz: tenho… e bem confortável
(01:36) Cris 19 diz: fixe
(01:37) Cris 19 diz: tens fotos do teu piço
(01:37) xarmus diz: tenho
(01:37) Cris 19 diz: mostra
(01:38) xarmus diz: hhummm… não sei não
(01:38) xarmus diz: uma vez andei a mostrar fotos do meu piço a uma miúda que me disse ter 20 anos e mais tarde vim a descobrir que tinha 13.
(01:38) Cris 19 diz: posso ligar a cam para tu me veres
(01:38) xarmus diz: ok… se ligares… mostro
(01:39) Cris 19 pretende iniciar uma Chamada de Vídeo consigo.
Aceitar (Alt+X) Recusar (Alt+Y
(01:40) xarmus diz: bem….. recebes sempre assim os amigos???
(01:40) Cris 19 diz: esta calor aqui
(01:40) xarmus diz: pois… estou a ver que sim…. Que ricas mamocas… parabéns
(01:40) Cris 19 diz: mostras as fotos agora
(01:41) xarmus diz: até tas envio… para mostrares à tua amiga.
(01:41) Cris 19 diz: isso era bue fixe lol
(01:43) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(01:43) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(01:44) A transferência de "********.JPG" está concluída.
(01:44) Cris 19 diz: dassssss isto é tudo teu
(01:45) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(01:45) xarmus diz: não… é do vizinho de cima… hehehehe
(01:45) Cris 19 diz: é bue grande lol
(01:46) A transferência de "********.JPG" está concluída.
(01:46) xarmus diz: dizem que sim…
(01:47) A transferência de "********.JPG" está concluída.
(01:47) xarmus diz: e se trocássemos de contactos?
(01:48) Cris 19 diz: yep pode ser
(01:48) xarmus diz: o meu é *** *** ***
(01:48) Cris 19 diz: *********
(01:50) xarmus diz: vives com os teus pais?
(01:50) Cris 19 diz: nop vivo num quarto
(01:50) xarmus diz: posso ligar-te agora um cadinho?
(01:50) Cris 19 diz: yep
(01:51) xarmus diz: então vou desligar daqui

A nossa conversa telefónica foi animada como sempre e completamente surrealista. Eu sou um depravado e ela não me ficava nada atrás. A rapariga frequentava o primeiro ano duma universidade em Lisboa, e vivia num andar partilhado com colegas. Era bi e tinha uma namorada de 20 anos que era colega dela. Como eram bi e andavam com saudades de mamar um piço e levarem com ele e não queriam trair-se, decidiram arranjar um gajo para brincar com elas. Decidiram também que o gajo teria que ser cota e bem avantajado. A escolha de um homem mais velho, tinha a ver com os ciúmes que elas pudessem ter uma da outra, e para evitar enfrentar a descriminação de um rapaz da idade delas, que na generalidade são preconceituosos, cheios de manias e muito pouco tolerantes e cooperantes. No fundo, procuravam um vibrador de carne e osso, dos grandes, com comando de voz, e que fosse descomplicado.

De facto, eu era o gajo perfeito para o acontecimento. Ela gostou muito de conversar comigo, e a diferença de idades não atrapalhou nada. A melhor hora para elas seria ao fim da tarde, por volta das 17h, e combinámos que quando eu fosse a Lisboa a avisaria com um dia de antecedência. Na semana seguinte enviei-lhe uma mensagem a perguntar se dava para combinarmos alguma coisa para o dia seguinte, ao que ela me respondeu que sim… para as 17h no Campo pequeno.

No dia do encontro telefonei-lhe a saber se estava tudo bem, e disse-lhe que, como estava de autocaravana, não dava para estacionar, tinha que apanhá-las e seguir para outro lado. Funcionou tudo às mil maravilhas. Parei num semáforo e elas entraram as duas pela porta da frente, e apesar de só ter um banco para o pendura, lá se instalaram muito agarradinhas.

Bem… as mulheres eram lindas de morrer e podres de boas. Extremamente bem feitas, com tudo no sitio, e vinham muito descapotáveis. Tinha-me saído a sorte grande e a aproximação. Fomos a conversar acerca de coisas banais até eu estacionar num sitio sossegado. Passámos para trás, tranquei tudo, fechei as persianas da frente, e só depois demos os beijinhos de apresentação. A Cris apresentou-me a Tita, e eu perguntei se queriam beber alguma coisa…

Cris: - não… queremos é curtir.
Eu: - ok. Eu vou beber um brandy mel enquanto se põem à vontade.
Tita: - bem… isto é uma casa… já viste nós com uma coisa destas?! É bué de fixe… era só viajar. Já viste a casa de banho??? Que nice.
Enquanto a Tita se maravilhava com minha casa móvel, a Cris foi-se despindo.
Cris: - anda cá amorzinho.
A Tita despiu-se num ápice e saltou para cima da cama.
Cris: - Se não te importas nós vamos já aquecendo…
Eu: - Tudo bem… estou só a acabar o cigarrinho já me junto. Eu adoro ver duas mulheres na brincadeira… de maneira que não se acanhem. Aquilo era digno de ser filmado ou fotografado. Tinham uns corpos lindos, muito jovens e umas conas todas boas, depiladas, e uns rabinhos deliciosos. Fiquei num estado indescritível.

Tive que tirar as calças porque já não tinha maneira de ter o piço dentro delas. Fui-me despindo, e o piço parecia que ia rebentar a qualquer momento de tão teso e inchado que estava. Aproximei-me lentamente, saltei para cima da cama, e continuando a apreciar aquele espectáculo, fui acariciando e apalpando tudo o que me apeteceu. Neste momento, elas já estavam uma por cima da outra em 69 a lamberem-se. A Tita decidiu voltar-se para mim, para me chupar e disse:
Tita: - bem… tu já viste a moca deste gajo????
Cris: - eu disse-te que era bué grande…
Tita: - grande???? Eu nunca vi nada assim… já tinhas visto um piço deste tamanho ao vivo?
Cris: - O do André era parecido…
Tita: - Foda-se… ganda moca. Posso mamar?
Eu: - claro linda… podes tudo. Sirvam-se à vontadinha... façam de conta que estão em vossa casa. Se tiverem situações ou posições que queiram experimentar, não se acanhem… usem-me.
Tita: - Nem sei se tenho boca para isto tudo… mas vou curtir bué a mamar num pau destes.

Como as raparigas eram muito mais novas do que eu, quis deixar que fossem elas a propor situações, pelo menos no inicio. Claro que eu também tinha umas ideias de coisas que gostava de fazer a três, mas queria ver primeiro o que elas tinham em mente, e qual o tipo de relacionamento entre elas para não ferir susceptibilidades. Ver se alguma tinha mais apetência para homens do que a outra, e se alguma delas era mais activa… enfim… tentar curtir o mais possível sem forçar nada, nem criar desconforto a nenhuma delas.

A partir daqui começa a ser difícil para mim contar em pormenor tudo o que fizemos, tanta volta demos naquela cama. Propus-lhes que cada um de nós, à vez, desse dicas para que todos tivéssemos oportunidade de satisfazer os seus desejos. A ideia foi bem aceite, e a coisa funcionou lindamente. Elas mamaram enquanto foram lambidas, lamberam enquanto foram fodidas, mamaram em conjunto, todos nós lambemos em conjunto, parece que não ficou nada por fazer.

Eu adorei lamber as duas coninhas juntas enquanto elas se beijavam, adorei estar a foder uma e os dois a lambermos a outra. Adorei pôr as duas de gatas ao lado uma da outra… e foder uma de cada vez. Perguntei-lhes se queriam que mudasse de preservativo, ao que ouvi quase em uníssono… - Não. Metemos as mesmas coisas na cona uma da outra. Maravilha…. Assim era mesmo tirar de um lado e penetrar no outro. Divertimo-nos imenso os três, e a coisa correu bem melhor do que eu esperava. Depois de cerca de duas horas de brincadeira da grossa, propus-lhes que nos viéssemos em separado, e que cada um de nós escolhesse como se queria vir. A primeira a vir-se, foi a Cris que escolheu pôr-se de gatas com a Tita por baixo em 69, e que eu a fodesse por trás.

Cris: - Quero lamber a cona à Tita, enquanto ela lambe a minha e enquanto tu me fodes por trás. Esfregou-se toda na boca da Tita, enquanto eu lhe enterrava o piço devagarinho. Fui aumentando o ritmo à medida que a sentia aproximar-se do orgasmo. Delicia… curtiu até mais não, e veio-se que nem uma cadela. Eu tinha posto um cd que elas tinham trazido de musica de discoteca, e congratulei-me por ter posto altinho, porque os gemidos de prazer eram audíveis lá fora, não fosse a musica abafá-los.

Tita: - Eu quero que tu me lambas e me enfies os dedos como só tu sabes fazer, enquanto eu mamo neste caralhão bom. Quero estar a mamar quando me estiver a vir. Deitou-se de barriga para cima, com uma almofada alta na cabeça, e enquanto a Cris a lambia eu dei-lhe o piço à boca para ela mamar à vontade dela.
Eu: - Se quiseres eu fodo-te a boca para não teres que pensar no que estás a fazer…
Tita: - gosto deste gajo porque ele tem boas ideias… hehehehehe
Foi uma maravilha. Começámos devagarinho e sempre mantendo a cadência, sem parar, e conforme ela ia subindo de patamar no prazer, nós íamos acelerando o ritmo. Ela vir-se, foi uma inevitabilidade trágica. Tadinha da moçoila sofreu ali de prazer que não foi pêra doce. Eu fiz um esforço enorme para não me vir, e garanto que não foi nada fácil. Aliás… já andava a fazer esforços para não me vir há umas duas horas.

Tita (ainda muito ofegante):- Bem… vocês torturaram-me. Fooooda-ssse.. curti que nem uma puta… hehehehehehe
Eu: - Pois… nós vimos. Heheheheheh
Cris: - Não tens vergonha de te vir dessa maneira em frente de desconhecidos?
Eu: - Meninas... qual das duas é que gosta de leitinho?
Tita: - EU!!!!
Eu: - Então vamos fazer assim… eu quero vir-me com a Tita a mamar-me, enquanto tu me dás a coninha na boca… mas como quero lamber as duas, começa a Cris a mamar-me e depois quando eu disser…trocam. Mas tem um pormenorzinho que eu adorava e vocês eram umas queridas se me fizessem a vontade…
Tita: - Aproveita porque nós hoje achamos que tu mereces tudo… nunca vi um gajo tanto tempo duro… quando bateres a bota, tens que mandar embalsamar esse caralho.
Cris: - Mas diz lá qual é a tua ideia…
Eu: - eu quero começar a lamber uma de cada vez, mas depois quando já estiverem bem quentinhas, quero que vocês “batam uma” para a minha boca… até se virem.
Tita: - Ui… Isso é fácil…
Eu: - Então fazemos assim… para eu não estar a dizer para trocarem, porque não vou estar em condições de dizer nada… quando te vieres na minha boca, trocam. Ok?
Cris: - Bora lá que ainda me venho mais uma vez…
Dei-lhes uma breve explicação de como me baterem uma enquanto mamam.
Deitei-me de barriga para cima e disse:
- Se eu me apagar aqui, vocês saem, e  fazem um telefonema anónimo para a policia a dizer que está um cota morto que não se aguentou à bronca dentro de uma autocaravana neste sitio…. Hehehehe
Cris: - É pá… não digas isso nem a brincar
Eu (a esfregar as mãozinhas):- É que isto mesmo para mim, que estou habituado a ter prazer às paletes, vai ser muito à frente. Ter duas gajas podres de boas a virem-se para a minha boca enquanto me mamam… vai ser sublime.

