Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


30.6.10

Conversa 033 Sónia 18 C01

Sonia 18 (19:14): beijinhos
xarmus (19:14): Beijocas boas
Sonia 18 (19:14): e quando vier a lisboa e quiser vim te cmg diz alguma coisa ta?
xarmus (19:16): claro delicia
não me vais escapar
temos umas contas a ajustar... hehehehe
Sonia 18 (19:20): e tem k ser rapido
se nao perco a pica
xarmus (19:20): hehehehehehehe…

28.6.10

Foto 028

Conversa 031 Paula 39 C02

xarmus (22:30): tenho que te ir fazer uma visita um dia destes...
xarmus (22:30): para fazermos umas malandrices...
Paula 39 (22:30): malandro
Paula 39 (22:31): sabes q preciso de aquecimento
xarmus (22:32): claro... eu dou-te uns amassos... só é preciso que queiras... sem quereres... tambem não consigo fazer nada
Paula 39 (22:32): mm q não queira
Paula 39 (22:33): se te puseres com mel é dificil resistir
tb n sou de ferro
xarmus (22:33): hhuummmmmm... isso é maravilhoso... bigada pela dica... hehehehehehehehehe
Paula 39 (22:33): lol
xarmus (22:33): nós somos da facto muito diferentes...
xarmus (22:34): e eu tenho alguma dificuldade em saber como lidar contigo
Paula 39 (22:34): mas tu gostas
xarmus (22:34): não é muito o meu estilo... mas pode ser bom
Paula 39 (22:36): eu penso q tu ainda nao percebeste q para fazer amor com alguem tem de haver alguma magia no ambiente
Paula 39 (22:37): não gosto de ir directa ao assunto
xarmus (22:37): eu adoro ir directo ao assunto... e que tudo seja consentido... não estar com a ideia de que estou a fazer algo que a outra parte não queira... não gosto de "dar a volta"
xarmus (22:38): parece que estou a enganar
Paula 39 (22:38): eu nunca me senti enganada por ti
xarmus (22:38): e tu podias experimentar esta minha maneira de fazer as coisas... aliás... acho que já o fizemos... e foi bom... acho que gostaste
Paula 39 (22:38): sempre gostei de estar contigo
Paula 39 (22:39): nao foi pela tua experiência
isso fez-me sentir inibida
como te disse na altura eu sei q estamos anos luz de distancia
Paula 39 (22:40): alem disso sei q tens varias experiencias neste campo
q tb não me interessam
o facto o q me atrai mais em ti
é simplesmente a conversa q flui naturalmente
Paula 39 (22:41): e de permitires q me sinta à vontade
se eu nao quiser fazer alguma coisa sei q não te vais chatear
nem ter atitudes parvas
xarmus (22:41): claro que não delicia
Paula 39 (22:42): e eu sinto q posso falar contigo sobre tudo
pra mim é de extrema importância
ou seja é o mais importante
xarmus (22:42): embora tu aches que há "nãos" querem dizer sim... eu não penso assim… e pelos vistos é uma coisa que tu gostas
Paula 39 (22:43): é aí q está a magia lol
xarmus (22:43): e gostava de poder jogar limpo contigo e tu comigo...
ou seja... que para mim um não teu fosse mesmo um não
Paula 39 (22:43): eu percebo o teu ponto de vista
entende uma coisa...
Paula 39 (22:44): imagina q estamos naquele clima de mel
se me fizeres uma pergunta...
xarmus (22:44): mas para isso também é necessário que se te apetecer me consigas dizer sim... se quiseres mesmo
Paula 39 (22:44): querida queres assim, ou de outra forma...?
é suficiente pra quebrar o meu ritmo
xarmus (22:45): hhuummm entendo... vou tentar não perguntar nada
Paula 39 (22:45): pra fazer amor preciso de silêncio
o corpo e os gestos falam por si
xarmus (22:45): mas acho que se te perguntar e se tu quiseres de determinada maneira... é bom para ti poderes dizer o que queres
Paula 39 (22:46): pra isso tb tem de haver sentimento, conhecimento, etc
xarmus (22:46): mas agente entende-se... eu também estou a aprender a lidar contigo
Paula 39 (22:46): é quase como jogar à sueca
xarmus (22:46): és a única pessoa que conheço que funciona de forma diferente
Paula 39 (22:47): q bom
YES
lol
xarmus (22:47): mas é mais difícil para mim relacionar-me contigo dessa maneira
mas posso tentar
Paula 39 (22:47): mas eu gosto assim
Paula 39 (22:48): e eu tb senti q te sentiste bem comigo
aliás muito bem mesmo
xarmus (22:48): muito...
Paula 39 (22:48): transmitiste alguma calma
e as coisas funcionaram perfeitamente
xarmus (22:49): mas foi mais difícil...
sim... acabaram por funcionar
xarmus (22:50): tenho que te fazer uma visitazinha...
até porque tenho que cuidar do teu bem estar...hehehehehehehe
Paula 39 (22:50): sim
Paula 39 (22:51): é triste o q vou dizer
mas a outra parte esta a começar a desiludir-me
xarmus (22:52): então??
Paula 39 (22:52): não sei nada dele
desde sexta...
Paula 39 (22:53): não é dramatico
mas a comunicação pra mim é fundamental
e ha momentos em q ele se esquece...
Paula 39 (22:54): e começo a pensar q nao preciso das migalhas do tempo dele
xarmus (22:54): pois...
xarmus (22:55): não deves ficar dependente dele...
senão ainda te magoas
Paula 39 (22:57): alias identifico.me mto com ele
não é uma questão de dependência
mas realmente é como dizes
Paula 39 (22:58): enquanto estiver com ele não consigo
ter interesse por mais ninguém
por incrível q pareça há realmente 1 grande compatibilidade
mas eu tenho presente q ele é casado
xarmus (22:59): tens que manter a distância necessária...
Paula 39 (22:59): é que quem estabelece o contacto é ele realmente
xarmus (22:59): dele e de todos os outros que saibas que não pode resultar
eu incluido
não te deixares envolver emocionalmente
Paula 39 (23:00): ha uma coisa q me deixa estupefacta
como conseguem voces homens controlar os sentimentos
xarmus (23:00): pois... cada caso é um caso
xarmus (23:01): e as razões dele são diferentes das minhas... e diferentes dos outros…
os homens quando são casados... e se metem nestas coisas... mentalizam-se de que não se podem apaixonar... porque isso vai alterar completamente a vida deles...
xarmus (23:02): e fazer com que percam muita coisa que já construíram
xarmus (23:02): e há os outros que não construíram nada... são solteiros... mas também não querem perder a liberdade que têm ...e que gostam de variar de mulher... gostam de caçar... de engatar... e isso só dá para fazer com novos conhecimentos… as que já engatámos já não dá para voltar a engatar… um coisa que vocês mulheres nunca entendem e recusam aceitar, é que os homens são poligâmicos por natureza. Por educação, por influencia da sociedade, e até geneticamente. As mulheres é que gostam de pensar que não. Mas somos. Mesmo amando uma mulher, os homens conseguem comer outras. A única fase em que os homens são monogâmicos, é quando estão apaixonados. De qualquer modo toda a gente sabe, homens e mulheres, que estar apaixonado ou amar mais cedo ou mais tarde traz sofrimento e os homens têm medo disso. De sentir ciúmes, da amada os trocar por outro. As razões são muitas, e muitas vezes conjugadas umas com as outras, ou seja, não é só por uma razão, mas por um conjunto de razões. E mais… como os homens são poligâmicos, sabem que mais cedo ou mais tarde a namorada vai apanhá-los e vai vingar-se, e também não querem passar por isso. Se pensássemos com calma… ainda íamos encontrar mais razões.
xarmus (23:02): acho que isto responde à tua pergunta
Paula 39 (23:02): ms eu nao posso estar ao dispor dele
xarmus (23:03): claro que não... não deves mesmo
deves fazer a tua vida, seguir o teu caminho
Paula 39 (23:03): é o q tenho feito
xarmus (23:04): e dar-lhe a ele a importância que ele te dá a ti
Paula 39 (23:04): por isso evito ao máximo entrar em contacto com ele
é ele q entra sempre em contacto comigo
Paula 39 (23:05): eu ja lhe disse q detesto esta "ausência"
xarmus (23:05): este historico era digno de ser publicado em blog
hehehehehehehehehehe
Paula 39 (23:05): podes fazê.lo
xarmus (23:05): responde a perguntas e ansiedades de muitas mulheres
Paula 39 (23:05): lol
xarmus (23:05): és uma querida...
Paula 39 (23:06): eu tb percebi q te estavas a aproveitar...
lol
eu tb me sinto bem em poder ajudar
xarmus (23:07): não... não pensei nisso... só agora me surgiu a ideia… mas a conversa tomou um rumo que a tornou interessante para ser partilhada com outras pessoas
Paula 39 (23:07): é por isso q gosto de ti
lol
Paula 39 (23:08): nem imaginas a dificuldade q tenho em conversar sobre estes temas com as pessoas
sabes q é preciso algum cuidado pra isso
apenas tenho uma amiga com quem realmente a conversa se torna natural
Paula 39 (23:09): e me sinto à vontade pra falar
por sinal tb tem a tua idade...
e se calhar até ias gostar de a conhecer
xarmus (23:09): já sabes que comigo podes falar de tudo e perguntar tudo o que quiseres
Paula 39 (23:09): lol
xarmus (23:10): gosto de conversar contigo... também me é útil perceber o lado das mulheres
gosto da nossa amizade
só gostava que fosses mais depravada... puta mesmo
hehehehehehehehehehe
Paula 39 (23:11): vai ser dificil
xarmus (23:11): e não ter que te dar a volta para te papar
Paula 39 (23:11): gosto de ser assim
sou romantica
e nao pornografica
xarmus (23:12): não é que eu não goste de te dar uns amassos... mas preciso de sentir a vontade do outro lado... e que não tenhas vergonha em demonstrá-lo
Paula 39 (23:13): isso acontece pq eu sei q estas habituado a outro tipo de acção
xarmus (23:13): mas depois desta conversa... já sei que gostas...
xarmus (23:14): e que tenho a tua autorização para te "levar" para a cama
mas eu ainda vou fazer com que sejas depravada para mim
xarmus (23:15): mesmo que mantenhas essa postura com outros... que te fica bem... tenho esperança que comigo ajas de outra forma
Paula 39 (23:15): tenho de te conhecer melhor
Paula 39 (23:16): e pra isso teria de me apaixonar por ti
queres q me apaixone por ti????
lol
xarmus (23:16): acho que não era boa ideia...
mas acho que podes conseguir ser mais directa e depravada comigo mesmo sem te apaixonares por mim… tu é que fazes questão em ser diferente das mulheres que estou habituado a ter.
xarmus (23:17): aliás... consegue-se melhor quando não estamos apaixonados...
Paula 39 (23:17): é q se me habituas mal, começo a gostar muito e querer mais
Paula 39 (23:17): e sou mto chata
xarmus (23:18): quando sentimos amizade... e cumplicidade com o outro lado... torna-se muito fácil sermos directos e sermos autênticos... sem estarmos a fazer filmes... nem joguinhos
e nós temos amizade e cumplicidade para isso... falamos de tudo abertamente..... e somos sinceros e autênticos um com o outro
xarmus (23:19): inclusivamente aceitando as diferenças um do outro
Paula 39 (23:19): ok
então vou explicar mais uma coisa
Paula 39 (23:20): pra q fikes mais baralhado ainda
xarmus (23:20): hehehehehehe
xarmus (23:20): obrigado por me facilitares as coisas...
hehehehehehehehehehe
Paula 39 (23:20): qd estou com uma pessoa q preenche o q sinto falta
Paula 39 (23:20): não preciso de andar à procura de mais ninguém
percebes?
Paula 39 (23:21):ou nem por isso ?
xarmus (23:21): completamente...
tu e mais uma porrada de gente
acho que te posso preencher um vazio... mas não preencho todos… mas a coninha preencho bem…. heheheheheheheh
xarmus (23:22): assim como o teu amigo tambem não
Paula 39 (23:22): é o q me está acontecer neste momento com este rapaz
qd ele quer é realmente fantastico
xarmus (23:23): pois... mas eu acho que já percebeste que ele não é futuro para ti... e portanto tens que vê-lo com a distância necessária a não te prejudicar a vida
e que tenhas apetência para procurar o ideal
Paula 39 (23:23): a merda é essa...
qd acordo pra realidade...
é mesmo frustrante
Paula 39 (23:24): e eu sei lá qual o ideal pra mim????
xarmus (23:24): pois... mas não deves sonhar.... a realidade deve sempre estar presente
Paula 39 (23:24): eu neste momento sei o q não quero...
xarmus (23:24): e já é muito bom… há quem nem isso saiba
Paula 39 (23:24): o que quero..........
Paula 39 (23:25): por exemplo....
xarmus (23:25): o ideal para ti... penso eu, e corrige-me se estiver errado... é teres alguém para viver contigo...ou pelo menos para namorar a tempo inteiro
só para ti
Paula 39 (23:25): sim passa por isso
Paula 39 (23:26): mas não quero ninguém aqui em casa
xarmus (23:26): ou mesmo que dê umas curvas por fora... mas que te dê a atenção que precisas e mereces
Paula 39 (23:26): sim é isso...
mas não quero o compromisso de lavar roupa,
fazer comer, ter horarios
etc
xarmus (23:26): mas nem eu nem ele servimos para isso... por razões diferentes
xarmus (23:27): ele serve-te melhor do que eu... mas mesmo assim não é o que tu precisas
xarmus (23:28): a mim... deves ver-me como um amigo com quem podes falar de tudo e se ou quando quisermos e pudermos, trocamos prazer
Paula 39 (23:29): contigo penso q estou à vontade...
xarmus (23:29): a ele... deves ver como um namoro temporário... em que dá para passeares... e brincares... e também dar umas quecas quando quiserem e puderem
Paula 39 (23:29): mas tu és 1 homem eu sou 1 mulher
td pode acontecer sempre
Paula 39 (23:30): acontece q os passeios estão a desaparecer...
xarmus (23:30): mas deves estar aberta a conhecer outros gajos.. que te possam servir melhor que qualquer um de nós
Paula 39 (23:30): e eu ja lhe disse q só sexo não me interessa
Paula 39 (23:31): até pq perco o interesse... deixo de ter vontade...
xarmus (23:31): pois... aí ele torna-se mais parecido comigo... com o problema de não te fazer sentir tão bem na cama como eu consigo
Paula 39 (23:31): vou contar-te o último episódio...