Decidi entregar-me ao prazer com muita calma, aproveitando o momento único, e desta vez sem ter que fazer esforço para não me vir. No decorrer daquele momento de prazer infinito, perdi a noção do tempo, e desliguei completamente do mundo exterior. Senti o prazer a subir, até que cheguei aquele ponto de não retorno, que precede um orgasmo brutal. Vim-me que nem um desalmado. Só depois de acordar daquele prazer profundo é que percebi que a Cris não quis perder o fim da festa, se tinha voltado ao contrário, e tinha ido partilhar o leitinho com a namorada. Uma maravilha.

Fiquei mais morto que vivo… e precisei de um tempinho para recuperar do tareão que levei… só me levantei quando a Cris disse:
- Xxxxiiiii foda-se… são quase oito horas… temos que ir.
Tita: - Vais-nos lá pôr ao mesmo sítio?
Eu: - Ó querida… eu ponho-vos onde vocês quiserem
Levantei-me de um salto e agarrei-me à roupa e disse: - então bora… o ultimo é maricas… 

Conversa 008 Alex 20 C01

(02:36) xarmus: estás bem??
(02:36) Alex 20: ai meu doce
(02:36) Alex 20: nc te vou esquecer
(02:36) Alex 20: optima
(02:36) xarmus: eu estou optimo
(02:36) xarmus: bem consoladinho
(02:36) Alex 20: lol
(02:37) Alex 20: opa
(02:37) Alex 20: és lindo
(02:38) xarmus: tu é que és uma mulher maravilhosa
(02:38) xarmus: inesquecível
(02:38) Alex 20: tu é q fazes de mim boa
(02:38) Alex 20: pq és bom
(02:38) Alex 20: pra mim
(02:38) Alex 20: em tudo
(02:39) xarmus: é facil ser bom para ti... tu és uma querida
(02:41) Alex 20: nc ng foi tao querido cmg
(02:41) Alex 20: dp de ja me ter comido
(02:41) Alex 20: lol
(02:41) Alex 20: a serio
(02:41) Alex 20: compreendo pq é q as mulheres se apaixonam por ti
(02:41) xarmus: tambem não é assim tanto... felizmente
(02:41) Alex 20: e n te eskecem
(02:41) Alex 20: n so a nivel sexual
(02:49) Alex 20: querido voume deitar
(02:49) Alex 20: adorei estas horas
(02:49) Alex 20: querote mt mais vezes
(02:49) Alex 20: e com outras gajas tb
(02:49) Alex 20: lol
(02:49) xarmus: vou tratar disso... vou arranjar uma bem boa da tua idade... vais gostar
(02:49) xarmus: beijocas
(02:49) Alex 20: bj

22.5.10

Foto 013

H008 Aventura inesperada

Tinha acabado o projecto que tinha em mãos, doía-me as costas por estar sentado há tanto tempo. Tinha petiscado na autocaravana e já estava a trabalhar há nove horas. Estava com aquela sensação boa do dever cumprido. Nestas situações, e sempre que acabo uma maratona de trabalho, por estar muito concentrado no trabalho e abstraído de tudo o que está à minha volta, parece que acordo naquele momento, e preciso de formatar a cabeça e pensar no que vou fazer a seguir.

Apesar de já ser tarde, ainda era cedo para dormir, e depois de pensar um pouco, percebi que o que me apetecia mais fazer, era estar com alguém desconhecido. Adoro conversar com pessoas desconhecidas e anónimas, porque há sempre coisas para dizer, e a conversa flui de uma forma muito sincera e muito despreconceituosa, sem necessidade de fingir ou mentir acerca de nada, podemos ser nós mesmos. Falar do que quisermos de uma forma despudorada é óptimo e aprende-se muito. Nestes casos, e se a conversa é agradável, acompanhada de um bom vinho tinto, e se existe atracção entre nós, tem fortes probabilidades de acabar na cama. Essa ideia agradava-me.

Devo dizer que não é nada fácil engatar alguém em cima da hora, mas eu já tinha conseguido algumas vezes e podia ter sorte. Apesar de ser tarde, decidi ir até ao site onde normalmente conheço as mulheres com quem travo amizade e/ou troco prazer. Procurei perfis que estivessem online no momento, li uns quantos e enviei a minha apresentação a 3 perfis que me pareceram interessantes. Depois esperei que o meu perfil me desse sinal de mensagem recebida, dei uns minutos para poderem ler, e depois chamei para o chat em privado.

Antes de lerem a minha mensagem, ninguém me liga nenhuma, até porque não tenho fotos no site e os chamamentos para chat privado nos ecrãs dos pc’s das mulheres, são às dezenas. Depois de lerem a minha apresentação que é bem humorada e marota qb, é muito mais fácil aceitarem o meu pedido de chat. Chamei, ela aceitou…

xarmus: Olá
Ana Maria: Olá. Gostei muito da tua apresentação, já me fartei de rir sozinha. Muito bom. Tens jeito para escrever e tens sentido de humor
xarmus: E se passássemos para o msn? Falamos lá melhor e podemos ver fotos… que me dizes da ideia ??
Ana Maria: ok… boa ideia. O meu contacto é **********@*******.com
xarmus: Vou adicionar-te… continuamos por lá… até já
Ana Maria: Até já

(22:46) xarmus: Olá
(22:46) xarmus: tudo bem?
(22:46) Ana Maria: sim
(22:47) Ana Maria: e quem é o "jeitoso" da foto??? és mesmo tu???
(22:47) xarmus: não...  é o meu pai… heheheheheheheh
(22:48) Ana Maria: com genes destes...
(22:48) xarmus: e tu? não tens uma fotozinha?
(22:48) Ana Maria: tenho, mas não tenho nenhuma sozinha
(22:49) xarmus: é o filhote?
(22:49) Ana Maria: é
(22:49) xarmus: maravilha... as crianças são uma delícia. E estás com ele neste momento?
(22:49) Ana Maria: não
(22:49) xarmus: hhuummmmm
(22:50) xarmus: se calhar podíamos encontrar-nos?
(22:50) Ana Maria: agora??
(22:50) xarmus: aproveitar tu não estares com ele... e eu estar em Lisboa... sim... quer dizer... mais daqui a um bocado… não precisa de ser já
(22:50) Ana Maria: não dá para mim
(22:50) xarmus: oohhhhh... não? então?
(22:51) Ana Maria: já tou de pijama, e hoje tive um dia chato
(22:51) xarmus: hhuummmm isso é bom... de pijama... eu estou em Belém… à beira rio
(22:51) Ana Maria: não me apetece sair
(22:51) xarmus: e estou de autocaravana
(22:52) Ana Maria: mas tu vives onde?
(22:52) xarmus: a ideia também não era ir a lado nenhum de especial... era mesmo ficar aqui dentro… conversávamos… bebíamos um copo
(22:52) xarmus: eu vivo na zona de Leiria
(22:52) Ana Maria: hoje não dá mesmo
(22:52) xarmus: mas venho muitas vezes a Lisboa em trabalho
(22:52) Ana Maria: pensei que vivias cá
(22:53) xarmus: queres mais fotos minhas?... aqui não se vê a cara
(22:53) Ana Maria: ok
(22:53) xarmus: é quase a mesma coisa... venho cá todas as semanas
(22:53) Ana Maria: em trabalho?
(22:53) xarmus: sim
(22:54) Ana Maria: tu és sempre assim bem disposto?
(22:54) xarmus: até costumo ser mais
(22:54) Ana Maria: então hoje não estás nos teus dias
(22:55) xarmus: mas hoje apetecia-me estar com alguém que não conheça... e estou um bocado apressado
(22:55) xarmus: queres falar ao telefone?
(22:56) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(22:55) Ana Maria: podemos falar
(22:56) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(22:56) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(22:56) xarmus: era mais fácil... para tentar dar-te a volta... mais sincero que isto... é difícil
(22:57) xarmus: o meu é *** *** ***
(22:57) A transferência de "**-**-** ***.JPG" está concluída.
(22:57) xarmus: aceita as outras
(22:57) A transferência de "**-**-** ***.jpg" está concluída.
(22:58) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(22:58) Ana Maria: o meu nº  *********
(22:58) xarmus: 3 já foram
(22:58) A transferência de "**-**-** ***.jpg" está concluída.
(22:59) xarmus: vou ligar-te agora... até já

Não me lembro exactamente da nossa conversa ao telefone, mas sei que tivemos uma conversa animada desde o primeiro minuto. Eu tenho uma ganda lata, sou muito divertido e sempre bem-disposto, e como sou directo e muito sincero em relação ao que pretendo ou do que podem esperar de mim, ela ficou fascinada com a originalidade da conversa. Eu consigo ser bem depravado e atrevido, sem ser porco, consigo chamar as coisas pelos nomes sem ofender ninguém. Só quando as mulheres são mais novas, é que às vezes não gostam da minha conversa, porque são inseguras e menos tolerantes, mas esta tinha 41 anos e estava bem resolvida de cabeça. Era uma mulher que trabalhava e vivia sozinha com um filho menor, entre os 6 e os 8 anos.

A vida dela, como todas as mães sozinhas, é trabalhar e cuidar do filho. O único dia que tem livre sem o filho é uma noite de 15 em 15 dias, e era exactamente essa noite. Inscreveu-se no site para ter alguma companhia e ir conversando com alguém depois de deitar o filho e antes de se deitar. Se não fosse a companhia da net, estas mães sozinhas tinham uma vida muito solitária. Se por um lado têm a companhia dos filhotes, por outro ficam completamente encarceradas em casa, sem forma de se divertirem. Levantar cedinho, tratar delas e dos filhos, pôr os filhos na escola e irem trabalhar, onde normalmente têm que estar às nove horas da manhã. Saem do trabalho às dezoito horas e vão buscar os filhos à escola e vão para casa para fazer o jantar, estar um cadinho com os filhos, deitar as crianças, irem uma horita para a net, e deitarem cedinho porque no outro dia recomeça tudo de novo. Claro que há variadíssimas situações dentro deste género. Com filhos, sem filhos, com familiares ou amigos que possam dar uma ajuda de vez em quando, com pais mais presentes ou completamente ausentes, ou mesmo inexistentes, mas conheço casos mesmo muito difíceis para mulheres que estão na situação de divorciadas.

Depois de uns minutos de boa conversa, lá comecei a tentar convencê-la sem ser melga, para que viesse ter comigo. Disse-lhe que a noite só podia ser agradável com ou sem sexo, que íamos rir muito, conversar, beber, e se ela se sentisse bem com isso, até podíamos dar umas beijocas boas e uns amassos. Ela que já estava farta de se rir com a nossa conversa, acabou por dizer que vinha ter comigo, mas que não queria ter sexo. Era tímida, ia sentir-se muito nervosa, e não tinha experiência nenhuma destes encontros com desconhecidos. Eu disse-lhe que era como ela quisesse. Não escondia que gostava de papá-la e se ela me autorizasse ia tentar seduzi-la, mas era incapaz de forçar alguma coisa. O que me excita mesmo, é sentir o desejo da mulher, sentir que ela está mesmo com vontade de se embrulhar comigo, e se a mulher não estiver para aí virada, a minha vontade fica muito relativa, e se ela me disser de caras que não quer mesmo, aí eu perco a vontade toda, e tiro dali o sentido. Eu preciso mesmo de sentir o desejo da mulher para ter vontade de passar ao ataque. Sem isso… nada feito.