27.6.10

Conversa 030 Marta 42 C06

xarmus (17:30): acho que terça à tarde é uma boa altura
Marta 42 (17:30): se me arranjares um espacinho, agradecia...
Marta 42 (17:30): uma brecha
Marta 42 (17:30): para uma fodazinha
xarmus (17:30): claro... com todo o prazer
Marta 42 (17:30): dás o jeito?
Marta 42 (17:31): agradeço muito
xarmus (17:31): não é jeito nenhum... é com todo o prazer
Marta 42 (17:31): eu não me mexo
Marta 42 (17:32): sou boazinha, podes começar a esticar-te
Marta 42 (17:33): podes amarrar-me, se te dá prazer...
Marta 42 (17:33): tudo bem
xarmus (17:33): és uma querida
Marta 42 (17:33): pois sou
Marta 42 (17:33): e devo estar maluca
Marta 42 (17:34): com tantos gajos atrás de mim, e só penso em ti...
Marta 42 (17:34): só gosto de foder contigo
xarmus (17:34): porque eu sou um querido também
Marta 42 (17:35): fizeste algum feitiço?

D005 Breve explicação

Na sequência de perguntas que me têm feito em relação à autocaravana e ao meu trabalho, e a relação disto tudo com as quecas, deixo aqui uma breve explicação.