– Ok.. disse ela… dá-me uma hora que eu vou ter contigo. É só tomar uma banhoca, vestir-me e já apareço aí. Desligámos. Aproveitei o tempo para dar uma arrumação no meu portátil e arrumar ficheiros. Quarenta e cinco minutos depois, comecei a preparar a casinha para receber a amiga. Guardar o portátil na mala, arrumar as papeladas do trabalho, e passar à preparação do espaço. Velinhas às cores, escolher um incensozinho afrodisíaco, abrir uma garrafa de bom vinho tinto e nivelar a temperatura ambiente nos 26º para estarmos mais descapotáveis.

A Ana Maria chegou por volta da uma da manhã, e depois de um abracinho e duas beijocas que gosto sempre de dar, lá nos instalámos na mesa da sala. Falámos de montes de coisas bem interessantes, sempre com muito humor e boa disposição. Contei-lhe algumas das minhas aventuras por terras da net e falámos também do site de encontros onde nos conhecemos. Ela disse-me que eu tinha histórias giríssimas, muita experiencia neste tipo de relacionamentos, e que devia escrever um livro que fosse uma ajuda para quem entra neste mundo sem saber onde se vai meter. Achei piada porque não era a primeira pessoa a dizer-me isso.

O tempo passou rápido, a garrafa já estava a chegar ao fim, e eram cerca das 3 da manhã quando a olhei nos olhos e lhe perguntei:
Eu - E se fossemos prá caminha foder até cair para o lado?
Ela - Eu até gostava, e ando mesmo a precisar, mas eu fico muito nervosa, e depois não sou como as mulheres que tu estás habituado a papar, como tu dizes. Nunca tive muita experiência, e devo ser uma desilusão para ti. Para além disso tudo, ando mesmo destreinada.
Eu - Ó minha linda… eu gosto delas passivas, e só tens que ser querida, permissiva, e se não for pedir muito…. Obediente. Hehehehehehehe. Eu trato de ti e de mim com muito carinho. E se me permitires, também gosto de me esticar um cadinho… mas não é obrigatório.
Ela - Esticar?? Como é isso?
Eu - Sei lá…. Ser um cadinho mais bruto, chamar-te puta, cadela… puxar-te os cabelos… ser mais selvagem….
Ela - HHuummmm… não sei se vou gostar disso.
Eu - Então ficamos pelas meiguices… mas olha que ias gostar. Quem experimentou… gostou. Dizem que eu até sou meiguinho a fazer maldades.
Ela - Logo vemos… experimentas… se eu não gostar… digo.
Eu - Linda… eu só faço o que gostares… eu gosto é de dar prazer.

Lá fomos para a caminha que é mesmo ali ao lado, e disse-lhe para se deitar e descontrair. Comecei a deliciar-me com aquela mulher de 41 aninhos com uma cara bem bonita, um corpinho muito bom para a idade. Primeiro despindo, e dando umas beijocas, e depois numa exploração de todos os recantozinhos. Ela foi uma querida, deixou fazer de tudo e colaborou sempre com muita entrega e muito desejo. Eu fui fazendo tudo com muita calma e sem forçar nada… sempre a deixar que o corpo dela pedisse o que vinha a seguir. Foi uma noite muito boa, e senti uma estranha sensação de conforto. Acho que ela se entregou mesmo de corpo e alma, e isso fez toda a diferença. Depois de ela se vir duas vezes e eu uma, e ao fim de uma hora e meia de prazer, lá acalmámos.

Dei-lhe umas festinhas e mais umas beijocas enquanto desacelerava o ritmo cardíaco e a respiração, e lá nos fomos levantando com uma sensação de satisfação muito gratificante. Depois da Ana se vestir, já eram cerca das cinco da manhã, demos mais duas beijocas e um abraço apertadinho.
Eu - Telefona ou envia mensagem quando chegares a casa… ok?
Ela - Ok… eu envio
Eu - Espero que a noite tenha sido agradável para ti como foi para mim.
Ela - Adorei
Eu - Bem disposta?
Ela - Muito. Fez-me muito bem.
Eu - Boa para guiar?
Ela - Sim… já estou bem.
Eu - Vai com cuidado, e se precisares de alguma coisa pelo caminho, apita que eu vou ter contigo.
Ela - Ok… és um querido.
Eu - tu também és uma querida… beijocas

Foi engraçado como tudo se passou naquela noite, e era mesmo viver uma situação destas que me estava a apetecer no inicio da noite.

Foto 012

Conversa 007 Cátia 30 C01

Cátia 30 (22:50): estou excitada hj
Cátia 30 (22:50): n queres passar por cá?
xarmus (22:50): hoje não posso linda
Cátia 30 (22:51): n tens 1 amigo que me emprestes que faça o serviço com a mesma qualidade ?
xarmus (22:52): com a mesma qualidade... acho que não... hehehehehehe
xarmus (22:52): mas posso enviar-te um que tem a mania que é bom...
xarmus (22:52): eu nunca experimentei... como deves imaginar
Cátia 30 (22:52): oh...
xarmus (22:52): tens local??
Cátia 30 (22:52): os q têm a mania n valem nada!
Xarmus (22:52): eu tambem tenho a mania... e não sou mauzinho de todo... hehehehehehe
Cátia 30 (22:52): nope
xarmus (22:52): ele não tem local
xarmus (22:52): é daqui de perto
Cátia 30 (22:52): é longe
Cátia 30 (22:52): p isso vinhas tu
xarmus (22:53): mas eu hoje não posso
xarmus (22:53): mas ele ía ter contigo
xarmus (22:53): não tem é local aí
Cátia 30 (22:53): pois mas num dá assim
Cátia 30 (22:54): mas ia saber-me tao bem quecar hj...
Cátia 30 (22:54): só se arranjava 1?
xarmus (22:54): só
xarmus (22:54): querias 2?
Cátia 30 (22:54)::'(
Cátia 30 (22:54): hummmmm
Cátia 30 (22:55): tb n era má ideia, estilo prenda de anos
Cátia 30 (22:55): e parabens q n me deste
Cátia 30 (22:55): mas pelo menos 1 e HOJE
xarmus (22:55): vou enviar-lhe uma mensagem
xarmus (22:55): espera um pouco
xarmus (22:57): estás onde??
xarmus (22:57): em Lisboa?
Cátia 30 (22:57): sim
Cátia 30 (22:57): mas que tipo de gajo é ele?
Cátia 30 (22:57): bem servido?
Cátia 30 (22:57): cheiroso?
Cátia 30 (22:57): assim como tu?
xarmus (22:57): não sei...
xarmus (22:58): mas é puto e tem a mania que é bom
Cátia 30 (22:58): q idd tem?
xarmus (22:58): é giraço pelo menos
xarmus (22:58): uns 30
Cátia 30 (22:58): pois... lá está.,,
Cátia 30 (22:58): n arrisco por aí
Cátia 30 (22:58): giraço com a mania q é bom n vale o tempo
Cátia 30 (22:58): deixa, esquece
xarmus (22:59): está sempre a perguntar-me se eu não lhe arranjo uma das minhas amigas
Cátia 30 (22:59): num quero
Cátia 30 (22:59): tem mto p aprender ainda!
Cátia 30 (22:59): é mto novo!!!
Cátia 30 (22:59): nem mto nem pouco! Tem que ser na conta certa!
Cátia 30 (23:00): e bem servidissimo como tu: D
xarmus (23:02): isso não sei... nunca lhe vi o piço
xarmus (23:02): mas fazia-lhe a vontade e ele.... e tu podias divertir-te
Cátia 30 (23:02): xiii
Cátia 30 (23:03): n me apetece ter que lhe ensinar coisas...
Cátia 30 (23:03): hj só quero ensinados: D
xarmus (23:04): hehehehehehehehehehehehe
xarmus (23:04): e eu teria todo o prazer em te esfodaçar todinha
Cátia 30 (23:04): aiiiii
Cátia 30 (23:05): estou em brasa...
Cátia 30 (23:05): n consegues dar 1 escapadela?
xarmus (23:05): nop
Cátia 30 (23:05): :(
xarmus (23:05): impossivel mesmo
Cátia 30 (23:05): entao n me atices mais!
xarmus (23:05): tenho visitas e tudo
Cátia 30 (23:05): proibido de falar!
xarmus (23:06): hehehehehehehehehe
Cátia 30 (23:06): nem tens 1 amiga q tenha 1 amigo q me empreste?
xarmus (23:07): isso é mais dificil ainda
Cátia 30 (23:07): loooool
Cátia 30 (23:07): ***da-se...

21.5.10

Foto 011










Tenho tido algumas reclamações, pelo facto do meu blog só ter fotos de gajas. Como explico no inicio do blog, as fotos aqui publicadas, são imagens por mim captadas de mulheres com quem tive o prazer de trocar prazer. Como não me deito com gajos, fica difícil ter fotos de gajos. Mas lembrei-me que poderia usar fotos minhas, e fui procurar nas minhas pastas, imagens que pudesse cortar e usar aqui no mesmo registo. Só encontrei duas, mas prometo que vou arranjar uma fotógrafa que me tire umas fotos para o efeito. Já sei que vou ter que pagar com o corpo este serviço, mas o que é que eu não faço para agradar às amigas?! Peço desculpa por não ser nenhum deus grego, mas a idade não perdoa. Então, a pedido de várias famílias… aqui vai

D002 Esclarecimento

Porque tenho recebido mails de pessoas amigas que sabem que estou a escrever um livro, que me perguntam se no blogue está o conteúdo do livro, sinto necessidade de esclarecer o seguinte. Criei este blogue com a ideia de ir publicando algumas histórias que fazem parte do livro que estou a escrever. A ideia era ter uma noção da reacção dos outros, ao lerem o que escrevo. No meu livro, vou partilhar com quem me ler, e é especialmente proveitoso para quem entrou nos sites de relacionamentos há pouco tempo, ou pensa aventurar-se nesse mundo, as experiências que vivi e as conclusões a que fui chegando, assim como tudo o que fui aprendendo ao longo destes últimos 10 anos de frequência de sites e chats de relacionamentos. No livro, para além das minhas reflexões acerca do tema, publicarei histórias verídicas, que serão o exemplo prático das minhas reflexões, e servirão para o leitor tirar as suas próprias conclusões, e até ver nelas coisas que eu próprio possa não ter visto ou não estar sensibilizado para evidenciar nas minhas reflexões. Aqui no blogue, publico algumas dessas histórias avulso, mas não publicarei o conteúdo do livro na sua totalidade. Até porque ando neste momento a escrevê-lo. Tentarei usar mais a publicação de conversas e históricos do msn, e alguns acontecimentos do meu dia a dia. Tenho milhares de históricos dos últimos 10 anos, mas como não pensava escrever sobre eles e muito menos usá-los para publicação em blogue, não fui guardando as partes mais giras, e agora torna-se muito difícil relê-los todos para procurar extractos interessantes para publicar. As conversas que tenho publicado, são históricos de msn que vou encontrando durante as pesquisas que tenho que fazer para escrever o livro. Concluindo, o livro terá textos que o blogue não tem, e o blogue tem conteúdos que não fazem parte do livro.