Na minha profissão, tenho muitas vezes que me deslocar a cidades onde estão a decorrer obras dos projectos que crio. Os projectos normais não necessitam de uma permanência nas obras porque têm projecto de execução, mas nos casos das remodelações de espaços comercias, apesar de também terem projecto, surgem sempre problemas, e são necessárias adaptações ao local, que obrigam à minha visita e muitas vezes permanência nos locais dos trabalhos. As reuniões com clientes e fornecedores também me obrigam a viajar por todo o país. Estas movimentações profissionais obrigavam-me a ficar muitas noites em hotéis, e ter que programar as reservas, cumprir horários, e claro ter que viajar com hora de chegada. Esta forma de trabalhar e de dar assistência no local das obras, tinha muitos inconvenientes. Era uma maçada fazer as malas, e carregar uma porrada de tralha que tinha sempre que levar comigo. Por outro lado, nas obras, não tinha condições para trabalhar no computador, nem de fazer um simples telefonema. Um estaleiro é sempre uma zona suja e com muito barulho. Tinha que resolver este problema, e arranjar maneira de trabalhar de forma mais prática. Foi assim que me surgiu a ideia de comprar uma autocaravana, que me podia servir de escritório móvel e de residência e assim estar presente nas obras sempre que fosse necessário. A autocaravana estava sempre preparada com tudo o que podia necessitar, e sempre pronta para viajar. Para além de ser um excelente escritório móvel que me permite trabalhar em qualquer sítio, a autocaravana é uma casa. Equipada com cozinha completa, W.C. com duche e água quente, TV, bicicleta, permite estar sempre pronta com tudo o que possa fazer falta, desde medicamentos a ferramentas de trabalho. Sempre que preciso de viajar, é só pegar na mala de trabalho, no portátil e na máquina fotográfica e lá vou eu para onde for necessário com tudo o que me possa fazer falta para viver com conforto e qualidade. Posso viajar de noite, parar para dormir pelo caminho, chegar durante a madrugada ao destino e estacionar com facilidade, ter comida no frigorífico e estar rodeado de tudo o que preciso para trabalhar e viver com excelente qualidade de vida. De manhã posso dar uma corrida ou uma voltinha de bicicleta antes do banho, e depois do pequeno-almoço estar pronto para trabalhar à primeira hora da manhã. Se estacionar durante a noite no local de trabalho, no dia seguinte já lá estou sem ter que apanhar as filas de trânsito da manhã. Outra vantagem enorme, é que nos casos em que se tem que trabalhar durante a noite para acabar a obra dentro do prazo, tenho sempre escritório e casa à porta. Outra coisa boa, é ter um guarda-roupa sempre disponível e ter a possibilidade de passar o dia vestido informalmente, de fato de banho ou mesmo nu, e só me vestir para ir a reuniões. Poder tomar um banho logo no local da obra no fim de um dia de trabalho. Enfim, as vantagens são muitas, e a minha vida de nómada que era um sacrifício, passou a ser um prazer imenso. Para além disto tudo posso sempre tirar um dia ou outro para visitar locais bonitos ou acampar em praias. Embora goste muito de estar sozinho, às vezes sentia falta de conversar, e como andava sempre em cidades diferentes, comecei a procurar na net forma de conversar e conhecer pessoas. Nesta altura, há cerca de uns doze anos atrás, tinham começado a aparecer chats e sites onde as pessoas se encontravam anonimamente em salas de conversa. Lembro-me do mIRC por exemplo. O mIRC tinha dezenas de salas de conversa escalonadas por cidades ou temas, e era uma maneira gira de conversar com pessoas das cidades onde me encontrava. Como nunca estava muito tempo em cada cidade, sempre que começava a criar alguma empatia com alguém, já era tempo de ir embora. Comecei a fazer o trabalhinho de casa, e mal sabia que ía ter uma obra numa determinada cidade, começava com alguma antecedência a travar conhecimento com mulheres daquela cidade, para quando lá chegasse aproveitar para as conhecer pessoalmente, ter companhia para jantar, beber um copo ou dar uma queca se fosse caso disso. Rapidamente percebi que a autocaravana era uma mais-valia para me encontrar com mulheres que não queriam ser vistas acompanhas, ou ser apanhadas a namorar dentro do carro, ou serem vistas a entrar para um motel. Depois de conversar e de criar a necessária empatia para nos encontrarmos, bastava virem ter comigo ao local onde me encontrava, e podíamos conversar ou quecar com todo o conforto e privacidade, sem eu nunca saber quem são ou onde moram, e sem serem vistas comigo. Devido a estas condições, também se tornava muito fácil encontrar-me com mulheres comprometidas ou mesmo casadas. Desta forma, comecei a ter amigas nas cidades por onde passava. Estes encontros aconteciam quase todos uma única vez, e raramente se repetiam, de qualquer forma fiz muitas amigas, e continuo a ter contacto com muitas delas através de msn, e claro, a ser bem recebido se voltar a passar na cidade delas.

25.6.10

Foto 027

Conversa 029 Maria 36 C01

xarmus: Agora lambia-te toda... e depois comia-te
Maria 36: não me devias dizer essas coisas...
Maria 36: que fico logo toda à toa...
Maria 36: ehehheehheheehhehe
Maria 36: ai... que saudade...
Maria 36: e vou-me pôr tão a jeito...
Maria 36: para me foderes como uma cadelinha...
Maria 36: e quero muitos miminhos
Maria 36: e beijinhos
Maria 36: e maldades também
Maria 36: e ficar debaixo de ti...
Maria 36: hhhhuuuuummmmmmmmmmmmmmmm
Maria 36: contigo sinto-me mulher como nunca me senti...
Maria 36: é a tua juba
Maria 36: que me faz rolar de barriga para cima como uma gata
Maria 36: para me dar
Maria 36: e como gosto que te apoderes de mim!
xarmus: voltei… desculpa, tive que ir ali
xarmus: bem… assim fico sem graça… nem sei que dizer
Maria 36: olá meu anjo
Maria 36: meu vício
Maria 36: minha perdição
xarmus: dá-me um momento... telefone não pára
Maria 36: estás à vontade
Maria 36: jesus... que vício!!!!!!!!!!!!!!!!!
Maria 36: não sei se é a tua pele...
Maria 36: se são as tuas mãos
Maria 36: os cachuchos do cabelo
Maria 36: a tua voz
Maria 36: aquele olhar malandro
Maria 36: seja lá o que for...
Maria 36: perco-me por ti
Maria 36: e derreto de pensar nisso
Maria 36: tens-me dado muita alegria
Maria 36: e tens-me feito muita companhia... naquele verdadeiro sentido de estar acompanhado...
Maria 36: e tenho-me fartado de aprender coisas contigo
Maria 36: és um bicho extraordinário
xarmus: voltei… ó pra mim todo babado... depois dizem que sou convencido
Maria diz: (e o sexo... vai lá vai...ehehehheehhe)
Maria 36: meu anjo...
Maria 36: eu vou sempre ter tempo para ti
Maria 36: é um prazer enorme privar contigo
Maria 36: para além do resto, claro!!
Maria 36: eheheheheheeh
Maria 36: és uma das pessoas mais admiráveis que já conheci
Maria 36: e olha que eu sou bem exigente...........
xarmus: ó pra mim a babar... e esses elogios vindos de ti que também és uma das pessoas mais admiráveis e extraordinárias que já conheci... sabem mesmo muito bem.

Conversa 028 Marta 42 C03

Marta 42 (23:22): para a semana vêns fazer uma ronda às tuas gajas?
xarmus (23:23): talvez....
Marta 42 (23:23): ou estás muito ocupado?
xarmus (23:23): gostava...
xarmus (23:23): mas não sei se consigo
xarmus (23:24): isto está apertado de trabalho
Marta 42 (23:24): se vieres podes incluir-me?

23.6.10

Foto 026

Conversa 027 Naiara 42 C02

Naiara 42 (16:06): oi babys
xarmus (16:07): Olá delicia
tudo bem contigo?
Naiara 42 (16:07):por acaso to a ler seu site agora
xarmus (16:07): hehehehehehe
Naiara 42 (16:07): ta tudo bem contigo???
xarmus (16:07): não devias de ler... depois ficas com ciúmes
hehehehehehehehehehe
tá tudo bem
saudadinhas de te comer apenas
de resto... tudo bem
Naiara 42 (16:07): pois .... toda vez que leio quase morro...
Naiara 42 (16:07): por saber que nao passei de mais uma
Naiara 42 (16:08): mas apesar de tudo ta um espetaculo!!!!!
xarmus (16:08): nada disso... gostei muito de ti... e repeti muitas vezes contigo... que é uma coisa rara... foste mais uma, "especial".
visto dessa maneira... eu também não passei de mais um para ti… cada vez que vamos para a cama com alguém, somos mais um, uns para os outros.
Naiara 42 (16:08): qualquer dia devíamos repetir
xarmus (16:08): também acho
Naiara 42 (16:09): tenho saudades
xarmus (16:09): também eu
Naiara 42 (16:09): qdo tiver disponibilidade podiamos combinar
xarmus (16:17): acho muito bem
era uma maravilha
Naiara 42 (16:17): qdo quiser entao babys… é so dizer
xarmus (16:18): que bom linda... óptimo… eu digo

Conversa 026 Marta 42 C04

Marta 42 (18:29): Olá criatura viciante e dono do melhor caralho que já conheci!
xarmus (18:31): hehehehehehehehehehehehehehehe
Marta 42 (18:31): desde que o experimentei nunca mais quis outro...
xarmus (18:32): és podre de boa mulher
Marta 42 (18:32): sou toda tua
xarmus (18:33): és uma delicia…
Marta 42 (18:34): e tu és um monumento d homem
xarmus (18:34): bem... já estou a babar
Marta 42 (18:34): deviam fazer-te uma estátua...
Marta 42 (18:35): com um grande caralhão
xarmus (18:35): e depois de eu morrer.... Embalsamar o caralho
xarmus (18:35): hehehehehehehehehe
Marta 42 (18:36): depois já não serve para nada
Marta 42 (18:36): a alma do caralho és tu
Marta 42 (18:38): apetece-me dar-te imensos elogios
xarmus (18:39): tás à vontade... já tenho é a secretaria toda babada...
Marta 42 (18:41): deve ser da febre
Marta 42 (18:41): e são autênticos
Marta 42 (18:42): não sou muito de dar elogios
Marta 42 (18:42): pelo contrário
Marta 42 (23:49): mas nunca fiquei tão molhada como contigo
Marta 42 (23:49): é incrível
Marta 42 (23:50): isso tem a ver com a tal técnica?
Marta 42 (23:53): nunca pensei gostar de determinadas coisas que tenho experimentado contigo
Marta 42 (23:54): completamente loucas, é óptimo
xarmus (23:56): tudo o que seja sinceridade e partilha... melhora o sexo
Marta 42 (23:57): mas tu insultas-me, chamas-me nomes e acho que gosto
xarmus (23:57): que delicia...
Marta 42 (23:58): nunca ninguém me chamou tantos nomes

Conversa 025 Cátia 30 C03

Catia 30 (19:44): da ultima x pos-se com merdas e nem acabamos
Catia 30 (19:44): perdeu a tesao por causa de a cama quase se desconjunturar!!!
Catia 30 (19:44): quero lá saber da cama...
Catia 30 (19:44): ha la pretexto melhor p comprar outra?
Catia 30 (19:44): ;)
Catia 30 (19:44): eu bem te digo q preciso q me comas...

21.6.10

Foto 025

conversa 023 Marta 42 C02

xarmus (18:43): Era um rapaz cheio de moçoilas atrás…
Marta 42 (18:43): gosto mais de ti assim, como és agora
Marta 42 (18:44): grisalho e cheio de "charme"
xarmus (18:44): mas era bonito... rendiam-se ao meu olhar
Marta 42 (18:47): ainda és bonito
Marta 42 (18:47): e experiente
Marta 42 (18:47): e malandro
Marta 42 (18:48): e sensual
Marta 42 (18:48): e simpático
xarmus (18:48): hehehehehehehe
Marta 42 (18:48): com sentido de humor
Marta 42 (18:48): com bom corpo
xarmus (18:49): já estou a babar…

20.6.10

Mail 002

Olá

Já dei uma olhadela e gostei muito. Quando te conheci, já lá vão 6 anos, e me contaste algumas daquelas histórias, disse-te que devias escrever um livro e tu repondeste que haverias de fazê-lo. E fizeste! Não um livro mas ainda melhor, pois um blogue é muito mais interactivo, consegues ter o feed back de quem te lê. A propósito, se te deixar algum comentário ali, assinarei Adelaide. Assim saberás quem sou.

Ao ler alguns dos relatos que ali fazes, lembrei-me da minha própria experiência contigo... Guardo muito boas recordações de ti, és uma pessoa que gostei de conhecer e de ter na minha vida. Espero que esteja tudo a correr bem na tua vida.

Por acaso vim hoje a esta caixa de correio, que já não uso muito. Por favor toma nota do endereço que uso mais agora: ******************

Já pus o teu blogue nos meus "favoritos", vou continuar a "ler-te".

Um grande beijo
******

19.6.10

Conversa 020 Marta 42 C01

xarmus (20:42): não estavas molhadinha....
xarmus (20:42): estavas ensopada
Marta 42 (20:43): e ejaculei como um homem
Marta 42 (20:43): isso é que nunca me tinha acontecido...
Marta 42 (20:44): acho que tive orgasmo múltiplo
Marta 42 (20:44): nem sei bem
Marta 42 (20:44): foi sem duvida muito bom
Marta 42 (20:45): não é muito comum
Marta 42 (20:50): nunca mais te vou esquecer
Marta 42 (20:50): és um "marco" na minha vida sexual
Marta 42 (20:51): e "cota", quem diria?
xarmus (20:52): hehehehehehehehehe
xarmus (20:52): eu disse-te que era bom… tu é que me chamaste logo convencido.
xarmus (20:52): e que preferias putos novos... pelos vistos nunca tinhas provado um cota bom
Marta 42 (20:52): não podia adivinhar

18.6.10

Foto 024

H013 Engate Fast Food

Uma noite estava eu na zona de serviço da 2ª circular, onde tinha jantado uma pizza acompanhada de um tinto da talha de 2006. Tinha jantado ali para acabar um trabalho que tinha que apresentar no dia seguinte. Acabado o trabalho decidi ir ver se caçava alguma coisa para papar. Apetecia-me uma mulher que não conhecesse. Já sabia que era difícil à uma da manhã arranjar alguém para dar uma queca, mas apetecia-me tentar, e se tivesse a sorte de conseguir, deliciava-me com a caça. Caçar é mesmo assim, se conseguirmos comemos, se não conseguirmos ficamos a seco. Não sou caçador nem pescador de animais, mas quem for, entende o que digo. Liguei a net e fui ao site onde costumo ir, ver se seduzia alguém. Seleccionados os perfis online, procurei um que tivesse nas opções de escolha a possibilidade de sexo. Assim era mais certeiro, e àquela hora não era facil engatar alguém que já não tivesse essa predisposição. Só havia um perfil online com essas características, uma mulher de 39 anos, de Lisboa. Enviei a minha mensagem de apresentação, e passados dois minutos já estava a chamá-la para a conversa online. Ela aceitou.
Eu: - Olá
Ela: - oi… tudo bem?
Eu: - Tudo… estava melhor se tivesse companhia para a noite.
Ela: - Estás onde?
Eu: - Estou na zona de serviço da 2ª circular, numa autocaravana. Apetecia-me conhecer alguém para acabar bem a noite.
Ela: - Autocaravana? Vives aí?
Eu: - Não… é a minha casa quando viajo, mas tenho casa fixa, como as pessoas… hehehehehehe
Ela: - Hhuumm… e queres dar uma queca?
Eu: - Não estava a querer ser tão directo, mas de facto era isso mesmo que me apetecia. Queres ver fotos minhas?
Ela: - Não vale a pena… li a tua mensagem e gostei… e também me apetece dar uma boa foda… fodes bem?
Eu: - Heheheheheheh… dizem que sim
Ela: - Então vamos lá experimentar isso… sabes onde fica a Biblioteca Nacional?
Eu: - Sei
Ela: Então encontramo-nos lá daqui a 10 minutos…. Consegues?
Eu: - Claro… lá estarei
Ela: - Então até já
Ia dizer até já, mas ela já tinha desligado. Fiquei a pensar… jasus, isto foi mesmo rápido. Podia ser gozo, mas valia a pena ir até lá, e como estava mesmo pertinho, arrumei as tralhas e pus-me a caminho. Estacionei em frente à Biblioteca Nacional e depois de tudo fechado, fui lá para trás com intenção de ligar o portátil e pôr-me a arrumar fotos. Estava eu a tirar o portátil da mala quando sinto um carro a estacionar atrás. Apaguei as luzes para não ser visto e espreitei pela janela traseira. Dentro do carro, estava uma mulher a preparar-se para sair. Guardava as coisas na mala e escondeu-a debaixo do banco do pendura. Não havia dúvidas de que era ela. Fechei o estore da janela, acendi a luz e abri a porta. Ela chegou à porta e perguntou:
Ela: - Posso entrar?
Eu: - Força… entra.
Ela entrou. Marcar assim um encontro sem saber com quem, é um risco enorme, pode aparecer uma gaja horrível, mas com a minha sorte do costume, a mulher nem era nada má. Era magrinha mas fixe, e com um ar bem maroto. Deves gostar pouco… pensei eu.
Eu: - Queres beber alguma coisa?
Ela: - O que é que tens?
Eu: - Abri há pouco um tinto da talha de 2006
Ela: - Ui… chuta.
Fui buscar dois copos, e a garrafa do tinto.
Sentámo-nos a degustar aquele néctar maravilhoso.
Eu: - Posso falar à vontade?
Ela: - À vontadinha.
Eu: - Gostas de mamar?
Ela: - Adoro
Eu: - Vens-te a ser lambida?
Ela: - Venho-me de qualquer maneira.
Eu: - Gostas de levar no cu?
Ela: - Adoro… estou a ver que nos vamos divertir muito.
Eu: - Está-me a apetecer assim uma coisa bem depravada… deixas-me abusar? Chamar-te nomes? Puxar-te os cabelos? Fazer de ti gato sapato?
Ela: - Hé pá… nem digas mais nada que estou a ficar toda molhada… desde que me fodas bem… podes fazer o que quiseres.
Eu: - Então posso controlar a coisa ou também queres ter um tempinho para seres tu a fazeres o que quiseres?
Ela: - Adoro ser dominada e abusada… desde que me fodam bem. Portanto estás à vontade…. Já estou a ficar com calores…. Posso despir-me?
Eu: - Claro… Então podemos passar à acção?
Ela: - Ataca… Usa e abusa.
Eu: - Se não gostares de alguma coisa ou sentires que me estou a esticar demais… apita. É que se gostas de brincadeira da grossa, eu não posso estar sempre preocupado contigo e a perguntar-te se te está a saber bem… senão perde-se a autenticidade da coisa… ok?
Ela: - Ok chefe!