14.5.10

Foto 010


Conversa 006 Ana 33 C01

Ana 33 diz: mas aposto que todas elas se lembram de ti...
xarmus diz: acho que sim..... mas não posso ter essa certeza
Ana 33 diz: não?!
xarmus diz: sei lá se elas se lembram de mim....
Ana 33 diz: apostaria que sim, não é todos os dias que se dão quecas de tanta qualidade e isso não é fácil esquecer!
xarmus diz: pois... não sei... para mim são sempre boas
Ana 33 diz: a não ser que nem sempre tenhas tido esta qualidade, o que também é possível, porque uma pessoa vai aprendendo!
xarmus diz: eu sempre fui bom....
xarmus diz: mas claro que agora estou melhor que nunca
xarmus diz: e atenção..... que também foi mérito teu
xarmus diz: e encaixámos muito bem
xarmus diz: há gajas que não têm o que tu tiveste
Ana 33 diz: és um querido!
xarmus diz: contigo... a coisa foi acima da média
Ana 33 diz: que sorte a minha por ter feito por merecer uma queca memorável!
xarmus diz: podes crer que mereceste
Ana 33 diz: não sei se já te tinha dito, mas costumo dar-me muito mal com os carneiros
xarmus diz: não se notou nada
Ana 33 diz: pois
xarmus diz: eu acho que foi tudo uma maravilha
Ana 33 diz: foi também o que pensei, não podia acreditar!
Ana 33 diz: tu, definitivamente, és um querido!
xarmus diz: é impossível alguém se dar mal comigo
Ana 33 diz: convencido, mas um querido!
Ana 33 diz: deve haver gente que não gosta de ti, ou não?! ninguém pode agradar a toda a gente
xarmus diz: não tenho conhecimento de que alguém não goste de mim
Ana 33 diz: a sério?
xarmus diz: serio... até os homens gostam da minha companhia
Ana 33 diz: não estamos a falar só de mulheres, de pessoas em geral, de ambos os sexos
xarmus diz: claro
Ana 33 diz: tu não existes!
Ana 33 diz: só por isso merecias um beijinho!
Ana 33 diz: (e o que mais nos apetecesse)
xarmus diz: e tu és uma querida

Foto 009

H007 Banhada

Certo dia liguei o msn e tinha um pedido de adição aos meus contactos. Aceitei o contacto e ela passou logo online. Depois da conversa inicial do costume percebi que ela era brasileira, com muita vontade de dar umas excelentes quecas, e com tempo disponível. 29 anos, gira, boa e com todos os predicados necessários a uma tarde bem passada. Como a rapariga estava toda assanhada para levar uma excelente queca, e farta de se queixar de ser mal fodida, e estando eu em Lisboa, propus-lhe um encontro para a tarde. Ela aceitou logo. Marcámos encontro para as 15h daquele dia.

À hora marcada lá estava eu. Como achei tudo muito fácil, embora já me tivesse acontecido isso algumas vezes, fui enviando mensagens a saber se ela já vinha a caminho. Ela foi respondendo, dizendo que estava a sair de casa, mais tarde que já estava no metro, e finalmente que já tinha saído do metro. Como ela nunca mais aparecia no local do encontro, liguei-lhe para saber onde andava mas ela não me atendeu. Tentei ligar-lhe mais umas vezes mas o telefone já estava desligado.

De repente passou-me pela cabeça que pudesse apanhar um “banho”, já não era a primeira vez, quem anda à chuva… molha-se. Também podia ter ficado sem bateria no telemóvel. Enfim estas situações de incerteza são sempre chatas. Como não tinha mais nada que fazer, liguei o msn para estar entretido enquanto ela não aparecia. Caiu-me tudo ao chão quando vi que ela estava online. Como entro no msn sempre off-line, pensei em pôr-me online e perguntar-lhe onde ela estava, mas era lógico que se perguntasse alguma coisa, e caso o “banho” fosse premeditado, ela não me ia responder.

Comecei a pensar que com jeitinho, tinha mesmo apanhado um “banho”. Mas nada melhor que tirar tudo a limpo. Como tenho um outro perfil de msn, lembrei-me de adicioná-la no outro msn e tentar saber onde ela estava. Adicionei-a, entrei online:
- Olá
Ela - oi
Eu - Tudo bem?
Ela - Sim e você?
Eu - Também, sempre bem
Lembrei-me que tinha que mudar a maneira de teclar, para ela não sentir semelhanças entre este novo contacto e o xarmus. Normalmente riu assim… hehehehehehe e tenho o hábito de pôr reticências para separar as frases, mas tinha que ter cuidado com esses pormenores.
Ela - Onde você conseguiu meu mail?
Eu - Foste tu que me deste, no site ******, mas já foi há muito tempo, só que eu adicionei mal e como nunca mais te via online, fui verificar a mensagem que me enviaste com o teu contacto para ver se me tinha enganado a apontar o teu mail, e de facto estava errado.
Ela - Estou entendendo.
Eu - Mas agora já estamos adicionados. A trabalhar ou em casa?
Ela - Em casa
Eu - De férias?
Ela - Não estou trabalhando, estou desempregada.
Eu - Entendo.
Não havia duvida, esta puta de merda (no pior sentido da palavra), pregou-me mesmo um “banho” premeditado. Tinha acabado de me enviar uma mensagem a dizer que tinha saído do metro e que chegava dentro de minutos, e estava em casa que segundo me tinha dito era em Algés.

Se há coisa que me tira do sério são as injustiças e maldade premeditada e gratuita, e esta situação tinha muito das duas. Eu sei que há muita gente que marca encontros e que não aparece, e possivelmente esta também já apanhou alguns “banhos”, mas eu nunca fiz isso a ninguém e se alguém não merece uma coisa destas sou eu.

Isto despertou em mim uma montanha de sentimentos mauzinhos. Eu, que sou um poço de tolerância e compreensão, pronto a perdoar tudo a toda a gente, ao sentir esta maldade gratuita, fiquei com uma vontade terrível de me vingar desta puta, e no mínimo fazer-lhe o mesmo. Ainda por cima estava fulo com o facto de em vez de cagar no assunto e esquecer rapidamente tudo isto, (amigas para estarem comigo dali a uma hora não me faltavam), estar com esta sede de vingança, que são sentimentos que não gosto nada de sentir. Mas também sabia que se conseguisse pregar-lhe um “banho” iria ficar muito mais aliviado. Por outro lado, não era fácil pregar um “banho” a alguém que se diverte a fazer isso aos outros sem sair de casa. Por outro lado, era um desafio à minha criatividade. Teria que arranjar uma história que a fizesse sair de casa, e estava visto que não era pelo sexo que ia conseguir isso. Dinheiro era uma boa alternativa. Rapidamente começou a esboçar-se uma excelente ideia na minha cabeça.

Eu - Eu vim aqui ao msn ver se encontro uma amiga minha. Comprei dois bilhetes de ida e volta para S. Paulo e agora a minha amiga que era para ir comigo, teve que ficar com a mãe que está no hospital. Só tenho até amanhã para trocar o nome dela por outro e estava a ver se encontrava uma outra amiga que quisesse aproveitar o bilhete.
Ela - Mas você quer vender o bilhete para ela?
Eu - Não. O bilhete está pago, era mesmo para lhe oferecer.
Ela - Mas você não vai ter dificuldade em arranjar alguém para oferecer o bilhete.
Eu - Não sei não. É preciso ser alguém que não esteja a trabalhar. O dia da volta é 15 dias depois da ida, e não é fácil encontrar quem possa estar fora tanto tempo.
Ela - Eu podia não quer me levar com você?
Eu - Eu preferia levar a amiga que vinha procurar aqui, porque eu vou ter que ir a Manaus fazer uns negócios durante uma semana e ela podia ir visitar a família nessa semana.
Ela - Sabe eu sou de S. Paulo e podia ficar consigo uma semana e ir outra visitar minha família.
Eu - Assim parece-me melhor.
Ela - e para quando seria essa viagem?
Eu - é já para a semana, no dia 12
Ela - Mas eu não vou viajar com um desconhecido convêm que a gente se encontre antes.
Eu - Pois claro, eu também quero conhecer-te. Podemos começar por trocar de contactos. O meu é *** *** ***.
Ela - pega o meu ********* Fabiana
Eu - Vou ligar-te, até já.

Como ela ainda não tinha ouvido a voz do xarmus, não tinha risco nenhum em falar com ela ao telefone, e eu já sei que a minha voz é sempre muito apreciada pelas mulheres. Conseguir falar com ela, era mesmo meio caminho para conseguir fazê-la sair de casa.
Eu - Olá Fabiana… tudo bem?
Ela - Tudo, e com você?
Eu - Também. Estive a pensar… como tenho que dar o nome para o bilhete do avião até amanhã, era bom que nos pudéssemos conhecer hoje. Que achas da ideia de vir jantar cá a casa? Eu mando a cozinheira fazer alguma coisa que gostes. Gostas de lagosta?
Ela - Muito.
Eu - Então eu vou mandar fazer duas lagostas suadas com maionese e pãozinho torrado. Gostas de champanhe? Ou preferes caipirinha?
Ela - Caipirinha.
Eu - Eu também gosto.
Ela - E você vive onde?
Eu - Cascais.
Ela - Sei onde é eu vivo em Lisboa e posso apanhar o trem.
Eu - Vens até à estação que eu mando o chauffer buscar-te à estação de cascais. Que achas da ideia?
Ela - Me agrada a ideia. Adoro sua voz. Voz de homem mesmo… me dá muita paz e muita confiança.
Eu - Traz um fato de banho. Podemos dar um mergulho na piscina antes de jantar.
Ela - Piscina com este frio?
Eu - É uma piscina interior com água aquecida. Tem uma catarata, é muito bom… vais gostar.
Ela - Estou vendo que vou adorar mesmo… e a que horas você quer que eu esteja aí?
Eu - Quando quiseres, eu vou só dar uma voltinha a cavalo e depois volto para casa.
Ela - Ui… adoro cavalos. Me dá 2 horas que eu estou aí.
Eu - Ok… vai dar tempo de dar uma voltinha a cavalo pela praia. Se quiseres mando selar outro cavalo e espero por ti.
Ela - Que barato… você fazia isso por mim?
Eu - Claro linda… eu espero por ti.
Ela - Me aguarda que eu vou me duchar e vou saindo correndo.
Eu - Ok… quando chegares a Cascais telefona-me que eu mando um carro apanhar-te… beijocas e até já.
Ela - Beijos

Parecia estar bem encaminhada para lhe pregar uma “banhoca”, mas de qualquer modo não criei expectativas para não apanhar nenhuma desilusão. Tinha umas alterações a fazer a um projecto, liguei o Autocad e pus-me a trabalhar. Estava um dia frio de inverno, e sabia bem estar no quentinho a trabalhar com uma vista panorâmica sobre o Tejo.