Despi-me rapidamente. Nesta altura já estava a ficar bem teso com a conversa, e quando tirei os boxers, já o caralho estava enorme e rijo que nem uma pedra.
Ela: - Ui…. Ganda pau… Vais ter que abusar com jeitinho no inicio…. Senão deixas-me já a cona feita num bolo.
Agarrei-a pelos cabelos e obriguei-a a enfiar o gostoso todo na boca.
Eu: - Agora vou foder-te a boca toda minha puta…
Agarrei-lhe na cabeça, e fodi-lhe a boca como se fosse uma cona. Ela estava excitadíssima, acho que gostava mesmo de ser abusada. Não tinha dúvidas de que estava perante uma mulher cheia de experiência, a julgar pela maneira como se deixava foder na boca sem se engasgar. Deitei-a de barriga para cima, mandei-a abrir as pernas e enquanto lhe fodia a boca, enfiei-lhe dois dedos na cona e massajei-lhe o ponto G, com o polegar encostado no clítoris. O movimento dos dois dedos que estavam na cona, fazia com que o polegar também se movimentasse um pouco. Não foram precisos muitos minutos para ela se vir de forma avassaladora. É muito bom ter o caralho na boca de uma mulher a vir-se. Depois de ela se vir, parei com o movimento dos dedos, e tirei-lhe o piço da boca. Mal apanhou a boca livre disse:
Ela: - Fode-me toda com esse caralhão gostoso.
Eu: - Já??? Não queres descansar um bocadinho?
Ela: - Descanso em casa… agora quero é que me fodas toda sem dó nem piedade.
Eu: - E tens preferência na posição?
Ela pôs-se de gatas e disse: - Fode-me os buracos todos… só tens que entrar devagarinho para não estragares nada…. És muito grosso…. Mas vai-me saber tão bem…
Tirei do armário a caixa dos preservativos, ia precisar de uns quantos para alternar entre aqueles buraquinhos gostosos que já se estavam a rir para mim. Comecei a fodê-la na cona, com movimentos de vai e vem lentos para ver até onde podia enterrar o gostoso. A rapariga embora não fosse muito grande, era funda de cona… dava para enterrá-lo todo até ao batente. Normalmente, pergunto se posso dar umas palmadinhas no rabinho, mas com ela pensei que era melhor não fazer perguntas estúpidas… estava mais que visto que ela estava habituada a tratamentos VIP. Era impressionante como aquela cona engolia tudinho até ao fim. Enquanto a fodia bem até ao fundo, ia dando umas boas palmadas naquelas nádegas até ficarem vermelhinhas.
Eu: - Não estou a magoar-te? (pergunta disparatada)
Ela: - Estica-te à vontadinha… não te acanhes que eu gosto de ser usada por um bom macho como tu.
Continuei a fodê-la com força enquanto lhe dava palmadas nas nádegas e lhe chamava nomes muito feios. Molhei o polegar na boca, e enquanto a ia fodendo na cona, enfiei-lhe o polegar no cuzinho para o ir preparando para o pior. Com o polegar no cu e a foder-lhe a cona à bruta, agarrei-a pelos cabelos e puxei para mim. Percebi que já não faltava muito para ela se vir novamente, e mantive o ritmo até ela se esporrar estrondosamente.
Já nem lhe perguntei se ela queira descansar, tirei-lhe o caralho da cona, e preparei-me para lho enfiar no cu (troca de camisinha). Estava de joelhos, e como precisava de mais altura, pus os pés na cama para ficar mais alto e enterrei-lho todo no cu. Aquela posição é óptima para se comer um cu habituado a ser comido. Entra tudo até ao fim. A rapariga começou a masturbar-se, completamente louca de prazer. Conforme o cu se ia habituando ao gostoso, eu ia aumentando o ritmo, até lho enterrar sem qualquer espécie de limitação. Fodi-lhe aquele cu guloso sem dó nem piedade, e ela não parava de dizer:
- come-me esse cu todo… com força… sim… fode-me…. Mais… mais…
E pronto… lá se veio mais uma vez… e vão 3.
Ela: - Não te venhas aí… quero beber esse leitinho todo…
Tirei o preservativo, e encostei-me confortavelmente com duas almofadas atrás das costas… e deixei-a deliciar-se a mamar-me no gostoso.
Ela: - Dá-me o teu leitinho… dá.
Chupou-mo todinho, muito gulosa, e até gemia de prazer enquanto mamava… estava mesmo desejosa de leitinho… uma delicia de se ver… e por fim, fez questão de beber todinho… uma delicia. Depois de me vir, ainda ficou a lamber-me com muita suavidade.
Ela: - Adorei este bocadinho… vou embora.
Eu: - Também adorei… muito bom mesmo.
Ela: - dás-me o teu número?
Eu: - Claro… *** *** ***
Ela: - Como te chamas?
Eu: - Luís
Ela: - Quero ter-te mais vezes… já te dou um toque para ficares com o meu…
Vestiu-se e saiu. Passados uns minutos recebo um toque. Peguei no telefone, fiz guardar, mas não sabia o nome dela. Ficou Biblioteca Nacional… hehehehehehe. E para quem se ficou a rir pelo facto de ela só ter perguntado o meu nome depois de me ter feito um ganda broche, podem rir-se mais um bocadinho, porque eu depois de a ter esfodaçado toda, nem o nome dela fiquei a saber.

16.6.10

Conversa 018 Maria 30 C02

xarmus diz (22:47): -lkjas-
Maria 30 (22:47): deves ser bruxo
Maria 30 (22:48): estava a pensar em ti... ;)
xarmus diz (22:48): *;)
xarmus diz (22:52): tenho que te ir fazer uma visitinha um dia destes
xarmus diz (22:53): para tratar desses buraquinhos como deve ser
devem andar a precisar... tadinhos
Maria 30 (22:54): hei hei hei ..... "Buraquinhos" é como quem diz
suponho que estejas a falar de DOIS!!! Vero?? :D
xarmus diz (22:55): claro
tu tens uma paranioa com o cu..
xarmus diz (22:56): eu nunca te fui nem nunca te quis ir ao cu linda
xarmus diz (22:56): já vi que estás traumatizada... mas eu não tenho nada a ver com isso
Maria 30 (22:57): Não é isso, meu anjo
até gosto de senti-lo a roçar, mas .... se for para entrar ... esquece lá isso.... nao suporto a dor!!
xarmus diz (22:59): mas eu nunca quis nem quero comer-te o cu
capiche?? Essa conversa não é para mim de certeza… tas a trocar o gajo
Maria 30 (23:00): Capiche, amori ..!!! :D
xarmus diz (23:00): adoro foder-te a boca e a cona... e chega perfeitamente
Maria 30 (23:02): Fazia questão que viesses a minha casa .... mas a puta da cama ... grita mais alto que eu .... lol
xarmus diz (23:02): hehehehehehehehehehe
podemos foder no sofá
Maria 30 (23:02): Sério?? :|
Maria 30 (23:02): Não te importas??
xarmus diz (23:02): claro que não
xarmus diz (23:03): adoro variar
Maria 30 (23:03): UUUuaaaauuuuuuu
xarmus diz (23:03): dá para fazer de tudo na mesma
Maria 30 (23:03): Tive pena que não tivesses cá vindo no inverno.... ao pé da lareira .... deve ser brutal .. lol
xarmus diz (23:03): pois... no quentinho
havemos de fazer... hão-de haver mais invernos
Maria 30 (23:06): ;) olha ... vou-me deitar
tou com uma tesão desgraçadas
xarmus disse (23:08): hehehehehehe
pensa em mim... e bate uma
Maria 30 (23:08): deves pensar que ja nao tou com ele entre pernas, não?! looooooool
xarmus diz (23:09): hehehehehehehehe

12.6.10

Foto 023

H012 Encontros imediatos

(11:06) xarmus: (flor)
(11:07) Luísa: obrigada
(11:07) xarmus: Olá matulona… né?
(11:07) xarmus: ainda me lembro do teu perfil
(11:07) Luísa: hmmm..
(11:08) xarmus: será que estou enganado?
(11:08) Luísa: isso agora depende do conceito não é?
(11:09) Luísa: a apresentação está muito gira... parabens pela criatividade
(11:09) xarmus: bigada
(11:09) xarmus: tambem gostei do texto que escreveste no perfil
(11:09) Luísa: sim?
(11:10) xarmus: ninguem escreve nada ali... e de facto é um espaço que deveria ser mais bem aproveitado para as pessoas se darem a conhecer
(11:11) Luísa: concordo...
(11:11) Luísa: já sei que és um veterano no site
(11:11) Luísa: e que tens muito sentido de humor...
(11:11) xarmus: tenho dias
(11:12) Luísa: seria de estranhar se não fosse assim...
(11:12) Luísa: mas conta lá então quem és na verdade...
(11:18) xarmus: hhhuummmmm
(11:18) xarmus: isso eu não gosto mesmo de contar
(11:18) xarmus: gosto que todos sejamos anonimos uns para os outros pelo menos enquanto não sentir amizade e confiança do outro lado
(11:19) Luísa: entendo o que dizes...
(11:19) Luísa: não ando neste mundo de encontros pela net há muito mas já deu para apanhar decepções
(11:20) Luísa: talvez seja demasiado directa para entender este mundo
(11:22) xarmus: é... a coisa está complicada para quem procura alguma coisa seria...
(11:23) xarmus: ali o pessoal quer é sexo rapido, e o pior de tudo para mim... é que para engatarem as moçoilas pra cama… mentem-lhes, criam-lhes expectativas... comem-nas... e depois deixam-nas de rastos... enfim...
(11:25) xarmus: claro que elas tambem são culpadas porque começam logo por dizer nas primeiras linhas como é que gostam mais de ser engatadas... ensinam o caminho aos assaltantes
(11:26) Luísa: pois...
(11:28) Luísa: enfim, não estou convencida que se use este meio para coisas a sério...
(11:29) xarmus: é arriscado...
(11:30) xarmus: porque aqui há muita aldrabice
(11:31) Luísa: como tem sido a tua experiencia...
(11:35) xarmus: como não procuro nada de serio... não me posso queixar, e até tenho conhecido mulheres interessantes a diversos niveis... tenho encontrado boas quecas tambem.... mas não dá para esperar muito mais que isso, nem é isso que me interessa.
(11:36) Luísa: não é uma perspectiva animadora...
(11:36) Luísa: não é que queira algo muito a sério... mas quando estou com alguem...estou
(11:37) Luísa: não consigo estar sem "alma" entendes...
(11:37) xarmus: pois... mas isso tambem tem os dias contados
(11:38) xarmus: os homens adoram variar... e as mulheres tambem já vão pelo mesmo caminho... e fidelidade é ficção...eles dizem que sim.... mas depois vais ver e têm 3 ou 4 amigas que andam a comer ao mesmo tempo
(11:38) xarmus: e as mulheres tambem fazem isso
(11:39) xarmus: é a sociedade de consumo...
(11:39) Luísa: sei... nunca tive ilusões em relação a isso dai não acreditar em casamento...
(11:39) xarmus: entendo... casamentos... só mesmo liberais
(11:40) xarmus: ou namoros na mesma onda
(11:40) Luísa: exacto...
(11:40) xarmus: como dizia uma amiga minha... adoro os casamentos liberais...duram mais que os outros
(11:40) Luísa: sim... mas liberais mesmo... há poucos...
(11:41) Luísa: é que o 3º nunca sabe ao certo se o casal é mesmo liberal ou não...
(11:41) Luísa: mesmo dizendo que não estou interessada em homens casados… continuo a ser abordada...
(11:42) Luísa: será só jogo ou anda tudo muito carente...
(11:45) xarmus: os homens são mesmo assim... são machos no mundo animal, e cabe-lhes conseguir o maior numero de femeas para garantirem a sua descendencia, e as mulheres que são femeas e sabem que os filhos são delas.... procuram um macho capaz, para com ela criarem os filhotes... isto parece ridículo nos dias de hoje... mas o homem evoluiu demasiado rapido na tecnica e na ciencia... mas continua a ser um animal
(11:45) Luísa: sim tens razão...
(11:46) xarmus: e vê-se isso nas guerras...
(11:46) xarmus: que é outro instinto animal que o homem tem muito vincado… a agressividade.
(11:47) Luísa: é a natureza humana
(11:49) Luísa: confesso que demorou muito recorrer a este meio para tentar conhecer alguem...
(11:50) Luísa: mas parece que uma pessoa é empurrada...
(11:50) Luísa: os homens não abordam mais as mulheres ao vivo a não ser que seja numa discoteca
(11:51) Luísa: para quem tem pouco livre tempo disponível encontrar alguem está complicado
(11:52) Luísa: Acho que a malta, por medo acaba por esconder atras dum ecrã
(11:53) Luísa: projectam um alter ego e depois têm medo de não corresponder às expectativas
(11:53) Luísa: ou estão à espera que o outro esteja a fazer o mesmo e contam que o outro vai "aceitar" a desilusão...
(12:02) Luísa: acho que se aposta num certo sentido de "desespero"
(12:02) Luísa: o que é infeliz
(12:05) Luísa: mas apesar de tudo ainda acredito que um relacionamento aberto, franco e carinhoso é capaz de existir
(12:07) Luísa: ainda há pessoas minimamente equilibradas por ai
(12:10) xarmus: voltei... estava ao telefone
(12:10) xarmus: tambem acho isso
(12:12) Luísa: estas a trabalhar?
(12:13) xarmus: sim
(12:13) Luísa: tbm,
(12:13) xarmus: como te posso chamar?
(12:14) Luísa: Luísa
(12:15) xarmus: mas sabes... quem é equilibrado ou minimamente interessante (homens) tambem não anda aqui a procurar nada de serio... de modo que acaba por ser como os outros... mais interessante mas com os mesmo objectivos
(12:16) Luísa: entendo...
(12:16) Luísa: suponho que depende muito do conceio "sério"
(12:17) Luísa: na realidade acredito que mesmo "sério" os objectivos são os mesmos.... como tinhas dito... somos na realidade animais sexuais...
(12:19) xarmus: claro... e todos necessitamos de sexo
(12:19) Luísa: com a minha idade já não acredito no principe
(12:20) xarmus: quando digo serio... digo com o objectivo de um namoro com intenções de ser duradoiro... fiel... e essas coisas normais para a sociedade
(12:20) Luísa: certo... pois... não acredito nisso de qq maneira
(12:21) Luísa: já não temos idade para ilusões
(12:21) Luísa: que idade tens? já não me lembro...
(12:22) xarmus: 46
(12:23) Luísa: isso
(12:23) Luísa: já tens familia e tudo... portanto já deu para experimentar, aprender e avançar para outro estado... não é?
(12:26) xarmus: sim...
(12:27) xarmus: já estou num estado mais prazeroso e menos perigoso... ou seja...não procuro nada
(12:27) Luísa: procura-se sempre algo...
(12:27) xarmus: telefone
(12:27) Luísa: a ansiedade é que difere
(12:27) Luísa: como te chamas?
(12:29) xarmus: Luís
(12:29) Luísa: prazer Luís posso te pedir um favor?
(12:32) xarmus: claro... todos
(12:32) Luísa: podes mudar a tua foto....
(12:32) Luísa: se não és tu... prefiro ter uma imagem diferente...
(12:33) Luísa: ok?
(12:33) xarmus: claro que sou eu
(12:33) xarmus: mas posso mudar se estiver aí gente
(12:33) Luísa: este és tu???
(12:33) xarmus: este e o outro... só tenho fotos minhas
(12:34) xarmus: e este tambem
(12:34) Luísa: ok...
(12:34) Luísa: tenho dificuldade de acreditar que um homem tão bonito esteja num site daqueles
(12:35) Luísa: já agora ficas a conhecer a matulona...
(12:36) xarmus: linda...tu tambem és bonita e tambem lá andas… hehehe
(12:37) xarmus: e outra coisa… eu não tenho sexo com ninguem que conheça... só com mulheres que conheço na net
(12:37) xarmus: portanto... não ando aqui por não conseguir engatar ninguem fora daqui... é mesmo por opção
(12:38) xarmus: há gajas que me dizem com um ar muito orgulhoso que não precisam de vir para a net para arranjar sexo… eu costumo dizer que também não preciso, mas é o melhor sito. É como pescar num alguidar… hehehehehehehe
(12:39) Luísa: entendo
(12:40) xarmus: mas tu és de facto muito bonita
(12:40) Luísa: thanks... sou grande não enorme
(12:41) xarmus: eu sou mais alto que tu
(12:41) Luísa: ainda bem
(12:42) xarmus: queres fotos minhas?
(12:42) Luísa: esta é linda
(12:43) xarmus: mas apesar de andar aqui tambem com o interesse de trocar prazer... acredita que sou uma pessoa muito interessante
(12:43) Luísa: disso não tenho dúvida... és criativo
(12:43) xarmus: de profissão mesmo
(12:43) Luísa: o que fazes
(12:44) xarmus: sou arquitecto
(12:44) Luísa: muito bom...
(12:51) Luísa: a criatividade seja lá em que forma expressa é dos bens de maior valor que se possa ter...
(12:52) xarmus: é... a seguir à liberdade
(12:52) Luísa: isso
(12:53) xarmus: se um dia sentires vontade disso... deixas-me brincar contigo?
(12:53) Luísa: um dia talvez... és criativo ai tbm?
(12:53) xarmus: claro... quando se é criativo... é-se em tudo
(12:54) Luísa: pois, não esperava outra coisa
(12:54) xarmus: queres trocar de contactos? poderiamos falar por telemovel... *** *** ***
(12:55) Luísa: hmmm...
(12:55) Luísa: e se eu sou uma maluca que começa agora a chatear-te a cabeça?
(12:55) xarmus: não... até estou a gostar muito
(12:56) xarmus: é com todo o prazer
(12:56) xarmus: a mim ninguem me chateia... só quem eu deixo
(12:56) Luísa: touché
(12:56) Luísa: tou a ver que não és um qualquer
(12:58) xarmus: acredita que não... e vais gostar muito de me conhecer... e de conversar comigo
(12:58) xarmus: se, ou quando isso acontecer
(12:59) Luísa: hmmm desconfio que seria no minimo uma conversa interessante
(13:00) Luísa: ... mas sou capaz de ficar toda encavacada e vermelha... não tera muita graça...
(13:01) xarmus: acho que comigo... não te vai acontecer isso
(13:01) xarmus: eu sou muito liberal e nota-se logo desde o inicio... o que dá um certo à vontade para o teu lado
(13:02) Luísa: ... sim... nota-se...
(13:03) Luísa: vou te deixar o meu contacto...para um dia que queiras tomar um café e rir um pouquito...
(13:03) Luísa: *********
(13:04) xarmus: agradeço a confiança
(13:05) xarmus: e vou gostar de conversar contigo
(13:05) Luísa: já deve de estar na tua hora de almoço...
(13:06) xarmus: eu não tenho horarios
(13:06) xarmus: neste momento... estou completamente nu... numa autocaravana... à beira rio... na expo
(13:07) xarmus: ainda vou tomar uma banhoca... e depois comer alguma coisa... comer comida mesmo... infelizmente hehehehehe
(13:08) xarmus: e tu?? vais almoçar?
(13:08) Luísa: não te quero estar a empatar...
(13:08) xarmus: não empatas nada linda
(13:09) Luísa: estás bem pertinho de mim... nu...isto é realidade ou sonho?
(13:10) Luísa: tu não existes pois não
(13:11) xarmus: há quem me chame alien
(13:11) Luísa: lol
(13:11) xarmus: talvez por isso
(13:12) Luísa: e estava eu a pensar que eras meramente uma criação da minha fantasia... tbm tenho um x de criativa
(13:12) xarmus: não sou... sou real
(13:13) Luísa: hmmm.....
(13:13) Luísa: aguardo a recolha de evidências comprovativas lol
(13:14) Luísa: e o que fazes completamente nu numa autocaravana na expo?
(13:14) xarmus: trabalho... com qualidade de vida
(13:15) Luísa: quando for grande quero ser assim... embora não me queixe muito....
(13:15) xarmus: eu tambem queria... e consegui
(13:16) Luísa: trabalhar com liberdade... deves ter feito para merecer....
(13:16) xarmus: podes crer que sim
(13:19) xarmus: telefone
(13:21) xarmus: queres vir ter comigo? eu visto-me... hehehehehe
(13:22) Luísa: não preciso de cerimónias...
(13:22) xarmus: então fico nu... não resistes...
(13:23) Luísa: sim sim... vá lá desafia... depois tens que corresponder....
(13:24) xarmus: nem imaginas como eu correspondo
(13:24) xarmus: mas queres vir?
(13:25) Luísa: tás pertinho... mas não me devo ausentar daqui....
(13:25) xarmus: eu tenho uma reunião às 15h ...mas dava para nos vermos
(13:25) Luísa: todo nu?
(13:25) xarmus: e até dava para mais que isso.... apesar de apertado
(13:25) xarmus: nu... vestido... como quisesses
(13:26) Luísa: a reunião tolo hehe
(13:26) xarmus: isso tem que ser vestido
(13:26) Luísa: lol... não se pode ter tudo
(13:26) xarmus: senão a cliente violava-me literalmente
(13:26) Luísa: sorte! para a cliente claro
(13:27) xarmus: vem... dá aqui um saltinho... meia horinha... fartamo-nos de rir...ficas bem disposta
(13:27) xarmus: e se quiseres... dá para brincarmos um cadinho tambem... dá para o que tu quiseres...posso ligar-te?
(13:28) Luísa: se quiseres ligar liga...