Estava eu muito concentrado no meu trabalho, quando toca o telefone. Tinha trocado de cartão para ela não reconhecer o número do xarmus e quando o telefone tocou, olhei para o visor e só vi um número, porque não tinha apontado o número nos meus contactos. Só quando atendi percebi quem era.
Ela - Oi Luís… já estou na estação dos trens em cascais.
Eu - Olá Fabiana… tudo bem… vou mandar um carro buscar-te. 10 minutos e ele está aí… já te ligo. Passados 24 minutos volta a tocar o telemóvel.
Ela - Oi… ainda não está cá ninguém para me pegar…
Eu - Não??? Estranho. De facto, disse ao chaufer para me ligar quando chegasse, e estou a estranhar a demora. Vou ligar-lhe e já te ligo. Passados mais 12 minutos liguei-lhe.
Eu - Olá… ele está parado num auto-stop… mas já vai ter contigo. Vai para perto da bilheteira que ele vai lá ter contigo. Como é que estás vestida?
Ela - Estou com calça de ganga e um casaco preto.
Eu - Ok, ele já aí aparece. Beijos
Passados mais 16 minutos ela voltou a ligar-me…
Ela - Oi…
Eu - Olá… ele já aí está, mas não consegue estacionar. Era melhor tu desceres. Ele está num Mercedes preto à porta da estação… até já linda.
Ela - Até já… estou cheia de vontade de conhecer você…
Eu - Eu também tenho vontade de te conhecer… Até já.
Desliguei o telefone e troquei de cartão.

D001 Uma Boa Noticia

Estava a circular numa rua da inbicta, quando vi um posto móvel de despistagem do HIV. Estes postos móveis fazem o teste gratuitamente e dão o resultado na hora. Pensei… ando há tanto tempo para fazer um teste destes… nem é tarde nem é cedo, é já. Estacionei e dirigi-me ao posto. Fui recepcionado por uma senhora a quem perguntei se era rápido. - Pode ser já, respondeu-me ela. Fazem um pequeno inquérito anónimo, no qual perguntam acerca dos nossos hábitos sexuais, e nos explicam como funciona o teste, assim como nos explicam os cuidados a ter, e nos preparam psicologicamente para recebermos uma má notícia. No meio da conversa, vem uma senhora que nos faz a colheita do sangue através duma picadazinha na ponta do dedo. A conversa foi divertida na parte em que ela me perguntou quantas parceiras tinha tido no último mês, nos últimos 3 meses, ou no último ano. Também teve piada quando ela me quis oferecer preservativos grátis, daqueles que só me servem nos dedos. Quem me conhece, pode imaginar com facilidade o surrealismo daquele momento. A senhora aguentou-se muito bem à bronca, e tentou manter o decoro todo o tempo, o que não me demoveu de chamar as coisas pelos nomes e por muito que lhe custasse, responder com toda a sinceridade e frontalidade a todas as questões que me foram colocadas. Quando ela me falou de preservativos vaginais para o sexo oral, tive que me largar a rir, e dizer-lhe com todo o respeito que quando lambia uma cona, era porque gostava mesmo de lamber a cona e não o plástico, ao que ela me respondeu com um sorriso envergonhado… -entendo. Aproveitei a conversa para em vez de ouvir o que já sei, esclarecer algumas dúvidas que tinha, e aprendi algumas coisas que não sabia.
No caso de quem tem sempre relações protegidas que é o meu caso, o perigo cinge-se apenas ao sexo oral. O sexo oral é muito mais perigoso para o activo do que para o passivo, ou seja, mais perigoso para quem faz do que para quem recebe. Para quem recebe o risco é quase nulo. O sexo oral é uns milhares de vezes mais perigoso para quem mama num piço até ao fim, ou pelo menos até ao liquido pré-ejaculatório do que para quem lambe uma coninha. Explicando melhor, no esperma e no líquido pré-ejaculatório, existe o dobro da concentração de vírus para a mesma quantidade de líquido, do que nos líquidos vaginais. Como a quantidade de esperma que o homem ejacula é uns milhares de vezes mais do que o liquido vaginal que uma mulher possa soltar, é fácil de perceber a diferença do perigo entre uma coisa e outra. No caso do sexo oral, o contágio faz-se do passivo para o activo, no caso do activo ter uma ferida, uma afta, ou gengivas mais sensíveis. No fundo, o vírus necessita de uma entrada para dentro do nosso corpo pelo sangue ou através de tecidos mucosos. Outra coisa que pouca gente sabe, é que um seropositivo tem que continuar a proteger-se, porque se é contagiado novamente, o seu sistema imunitário que já anda à nora com o vírus, dificilmente se aguentará à bronca com os reforços. Nesta óptica, um casal de seropositivos tem que ter os mesmos cuidados de qualquer outra pessoa. Outra coisa que poucos sabem, é que um seropositivo tem alturas de forte possibilidade de contagiar os outros, como tem alturas em que praticamente não transmite vírus aos outros. Há casos raros de casais em que um é seropositivo e o outro não é, e apesar de terem relações desprotegidas, ao fim de uns anos o contágio não acontece. Enfim, havia muito que dizer em relação à temática, mas não me vou alongar. Entretanto, a senhora pega no dispositivo do teste que tinha estado em cima da cadeira ao lado dela, e coloca-o em cima da mesa e diz:
-Negativo.

8.5.10

Foto 008

H006 Farmville

O prazer era indescritível. A pele com pele, o sentir as mamocas encostas ao meio peito, e os gemidos de prazer dela, deixavam-me completamente louco de prazer. Ela estava toda entregue, com muita vontade de me dar a coninha toda, e eu penetrava-a lentamente…
Toca um telemóvel…
Parámos por uns segundos, e depois de nenhum de nós se mostrar interessado em ir atender, continuámos a deliciar-nos um com o outro.
O telefone que tinha tocado era o dela, e eu senti que ela estava preocupada com a chamada.
Eu - queres fazer um intervalo? Tu vês quem era e eu fumo um cigarrinho.
Ela - ok…
Pegou no telefone e disse:
Ela - Estranho… ninguém me telefona às duas da manhã. Vou retribuir a chamada, pode ser alguma coisa importante.
Ela - Está? Então miga… ligaste-me, algum problema?
Amiga - ( sem ouvir o interlocutor)
Ela - Claro miga, eu dou-te a password e vais lá tu. Neste momento não tenho aqui o portátil. Tens onde apontar? *********** beijo miga.
Eu - Algum problema?
Ela - Não. Era uma amiga minha que precisa de ir à minha quinta apanhar as uvas, pois juntei-me à co-op farming dela e só falta 1 hora para acabar o tempo para termos direito a prémio!
Eu - Como????
Ela - Farmville…
Eu - Apanhar uvas às 2 da manhã???
Ela - Pois… não estás a ver… há gente muito viciada neste jogo. Conheces?
Eu - Já ouvi falar… mas para mim esses jogos são como levar no cu… é melhor não experimentar… posso gostar…. Hehehehehehehehe
Ela lá me explicou como funcionava o Farmville, e conversámos um pouco acerca de como o jogo acaba por condicionar a vida das pessoas.
Eu estava pasmado com o que ela me contava.
Eu - Mas tu pelos vistos também gostas?
Ela - Sim, aquilo é giro, mas não estou viciada no jogo, só lá vou quando tenho tempo livre. Não sou daqueles que põem despertador para as 4 da manhã para ir apanhar tulipas.
Eu - Passamos ao segundo assalto?
Ela - bora…
Comecei do início outra vez… a beijar e lamber muito suavemente aquela coninha deliciosa, que apesar de já se ter vindo duas vezes estava desejosa de mais. Já estava a sentir a alteração na respiração dela, quando….
Ela- desculpa… dá-me só um minuto.
Pega no telemóvel…
Ela - Está miga… faz-me um favor…. Dá comida ao meu cão.

Conversa 005 Anabela 35 C01

Anabela 35: Meu lindo, vou-me deitar!
Anabela 35: Sabes, é que estas duas últimas noites fui atropelada por um camião e preciso de descansar!
Anabela 35: pensei que tivesses caído
xarmus: também caí
Anabela 35: ficaste offline
xarmus: mas estive a acabar um trabalho
xarmus: mas soube bem...seres atropelada?
Anabela 35: muito bem
Anabela 35: estou desejosa de ser atropelada outra vez!
xarmus: hehehehehehehehe
Anabela 35: Beijokas!
Anabela 35: És um querido, fofinho!
xarmus: bigada...
xarmus: beijocas linda
xarmus: também és uma fofura
Anabela 35: eu gosto muito de ti
Anabela 35: e adorei o sexo
xarmus: para a proxima...talvez tenhas a sorte de ser enrabada
xarmus: hehehehehehehehehehe
Anabela 35: quem sabe?!
Anabela 35: mas também tens que me lamber
Anabela 35: e vir-me à cona
Anabela 35: eu gostei
Anabela 35: muito
Anabela 35: isso...faço questão mesmo
xarmus: tudo isso delicia... vais ter tudo a que tens direito...eu também adorei tudo
Anabela 35: Beijokas
xarmus: dorme bem!

2.5.10

Foto 007

Conversa 004 Rute 38 C01

Rute 38 diz: Ainda aí estás?
xarmus diz: ainda
xarmus diz:: e tu? foste dar uma?
Rute 38 diz: fui
Rute 38 diz: definitivamente vais-me fazer muita falta
xarmus diz: graçççççaaaaassssssssssss a deus...né? hehehehehehe
Rute 38 diz: não te rias que não tem graça nenhuma… é uma tristeza
xarmus diz: falta de tamanho ou de jeito?
Rute 38 diz: Tudo
xarmus diz: deste a queca aí em casa?
Rute 38 diz: sim
xarmus diz: e os vizinhos???
Rute 38 diz: não ouvem nada
xarmus diz: hhummmm
Rute 38 diz: e o meu namorado raramente cá vem
xarmus diz: tadinha
xarmus diz: e és tão boa de comer
Rute 38 diz: muitas mulheres fingem os orgasmos, eu tenho que fingir que não tenho para não acabar logo!
Rute 38 diz: sou para quem sabe aproveitar
Rute 38 diz: o que não é o caso da maior parte dos gajos
Rute 38 diz: para além de ti, só tenho mais um amigo que sabe comer-me
xarmus diz: tadinha..... e eu tão longe
Rute 38 diz: mas é tão ocupado como tu
Rute 38 diz: o mau é que depois de ti vai ser muito difícil ficar satisfeita!
Rute 38 diz: isto vai ser complicado
xarmus diz: depois de te esqueceres...é mais fácil
Rute 38 diz: achas que me vou esquecer?!
xarmus diz: eu tinha avisado que isso ia acontecer… lembraste?
Rute 38 diz: claro que me lembro!
Rute 38 diz: todos os dias!
xarmus diz: quando passar mais tempo… fica mais fácil
xarmus diz: agora como está muito fresco... notas muito a diferença
Rute 38 diz: se calhar!
Rute 38 diz: mas espero que não passe muito tempo!
xarmus diz: claro linda... eu vou tratar de ti de vez em quando
Rute 38 diz: conto com isso!