Falámos ao telefone. Acho que ela gostou da minha voz, o que é sempre bom sinal. Ela tinha uma voz muito suave e muito feminina, e falava com muita calma, gostei. Tinha visto uma foto dela e também me agradou, tinha uma cara bonita. Como o tempo não era muito, porque eu tinha uma reunião dali a uma hora e meia, entrei como me é peculiar de uma forma muito directa e pragmática. Acho que ela estava mesmo a precisar de uma queca porque não foi difícil convencê-la. O problema dela é que tinha uma loja aberta ao público, e não tinha ninguém para a substituir. Ao fim de uns minutos de conversa, lá me disse que sim, que ia alinhar na loucura, fechava a loja e vinha ter comigo. Disse-lhe onde estava estacionado e desligámos. Liguei para a minha reunião e disse que ia chegar com um atraso de cerca uma hora. Assim tínhamos mais tempo e não precisávamos de dar uma rapidinha.

Como estava a trabalhar, dei um jeito no escritório que estava um bocado virado de pantanas. Passados uns 10 minutos, senti um carro estacionar perto, e espreitei pela janela. Ela era de facto grandinha e cheinha, mas com as curvas todas no sítio, e embora no perfil do site tivesse 39 anos de idade, eu não lhe dava mais de 34. Abri-lhe a porta antes de ela ter que bater. Entrou com um ar muito sorridente e nem sequer me pareceu nervosa. Tinha uma cara bonita. Dei-lhe um abraço e duas beijocas, que ajuda sempre a descontrair e a criar mais à vontade. Como a vontade era muita e o tempo era pouco, pedi-lhe licença para passar ao ataque e comecei a explorar o corpinho. Ela tinha umas calças de ganga e uma t-shirt, que rapidamente tratei de despir. Com a cama mesmo ali ao lado, foi um instantinho enquanto subimos para cima da cama e abrimos as hostilidades do costume.

Depois de uns preliminares muito gostosos e com muito prazer, e como ela já estava bem pronta para ser penetrada, lá tive que enfiar um preservativo. Ela pareceu-me um bocado assustada com a dimensão do bicho que já tinha tido a possibilidade de ver de perto e de sentir na boca, e pediu-me para entrar com jeitinho porque não tinha relações há uns tempos. Eu não preciso deste reparo porque adoro penetrar devagarinho e sentir cada centímetro a entrar, e claro, não estragar nada. Ela era de facto apertadinha, mas a coisa fluiu muito bem, e passados uns minutos já estava tudo a funcionar lindamente. Gostei de sentir o prazer dela. Há quem diga que tamanho não é documento, e de facto pode não ser, é preciso saber usar, mas eu adoro sentir o prazer das mulheres, por se sentirem mesmo muito preenchidas, ou seja, é impossível ficarem indiferentes às investidas de um piço como o meu. Acho que ficámos pelos dois a um. Na contagem dos orgasmos elas ganham-me sempre. Às vezes levo cada tareia do tipo oito a um… hehehehehehehe. Mas eu gosto assim, não quero que ninguém saia debaixo de mim com fominha. Como estávamos os dois com uma certa pressa, ela para abrir a loja onde tinha deixado um “volto já” e eu pela reunião da tarde, lá nos despedimos deixando a porta aberta a outros encontros com mais tempo. Gostei. Adoro estes encontros imediatos.

Hoje, A Luísa é uma grande amiga minha. Apesar de termos seguido as nossas vidas amorosas por caminhos diferentes, continuamos a manter uma relação de amizade e trocamos impressões acerca dos relacionamentos que vamos tendo. Telefonei à Luísa no sentido de lhe pedir autorização para publicar o nosso primeiro histórico e contar a nossa história, e relembrámos tudo o que se tinha passado. Rimos muito, e durante a nossa conversa, a Luísa falou-me de situações e diálogos que já não me lembrava de terem acontecido. Lembrei-me de desafia-la a escrever a versão dela para publicar juntamente com a minha. É interessante ver como as duas partes vêm de forma diferente, o mesmo acontecimento. O que sentem, o que esperam, o que pretendem e o que valorizaram mais no encontro.