Foto 006

H005 Em casa dela

Estava a trabalhar no portátil, quando recebi um pedido de adição… aceitei… e entrou logo online…

(23:20) Vanessa: estás por aqui??
(23:22) xarmus: Olá
(23:22) xarmus: estou um pouco ocupado.... mas estou
(23:22) xarmus: em que site nos conhecemos?
(23:22) Vanessa: ********
(23:22) Vanessa: mas se estás ocupado
(23:22) Vanessa: conversamos quando estiveres mais folgado
(23:23) xarmus: não… na boa… qual é o teu nome lá?
(23:23) Vanessa: ********
(23:23) Vanessa: foste ver??!!
(23:23) xarmus: não...
(23:24) xarmus: mas fica aqui registado
(23:24) xarmus: e amanhã vou ver
(23:24) Vanessa: gostas muito de sexo?!!
(23:24) xarmus: adoro
(23:24) xarmus: e tu?
(23:24) Vanessa: por isso é que tens uma caravana??!!!
(23:24) xarmus: sou doidinho por um bom sexo
(23:24) Vanessa: eu adoro também
(23:24) xarmus: não só por isso… é o meu escritório móvel também
(23:24) xarmus: mas também dá muito jeito para dar umas quecas
(23:24) Vanessa: e vens-te sempre??!!
(23:25) xarmus: claro
(23:25) Vanessa: que bom
(23:25) Vanessa: adoro uma boa esporradela
(23:25) Vanessa: por cima de mim
(23:25) xarmus: ui... que maravilha
(23:25) xarmus: queres trocar umas fotos?
(23:26) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(23:26) xarmus: vê lá se gostas
(23:27) Vanessa: sim, és fotogenico
(23:27) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(23:27) xarmus: queres fotos do piço também?
(23:28) Vanessa: sim
(23:28) Vanessa: manda
(23:28) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(23:29) xarmus: Iniciou a transferência de um ficheiro
(23:29) xarmus: gostaste?
(23:29) Vanessa: sim, agradou-me. Parece enorme
(23:29) xarmus: acredita que é mesmo
(23:29) Vanessa: tambem queria abocanha-lo
(23:30) xarmus: não tens nada para me enviar?
(23:30) Vanessa: e chupa-lo muito
(23:30) Vanessa: só tenho uma foto
(23:30) xarmus: se quiseres... vais mesmo abocanhá-lo... e fazer o que te apetecer com ele
(23:30) xarmus: já vi que nos entendemos bem
(23:30) Vanessa: por acaso, se fosse agora !!??
(23:31) xarmus: Claro… pode ser agora mesmo…
(23:31) xarmus: Estou em Lisboa
(23:31) xarmus: E tu onde estás?
(23:32) Vanessa: Em casa
(23:32) Vanessa: Queres cá vir?
(23:32) xarmus: isso era uma maravilha
(23:32) xarmus: vives onde?
(23:32) Vanessa: areeiro
(23:32) xarmus: optimo
(23:32) xarmus: Não estou longe…
(23:32) xarmus: Trocamos de contactos?
(23:33) xarmus: O meu é o *** *** ***
(23:34) Vanessa: *********
(23:34) xarmus: Vou ligar-te… já que nos vamos comer…
(23:34) xarmus: Podemos começar por ouvir a voz…
(23:34) Vanessa: estou com uma tesao daquelas !!!
(23:34) xarmus: Isso é maravilhoso… vou poder usar e abusar?
(23:34) Vanessa: Claro. Fazes o que quiseres de mim eu gosto de tudo
(23:34) xarmus: eu também estou com vontade
(23:35) Vanessa: até me veio agua á boca
(23:35 ) xarmus: hehehehehehehehehehe
(23:35) xarmus: ficaste a salivar por tudo quanto é buraquinho?
(23:35) Vanessa: mas gostava de te provar
(23:35) Vanessa: tens ar que chupas bem
(23:35) Vanessa : e adorava vir-me na tua boca
(23:35) xarmus: ui... adoro isso
(23:35) xarmus: fica prometido
(23:36) Vanessa: e comermo-nos sem compromissos
(23:36) xarmus: tudo bem… como eu gosto
(23:36) Vanessa: pois só assim nos divertimos
(23:36) Vanessa: imagina a minha boca nesse pau
(23:36) Vanessa: muito devagarinho
(23:36) xarmus: ui... nem me digas
(23:36) xarmus: já estou com um pau enorme
(23:36) Vanessa: só para sentir a crescer suavemente
(23:36) xarmus: hhuuummmmmmmmm
(23:36) Vanessa: na minha garganta
(23:36) xarmus: Bem… vou ligar-te para me dares a morada… antes que já nem consiga guiar com o piço a encravar o volante

Liguei-lhe… pouco conversámos. A ideia era mesmo foder até cair para o lado e não havia interesse de parte a parte em grandes conversas. Deu-me a morada e lá fui eu de gps a dar as coordenadas. Tinha feito o download de uma voz feminina inglesa que em vez de dizer vire à direita diz: you are so sexy… turn right and I give you my pussy as your prize… oohhhh you make me horny, de maneira que a vigem é sempre muito divertida.

Pelo caminho, fui a pensar em como tudo isto era estranho. Apesar de eu ter muita facilidade em engatar uma desconhecida para a própria noite, senti que não tive que me esmerar nada. O mais estranho disto tudo, era o facto de me ter convidado logo para ir a casa dela sem me conhecer de lado nenhum. De repente saltou-me à ideia uma notícia que tinha lido em que uma gaja atraía os homens a casa dela, e lá dentro estavam 3 gajos que o assaltavam. Quanto mais pensava, mais a certeza tinha de que havia ali qualquer coisa que não batia certo.

As vezes em que fui convidado para ir logo a casa delas, eram amigas de amigas minhas, que ao verem as minhas fotos e depois de as amigas lhes dizerem como eu era uma boa queca e de confiança, me contactavam a propor um encontro muitas vezes em casa delas. Nestes casos, se lhes perguntasse como é que elas tinham o meu mail, elas inventavam uma desculpa esfarrapada do tipo “não me lembro” ou confessavam que tinha sido uma amiga que lhes tinha falado em mim. Mas eu tinha perguntado a esta qual era o nick dela no site para onde lhe enviei a mensagem, e no decorrer da conversa de msn, fui ver se tinha sido eu a contactá-la. E tinha mesmo. Eu enviei-lhe uma mensagem bem picante e criativa com o meu mail, e ela tinha-me adicionado, o que invalidava a hipótese de ser uma amiga de uma amiga.

Era um bocado perigoso ir a casa dela, mas eu gosto mesmo de adrenalina e aventura da grossa, e como tenho arma e sprays de defesa, armei-me até aos dentes, e lá fui eu arriscar a mais uma loucura das minhas. Eu sou doido, mas muito cauteloso ao mesmo tempo, ou seja gosto de aventuras com muita adrenalina, mas vou o mais bem preparado possível. Não levei identificação nenhuma, nem dinheiro, nem cartões de crédito, apenas levei o telemóvel da net escondido e desligado, e deixei as chaves da autocaravana dentro de um saco de plástico escondido numa das cavas da roda.

Caso houvesse merda, não me podiam roubar nem a autocaravana nem nada que me fizesse verdadeiramente falta. Já tinha uma história preparada para o caso de ser mesmo apanhado e tentassem obrigar-me a falar. Tinha ido de táxi, e a prova é que não tinha chaves comigo, e fingia que pensava que tinha a carteira no casaco, e depois fazia de conta que ficava muito espantado por não a ter no casaco, e que possivelmente a tinha deixado cair ao sair do táxi, porque o facto é que não a tinha comigo também. Dizia-lhes que tinha enviado o número de telemóvel e a morada que ela me tinha dado para um amigo, para o caso de me acontecer alguma coisa a policia ter por onde procurar.

Estacionei relativamente longe de casa dela, e lá fui eu comer a donzela que parecia estar mesmo com o cio. Apesar destas desconfianças, Algo me dizia que ela queria mesmo ser toda fodida como deve ser, mas por outro também isso me soava a estranho, pelo facto de ela não me conhecer e não fazer ideia se eu daria conta do recado. Ou seja, desde o início que toda a postura dela, foi igual às pessoas que já me conhecem. Não me conhecendo, havia ali muita coisa que não batia certo. Por outro lado, se não fosse nenhuma armadilha e se houvesse uma explicação lógica, podia ser mesmo uma noite excelente.

As pessoas que gostam mesmo de sexo, sentem quando outra tem a mesma vontade, e senti isso da parte dela. Pareceu-me genuino o desejo dela. Liguei-lhe a confirmar o numero de porta e andar, e subi bastante concentrado para reagir com rapidez e determinação a qualquer situação que se me apresentasse. Subi em silêncio, pela escada, e ia dar um leve toque na porta, quando ela se abriu demorada e silenciosamente. Abriu-me a porta uma mulher linda, podre de boa, entre 30 e 35 anos, completamente nua, por baixo de uma camisa transparente um pouco abaixo da cintura. Tinha o triângulo de pelinhos na cona, o que me agradou bastante. Entrei em silêncio, e lá dentro, depois de ela fechar a porta, meti-lhe as mãos na cintura e dei-lhe duas beijocas na face:
-Xxxiiiiii mãezinha como tu és boa. Posso apalpar?
– Podes, claro… estás à vontade…
- Não estou muito à vontade não… mas depois de me explicares umas coisinhas… posso ficar mais à vontade. Posso usar o WC?
- Ao fundo do corredor.
Ela dirigiu-se para a sala, e eu na direcção oposta para o WC, na zona dos quartos. Tirei o spray de defesa do bolso e como quem vai conhecer a casa, fui entrando nos quartos e dizendo… - Tens aqui uma bela casa. Abri os roupeiros e fui vendo tudo o que poderia esconder alguém. Não havia dúvida de que estávamos só os dois em casa. Não havia varandas. A partir de agora era só estar de olho na porta da rua. Por fim entrei no WC e fui lavar as mãos. A casa de banho de alguém diz sempre muito em relação à pessoa que a usa. Se normalmente não passo cartão à arrumação da casa das outras pessoas, naquele caso era importante analisar a toca, para tentar perceber que tipo de bicho estava ali.

Quando é só uma pessoa a usar a casa é fácil perceber muita coisa. Tinha gosto em ter um ambiente agradável e confortável. A casa tinha muito pouca mobília, mas o que tinha estava com muito bom gosto. Era um bom sinal em todos os aspectos. Dirigi-me à sala, e ela estava sentada no sofá toda escancarada.
- Já te andei a cuscar a tua casa…. Bem fixe.
Puxei um “puff” para a beira do sofá e sentei-me no chão junto às pernas dela.
- Mãezinha… que corpinho. Tens uma coninha muito bonita.
- Bigada.
- Mas antes de me afiambrar a ti, vais ter que me esclarecer aqui umas dúvidas…
- Sim…
- A menina não sabe que é perigoso convidar desconhecidos para sua casa?
- Sei… mas eu senti que eras de confiança…
- Hehehehehehehehe… ganda lata.
- Serio… percebi pela tua voz…
- Mas quando me convidaste, foi no msn e antes de ouvires a minha voz.
- Mas também vi que eras fixe pela tua mensagem.
- Pois… mas tenho outra dúvida… convidas um gajo da minha idade para vir ter a tua casa foder-te… sem nunca teres visto uma foto… tens que concordar que está difícil de engolir. Nem sequer sabes se o gajo é bom de cama…
- Bem… eu vou contar-te a verdade… mas não me peças para dizer quem foi, porque eu não digo. Tu andaste ou andas a comer uma amiga minha, que me mostrou fotos tuas e me contou as quecas que deste com ela. Eu fiquei com muita vontade de te comer, mas não tive coragem de roubar o amigo à minha amiga. Quando recebi a tua mensagem que diga-se de passagem que é quase igual aquela que lhe enviaste, pensei que podia aproveitar sem nenhum de vocês saber. De qualquer modo ela nunca vai saber, até porque eu não te vou dizer quem é.
- Tudo bem…. É justo. Fico com curiosidade mas de facto não é importante saber quem é. De qualquer modo eu não lhe dizia nada.
-pois… também acho.
- E posso passar ao ataque?
- claro… fica à vontade.
- Então… com licença…
Agarrei-lhe nas ancas e puxei-a mais para a borda do sofá com as pernas abertas de modo a ficar com a coninha mesmo na borda do sofá. Deliciei-me a ver a cona dela já molhadinha a abrir-se lentamente enquanto lhe passava um dedinho muito suavemente, para logo de seguida encostar-lhe a boca. Comecei com uns beijinhos muito suaves, e fui explorando todos os recantozinhos com a língua muito ao de leve, e fui intensificando a pressão da língua e aproximando de sítios que as deixa completamente loucas, enquanto ia ouvindo a alteração da respiração, à mistura com gemidos de prazer…
- Nestas situações em que não conheço bem o corpo da parceira, costumo fazer um test-drive antes, mas se me fores dando dicas, eu adapto à tua sensibilidade…
- Tu não precisas de dicas… estás a ir muito bem.
Oiço sempre isto cada vez que proponho que me deem dicas.
Como já aprendi que as mulheres são muito diferentes em termos de sensibilidade no clítoris, bicos das mamas e outras partes do corpo, gosto de fazer um test-drive com a ajuda da parceira no sentido de afinar a pressão que exerço à sensibilidade da cada uma nas diferentes partes do corpo. Claro que isto deve ser feito com a ajuda da parceira, mas se não tiver ajuda, também me desenrasco, sentindo e ouvindo os sinais que me vão chegando do corpo dela. Eu sei bem ver quando uma cona gosta ou não gosta do que lhe estou a fazer.

Nesta altura está o leitor a pensar… que técnico que este gajo é… heheheheheheh. Mas eu explico. Como o que me dá prazer para além de desfrutar do corpo de uma mulher à minha vontade, é sem dúvida sentir o prazer dela, conseguir fazer as duas coisas ao mesmo tempo é o segredo para que tudo seja maravilhosamente prazeroso. É isso que se pretende.
- Deixa-me mamar nesse teu pauzão gostoso.
- Calma… um de cada vez… se te portares bem e me deixares deliciar-me até me apetecer, eu prometo que vou pensar no teu assunto, e até talvez te deixe mamar. Hehehehehe...

Humor sempre presente… (como se eu não estivesse doido para sentir, e vê-la mamar-me no piço cheia de vontade e desejo). Com o continuar das lambidelas e umas incursões com os dedinhos naquela cona gulosa, foi um instantinho enquanto ela se veio na minha boca.
- Agora já estou a perceber o problema da minha amiga.
- Problema? Que problema é que ela tem?
- Ela diz que está viciada em ti e está em pânico a pensar que podes desaparecer a qualquer momento, e que depois de ti vai ser muito difícil arranjar quem a satisfaça como tu fazes.
- Pois… não é só problema dela… tem mais assim.
- Andamos tão mal fodidas, é difícil arranjar um homem que seja bom na cama e que seja descomplicado. Mesmo quando não são nada de jeito na cama, são todos possessivos e extremamente ciumentos. Não acreditas o que às vezes temos que aturar para ter um piço, e na maior parte das vezes é uma decepção. Estou mortinha por levar com esse bem fundo na cona. Mas vamos para o quarto que estamos melhor.

Agarrou-me na mão e puxou-me para o quarto dela. Deitei-me na cama, e ela instalou-se confortavelmente para se deliciar a mamar-me no piço. Só faltou pôr o babete. Devo dizer que a rapariga também sabia o que fazia. Esteve a deliciar-se até querer e eu tive que pensar em problemas que tinha para resolver para não me vir na boca dela antes de penetrá-la.

Depois vem aquela cena muito romântica e sempre a propósito naquelas alturas, que é a aplicação do filho duma ganda puta do preservativo. Passando essa fase horrorosa, lá me deliciei a penetrar aquela maravilha de mulher, e a sentir o prazer dela a ser completamente furada até ao fundo pelo meu gostoso que parecia que ia rebentar a qualquer momento de tão rijo que estava. A coisa foi bastante prazerosa para ao dois, comigo sempre a fazer umas paragens estratégicas para não me vir antes da senhora.

Depois da rapariga se vir mais umas vezes, e de chamar pela mãezinha, tendo inclusive feito algumas observações de cariz religioso do tipo “ai meu deus que eu vou-me vir outra vez” ou “ ai Jesus que dás cabo de mim” lá decidimos dar descanso àquela valente coninha. Depois, a rapariga foi uma querida e perguntou-me se eu lhe dava leitinho na boca. Gostava muito de beber o leitinho e queria muito dar-me esse prazer. A ideia agradou-me de sobremaneira e passámos à prática. Vim-me que nem um leão na boquinha daquela mulher linda que foi uma maravilha. Ela estava mesmo com muita vontade de beber todinho, e quando uma mamada é feita com gosto, faz toda a diferença. Depois de descansarmos um pouco enquanto conversávamos lá nos levantámos satisfeitos e bem-dispostos e fomos à nossa vida.

Foi um episódio giro pelo facto de ter sido tão rápido e tão bom. Ter quem nos faça publicidade é de facto muito bom, mas é claro que é preciso merecer isso, e principalmente corresponder às expectativas, senão estamos a incorrer num acto de publicidade enganosa.

Conversa 003 Tatiana 36 C01

xarmus - o que torna difícil o relacionamento entre os homens e mulheres... é que as mulheres precisam de gostar para ir para a cama... e os homens precisam de ir para a cama para gostar.
xarmus - também há outra maneira de ver a diferença entre o homem e a mulher em relação a sexo…. É que a mulher precisa de um motivo para ir para a cama… e o homem precisa de um buraco.
Tatiana – pois mulher é diferente do homem
xarmus - mas as mulheres que só fodem se estiverem apaixonadas... também se apaixonam quase todas as semanas… é que como a sociedade condena esse comportamento nas mulheres… se elas se disserem apaixonadas ou até se pensarem que estão… legitimam o sexo sem se sentirem muito mal com isso… mas isto tudo já está a mudar muito rapidamente… e ainda bem.
Tatiana – mas vc quer logo começar pelo fim
Xarmus - eu acho que começo mesmo é pelo principio... porque se na cama não funcionar.... não funciona para mais nada… e aí nem precisamos perder mais tempo.
Xarmus - imagina sair 5 vezes com uma mulher... e depois de ir para a cama com ela sentir que não funcionamos bem na cama? Já viste o tempo perdido ??
Xarmus - é o sexo que traz o amor... e é o amor que traz a compreensão e as cedências de parte a parte… para um casamento poder funcionar bem
Tatiana - tens razão talvez esteja certo
Xarmus - casamentos ou relacionamentos onde o sexo não funciona.... não têm grande futuro
Tatiana – certo e quando e que nao funciona?
Xarmus - quando não é bom para os dois ou para um dos dois
Tatiana – sei
es mesmo um sexologo
entendido mesmo do assunto
ja estou ate aprendendo mais contigo
xarmus - eu já tive sexo com mulheres que mal conheço.... e que depois de ter sexo.... sei perfeitamente que era impossível gostar delas... e também já tenho tido sexo com mulheres que conheci há 1 hora atrás... e que tenho a noção que era perfeitamente possível apaixonar-me por elas… o sexo é muito importante num relacionamento. Os cheiros, a pele, o modo como interagem as duas pessoas… como se complementam…
Xarmus - se precisares de um consultor técnico nas áreas do amor e do sexo.. podes contar comigo... e podes pagar as consultas em géneros… com o corpinho… hehehehehehehe
Tatiana – vamos pensar nisso.

Conversa 002 Berta 34 C01

xarmus diz: de qualquer modo...devíamos de nos comer antes de ires para o Sul
Berta 34 diz: é só durante o verão nao acredito q isto dure
xarmus diz: pois... infelizmente... se ele não mudar... vai ser dificil
xarmus diz: era bom é que ele atinasse
Berta 34 diz: era mas é dificil.. está muito agarrado à bebida e à vida nocturna
xarmus diz: e tu merecias esse esforço da parte dele
xarmus diz: o gajo é burro mesmo... com uma mulher como tu.....a desperdiçar os melhores anos de vida
Berta 34 diz: ele está disposto a tentar vamos ver
Berta 34 diz: era giro dizer-lhe isso a ele
xarmus diz: se quiseres... eu digo-lhe
xarmus diz: dá-me o contacto que eu falo com ele...ele nem sabe o que tem
xarmus diz: e tu até gostas dele mesmo assim...
xarmus diz: é mesmo burro
Berta 34 diz: nao posso como justifico? este é o luis uma das melhores quecas da minha vida
Berta 34 diz: ele passava-se
Berta 34 diz: nao é assim tao aberto e é bué ciumento
xarmus diz: podias dizer que sou um amigo...só amigo
xarmus diz: e eu diza-lhe que te tinha tentado papar e que tu nunca foste nisso porque eras apaixonadona por ele
Berta 34 diz: Agora deste em sto antonio?
xarmus diz: é que ele é mesmo burro com uma mulher maravilhosa... não aproveitar a oportunidade... que provavelmente ....nunca mais vai ter na vida
xarmus diz: sempre fui... gosto de ajudar... e tu gostas dele, é uma pena não atinarem
Berta 34 diz: lindo só tu me fazes rir
Berta 34 diz: se eu precisar aviso-te e desde já agradeço
Berta 34 diz: es um amigo a sério
xarmus diz: na boa... se precisares... eu falo com ele

1.5.10

Foto 005

R001 Mentiras

Do mesmo modo que há gente que aproveita o anonimato para ser genuíno e não ter que usar a mascara do dia-a-dia, se mostra como realmente é, diz o que pensa sem hipocrisias e não está para fazer fretes dizendo que sim ou que não só para agradar, também há gente que se serve do anonimato para mentir e enganar descaradamente, ou adopta um personagem para conseguir atingir os seus objectivos.

Quem usa esta postura, normalmente não tem nada de bom dentro de si para mostrar, e por isso não se mostra como é mas como gostaria de ser, ou vai transformando o seu personagem ao sabor do que lhe é mais conveniente.

A mentira, a falsidade e a hipocrisia fazem parte do nosso dia-a-dia, e todos nós estamos habituados a conviver com isso, mas na net, essa forma de estar atinge contornos bastante perigosos, principalmente porque são muito difíceis de detectar e porque os efeitos são simplesmente devastadores.

As personagens que cada um encarna, são criadas e testadas ao longo do tempo, e aperfeiçoadas à medida que certos aspectos vão sendo desmascarados. Um gajo inventa um nome bonito, uma profissão pomposa e que seja atraente a uma mulher, um estado civil conveniente, e um enredo à volta da sua vida que lhe permita manter afastadas da sua vida privada as possíveis pretendentes. Se alguma coisa falhar com uma namorada ou amiga colorida, na próxima esse aspecto já está corrigido. Ao fim de dez namoradas, a personagem está suficientemente testada, e é muito difícil alguém conseguir detectar falhas ou incoerências no enredo que lhe é apresentado. Tudo bate certo, e há respostas na ponta da língua para qualquer questão que se lhes ponha.

Outro factor que torna a mentira e a falsidade muito fáceis de praticar na net, é que enquanto na vida real uma pessoa que engana outra tem que viver com a vergonha de ter sido desmascarado, e encarar as pessoas que enganou, na net, caso as coisas corram mal, o salafrário só tem desaparecer de vez e nunca mais ninguém lhe põe a vista em cima. Muitas vezes nem sequer chega a ser confrontado com a mentira, porque desaparece antes de rebentar a bronca.

Se há homens que optam pela mentira para conseguirem os seus objectivos, também algumas mulheres que estão interessadas em arranjar um namoro com continuidade ou mesmo um companheiro para viverem ou casarem, mentem em relação ao seu passado recente.

Enquanto as mulheres que vivem sozinhas e assim querem continuar, assumem os namoros ou amigos coloridos que tiveram ou ainda têm, as que pretendem um relacionamento continuado contam uma história bem diferente. Como a ideia é arranjarem um relacionamento fixo, e sabendo que a generalidade dos homens não gosta de mulheres muito usadas para suas companheiras e mãe dos seus filhos, não arriscam prejudicar um possível relacionamento com alguém por quem estão interessadas, e escondem a quantidade de relacionamentos que têm tido desde que estão separadas.

A história é muito semelhante de umas para as outras. Estão separadas há determinado tempo, e desde aí até agora nunca tiveram com mais nenhum homem, porque ainda estão muito magoadas com a separação ou ainda não encontraram alguém que lhes interessasse conhecer, e o interlocutor é sempre o primeiro homem pelo qual elas se mostram interessadas em marcar um encontro. Dizem que não procuram sexo na net e que não são mulheres de quecas, mas não excluem a hipótese de um relacionamento mais íntimo caso o interlocutor lhes desperte interesse nesse sentido.

Mas para se perceber melhor as razões e as vantagens de se mentir a coberto do anonimato, e as consequentes desvantagens para quem é enganado, nada melhor que contar algumas historias vividas por amigas minhas e que fui acompanhando à medida que se desenrolavam. (ler H003 e H004)


(ler H003 Viver à conta e H004 Mentiras perigosas)

xarmus

Foto 004

H004 Mentiras perigosas


H004 Mentiras Perigosas

Um dia conheci uma rapariga de 33 anos que estava separada há dois anos, e vivia sozinha com um filhote de 7 anos. No decorrer das nossas conversas de msn, fomo-nos conhecendo mutuamente e fomos cimentando uma amizade que rapidamente se tornou colorida. Inicialmente ela disse-me que não tinha amigos coloridos e nem era isso que procurava na net, mas conforme me foi conhecendo melhor, e depois de eu lhe ter dito que não estava interessado em relacionamentos sérios, e de ela ter visto que eu era um homem completamente liberal e despreconceituoso, lá me confessou que já tinha tido uns amigos coloridos.

Apesar de darmos umas quecas de vez em quando, e de mantermos um relacionamento com alguma frequência de encontros, partilhávamos um com o outro as historias dos engates que íamos fazendo na net. Nunca me levou a mim ou qualquer outro amigo colorido a casa dela, porque vivia com o filho e não queria que o filho conhecesse nenhum amigo colorido. Dávamos umas quecas bem desinibidas com muita cumplicidade, e até trocávamos conhecimentos adquiridos com outros parceiros, mas nunca passámos para um envolvimento mais amoroso, era mesmo só sexo e amizade.

Lembro-me de um dia estar a penetrá-la por trás, e já doidinho de lhe ver o buraquinho do rabinho a rir-se para mim, lhe ter perguntado se me deixava papar-lhe o cuzinho, ao que ela me respondeu que não gostava, e que já tinha tentado com o ex-marido mas que lhe tinha doido muito e que não queria voltar a experimentar. Um dia telefonou-me:

M - está Luis?
L – sim...
M – queria pedir-te um favor...
L – Claro linda... diz
M – a semana passada conheci um homem maravilhoso, já saímos 3 vezes e ele está apaixonado por mim, e eu também estou apaixonada por ele, foi amor à primeira vista, e queria pedir-te que não me contactasses. Ele não sabe das minhas amizades coloridas, e não me convinha nada que me contactasses ou enviasses aquelas tuas mensagens depravadas porque ele pode apanhar alguma coisa e eu estava logo lixada.
L – Claro linda, fico muito feliz por ti. És uma querida e mereces tudo de bom desta vida. Podes ficar descansada que eu não volto a contactar-te.
M – É possível que possamos conversar às vezes pelo msn, não queria perder o contacto contigo, mas não quero ter mais sexo contigo. Estou apaixonada e não lhe quero ser infiel. Entendes isso?
L – entendo isso perfeitamente. Mas isso não foi assim um pouco precipitado? Se só o conheces há uma semana...
M – Eu sei, mas foi assim uma química que eu nem te sei explicar, mas ele é a minha alma gémea, eu sinto isso... sabes como é?
L – Sei, mas também fico preocupado contigo. Acho que devias ir com calma até o conheceres melhor. Como costumo dizer às amigas, dá a cona mas não dês o coração. Já pensaste se ele só quer dar umas quecas e se depois te deixa pendurada?
M – Nem penses nisso... eu sinto que ele está doidinho por mim. Achas que são todos como tu? Que só queres comer as gajas e que não queres nada de sério? Ele é de boas famílias e é um homem de princípios, e quer um relacionamento sério comigo.
L – Mas tens contactos dele? Sabes onde vive? Onde trabalha?
M – Ele está em processo de divórcio e não quer que eu o contacte para casa, porque não quer que a mulher dele saiba que ele tem um relacionamento, mas daqui a 2 meses já vai estar divorciado e vamos poder assumir o nosso relacionamento... estou tão feliz.
L – ok linda. Tudo bem, desejo-te as melhores felicidades. Vai dizendo alguma coisa pelo msn quando estiveres sozinha.
M – Eu vou deixar de usar aquele msn, mas se puder ligar eu vou dizendo coisas. Beijos
L – Beijos
Durante umas 3 semanas nunca mais ouvi falar dela. Um dia estava a trabalhar com o msn ligado, e entrou ela a enviar um beijinho.
L – Olá linda… tudo bem contigo?
M – Está tudo óptimo. Vim dar-te uma novidade... o Carlos pediu-me em casamento. Estamos a pensar casar daqui a 3 meses. O divórcio dele está quase concluído e depois vamos poder casar. Depois posso conhecer a filhota dele. Temos passado dias juntos, e ele já dormiu umas vezes cá em casa, é um querido para o João e o João gosta muito dele também. Estou tão feliz... já tinha perdido a esperança de encontrar alguém para refazer a minha vida.
L – Que maravilha linda... fico feliz por ti. E já sabes mais alguma coisa dele? Onde trabalha? Já lhe ligaste para algum número fixo?
M – Não... ele não gosta que lhe liguem para o trabalho. Ele é arquitecto e tem uma empresa. Às vezes é a secretaria dele que me liga e depois passa-lhe a chamada: - vou passar ao senhor arquitecto.
L – sim... mas isso não quer dizer nada. E o número fica registado no teu telemóvel?
M – não... é numero anónimo... mas qual é o teu problema? Lá tas tu a desconfiar de tudo e de todos... cá para mim estás com ciúmes.
L – não estou nada linda... só continuo a pensar que devias ter mais informações acerca dele. Teres um número fixo... saberes onde ele trabalha... teres qualquer coisa mais palpável sem ser só um número de telemóvel... já conheci muita gente na net e sei montes de histórias idênticas que acabaram mal. Já pensaste que se ele quiser desaparecer nunca mais tens maneira de saber dele?
M – Já te expliquei que ele não gosta que lhe telefonem para a empresa nem para casa por causa do divórcio dele que ainda não está concluído. Mas tu achas que eu sou parva?... se não fosse verdade eu já tinha dado por isso. Pensas que são todos como tu que só queres dar umas quecas? Ele é um querido, e já me pediu em casamento e tudo. Vamos passar a lua-de-mel às Maldivas... estivemos a ver sites na net aquilo é lindooooo. Uma água transparente e quentinha. Vamos para um resort construído em cima da água, em que o chão dos quartos é de vidro e vê-se os peixinhos por baixo do chão... e levam-nos o pequeno almoço ao quarto com montes de flores... estou tão feliz... Bem, tenho que desligar... beijocas boas.
L – beijocas linda... e fico muito feliz por ti... sério que fico.
M – Eu sei lindo... tu és um querido, mas às vezes és muito desconfiado... beijos
L – beijocas linda... Tudo de bom para ti. Desejo-te muitas felicidades.

Durante cerca de um mês não soube mais nada desta minha ex-amiga colorida. Até cheguei a pensar que afinal na net também havia histórias com final feliz, que diga-se de passagem, é raríssimo mas também há. Uma noite, recebo um telefonema dela. Não se percebia quase nada do que ela dizia no meio do choro e de tantos soluços:
M – Luis... preciso muito de falar contigo.
L – O que aconteceu linda?
M – Foi o Carlos... aquele estúpido enganou-me.
L – Mas enganou-te como? Com outra?
M – Não... enviou-me uma mensagem a dizer que ainda amava a mulher e que fez as pazes com ela, e para eu o esquecer. Passei o dia a tentar falar com ele e nunca me atendeu, e depois enviou-me outra mensagem... horrível, a dizer para eu não o chatear mais, que nunca gostou de mim, que só me quis comer, e que eu sou burra mesmo.
Não paro de chorar há 2 dias, não como nada e faltei ao trabalho, a minha vida desabou como num terramoto. Preciso muito de ti, de falar contigo, estou na cama há dois dias.
L – onde está o teu filho?
M – está na minha mãe, ele não me pode ver assim.
L – Queres que vá aí a casa e levo alguma coisa para comeres?
M – Fazias isso por mim? És um querido. Não precisas de trazer comida, não consigo comer nada.
L – Claro linda... tudo bem. Dá-me duas horas que já apareço aí… telefono-te pelo caminho para me dizeres onde moras, e tens que me prometer que tentas comer alguma coisa.
M – Está bem Luis... eu tento. Não consigo dormir, não consigo comer, estou-lhe com um ódio de morte... vê lá tu que aquele grandessíssimo cabrão até o cu me comeu. Eu dei-lhe tudo. O que é que eu vou dizer ao meu filho? Como vou explicar o desaparecimento do Carlos?
L – Tem calma... já falamos melhor. Deixa-me preparar aqui as coisas e seguir para baixo... até já.
Pelo caminho fui a pensar como é possível alguém fazer isto a outra pessoa? Tinha conhecimento de histórias parecidas, de gajos que mentem para conseguirem o que querem, mas com esta crueldade nunca tinha visto. Quanto mais pensava, mais entendia o porquê disto tudo.

O gajo apareceu na vida dela e acabou logo com a concorrência, tinha a menina às ordens sempre que queria estar com ela, jantava e dormia em casa dela, nunca precisou de pagar motel, andou a comer uma mulher apaixonada com tudo o que isso representa em termos de entrega, sem ter que comprar preservativos, e ainda lhe comeu o cu. Desapareceu cobardemente sem deixar rasto e sem ter que enfrentar a situação.

Ele conseguiu dela coisas que eu com a minha sinceridade nunca consegui. De facto, as circunstâncias provam que existem fortes razões para um homem mentir. Mentir compensa, e é por isso que tanta gente anda a mentir na net. Eu que nunca tive nada do que ele teve, ainda tenho que ir ajudar a dama a recuperar do embate, e dar-lhe o ombro amigo, apesar de tanto a ter avisado de que isto podia acontecer. É claro que estas coisas também acontecem fora da net, mas não com esta facilidade e principalmente com esta impunidade. O homem desaparece com a maior das facilidades e no dia seguinte parece que nada se passou, e pode procurar uma próxima vítima para repetir tudo novamente.