Versão da Luísa

Eu estava mal, muito mal mesmo. Carente sem dúvida. Estava na ressaca de um rompimento com um relacionamento platónico. Triste não é? Tinha entregue o meu coração a um homem que era casado; que coisa mais estúpida. Ele não foi canalha, não chegou a trair a mulher dele por minha causa, mas tínhamos uma ligação emocional forte, e uma bela amizade, e ali fiquei pendurada por culpa própria durante muito tempo.

Tinha-se passado 2 meses de eu ter “cortado com a nossa amizade”, e eu estava muito carente por atenção masculina e sexo. Ainda por cima estava num trabalho que me ocupava entre 12 a 14 horas por dia, não havia espaço para uma vida privada. Sentia-me bloqueada, e sim, desesperada!
O único sítio que tinha disponível era a internet. Tinha sentimentos mistos acerca da coisa. Por um lado parecia-me que os homens já não abordavam directamente as mulheres, tudo parecia ser agora pela net. Mas onde começar? A “net” não é propriamente um recanto pequeno.

Experimentei alguns fóruns e chats (que confesso serem as coisas mais confusas que existem), fui parar a um site de “amizades”. A coisa parecia ser bem controlada, uma pessoa não se tinha que expor muito e poderias seleccionar e controlar com quem contactavas.

Rapidamente apercebi-me que se tratava de uma “La Redoute” de sexo. Aqui poderias escolher o teu parceiro à medida: pela altura, cor dos olhos, profissão entre outros critérios. Aqui encontrava-se de tudo, cada um fazendo a sua jogada e conversa. Uns fazem-se de coitadinhos a precisarem de mimos, outros plenamente descarados a procurarem uma amante, etc. Estava curiosa, e em pouco espaço de tempo fui abordada de várias maneiras, apanhei muitas mentiras e historias, que resultou numa aprendizagem interessante sobre estes métodos de engate.

No meio disto tudo recebi uma mensagem de um dito Xarmus, o email fez-me rir. Aqui estava um tipo que era frontal mas com sentido de humor. Imaginava-o a enviar a carta a todas as “recém chegadas” ao site, e todas a ficarem pasmadas com aquela autoconfiança e com clara apresentação de caçador. Ele dava ideia de ser seguro de si e muito experiente, confesso que tinha curiosidade de conversar com ele, e adicionei-o ao meu msn, sem a mínima noção do que iria acontecer.

Passaram-se uns tempos, confesso que já não me lembro bem quanto, até que nos encontramos os dois online no msn. Lembro-me do dia, não do dia de calendário, mas sim “como” era o dia. Estava um dia de calor, na meia estação. Vestidinha de t-shirt com calça de ganga sentia-me livre e energética do modo que aqueles dias assim após o inverno nos fazem sentir. Talvez estivesse contagiada pela “febre da primavera”.

Começámos a “teclar” e não me lembro bem da conversa, mas a auto confiança dele puxava por mim. Sentia-me mulher, confiante e com pleno direito de gozar o momento. Sabia que estava a ser caçada e alinhei perfeitamente na conversa. Existe algo muito refrescante com uma abordagem directa, sem expectativas. Dois adultos a quererem a mesma coisa sem preconceitos e inibições.
A conversa escalou rapidamente, o que é natural quando dois adultos estão em sintonia. Eu queria, melhor dito, eu estava a precisar de estar com um homem, e ele sabia disso.

Não conhecia nada dele, ou melhor, não confiava em nada que sabia dele, porque já me tinha apercebido que nomes, idades, e status são sempre questionáveis na “net”, mas confiava na energia dele, na experiencia e no discurso directo.

Rapidamente passamos do Messenger para o telefone. Mas que impacto! Adorei a voz dele, mesmo “voz de homem”. Adorei o timbre, o tom humorístico e a confiança que emanava. Sentia-me estimulada, com muita vontade de saciar aquela “vontade” que sentia entre as pernas. Uma vontade que crescia com cada troca de conversa…
“Estou aqui muito perto de ti, todo nu com o meu piço a crescer”“… O que?!! Isto não existe, pensei eu. Será mesmo verdade? Que irreverente, que audaz….!
“Vá lá linda, vem ter comigo. Se não quiseres ter sexo, brincamos só um pouco. Mas gostava mesmo estar contigo agora”…. Pois eu também gostava… mesmo muito…
“ Vou para o Porto e só volto para Lisboa daqui a duas semanas. Só de pensar que tenho que esperar tanto tempo para estar contigo está a pôr-me doido”…. Pois a mim também. Depois de tanto tempo sem ninguém, aqui estava um homem que me estimulava prontinho a dar-me o que eu precisava… de que estava eu á espera?
“Vem ter comigo fofinha, vem já”…. Este gajo deveria ir vender Time-sharing que iria arrecadar bem, bolas, eu estava empolgada. Mas iria eu alinhar nesta doideira? Fechar a porta do estabelecimento, e ir ter um homem desconhecido, algures nu numa auto caravana?!? Sim, porque não?

Os 10 minutos de caminho foram no mínimo surreais. Sentia curiosidade, a adrenalina de alguém que estava a fazer algo fora do normal, e muita humidade entre as pernas. Medo? Medo não sentia, confio muito nos meus instintos.

Foi incrível. Difícil de explicar de outra forma. Ele pôs-me logo à vontade, abraçou-me como se fosse uma amiga de longa data o que me fez sentir bem. Ele era um pouco diferente, imaginava-o um pouco mais cheio. Eu sou larga o que me faz sentir logo desconfortável, mas ele tem a capacidade de tirar o melhor de cada mulher, de a fazer sentir bem.

A “brincadeira” foi fabulosa, e rapidamente fomos para a cama. As condições estavam impecáveis, tudo muito limpinho e confortável, e lá nos enrolámos os dois. Foi bom, muito bom. Eu tinha algum receio dos homens muito avantajados, por ser apertadinha, já me tinha magoado em vezes anteriores. Mas este dominava bem o seu instrumento, e tudo fluiu naturalmente sem pressa e com muito prazer à mistura. Existe algo extraordinário numa relação sexual em que se pode ser completamente desinibida sem pensar “o que vai ele pensar de mim”. É refrescante e libertadora…. Agora sou assim na cama, mais livre! É fabuloso.

O final foi suave, sem embaraços ou sensação de ser “despachada”. Despedimos como amigos e foi ai que ele me surpreendeu…
“Posso te contactar da próxima vez que estiver em Lisboa?” … Quê? Ele quer voltar a estar comigo? Eu estava tão convencida que isto seria um evento único, que a questão dele surpreendeu-me. De certa forma senti-me elogiada…
Sim, claro. Se te apetecer, liga-me

Foto 022














Como ainda não tive oportunidade de me encontrar com a fotografa que me vai fotografar, e como prometi publicar algumas fotos minhas... tirei esta eu mesmo.

11.6.10

Conversa 017 Maria 30 C01

xarmus (00:35): então podemos dar umas quecas boas à noite????
Maria 30 (00:36): hehehehehehe...... Claro que sim!
Maria 30 (00:36): Mas..... Com um "senão"
Maria 30 (00:36): Se for cá em casa, tem que ser no sofá!! hehehehe
xarmus (00:36): onde quiseres
Maria 30 (00:37): Na cama nao se pode. faz um barulho terrivél
xarmus (00:36): hehehehehehehehehe
xarmus (00:39): dei um toque no teu numero
Maria 30 (00:39): fooooooooooooogo
Maria 30 (00:39): ainda tens o meu nº?
xarmus (00:39): claro… tenho 754 numeros…. hehehehehehehehehehe
Maria 30 (00:39): *))))))))))))))))))
xarmus (00:39): mas não as fodi todas.... juro
Maria 30 (00:39): ganda maluco!!!!!!!!!! Não mudaste nada!!
Maria 30 (00:40): Nããããaaaaaaaaoooo!!!! Fodeste apenas 753… lol
xarmus (00:40): vais-te passar.. estou melhor ainda....
Maria 30 (00:40): naaaaao acredito!!
Maria 30 (00:40): Não tinhas onde melhorar… estavas perfeito, Homem!!
xarmus (00:40): vais adorar... acredita
Maria 30 (00:40): hhhuuuuuuum.... isso deixa-me com água na boca, mas......
xarmus (00:40): vou tratar-te dessa cona boa como nunca ninguém tratou
Maria 30 (00:42): por outro lado, deixa-me preocupada.... não vá ser o facto de teres outras ideias.... lol
xarmus (00:42): outras ideias??
Maria 30 (00:42): AAAAAAahhhhhhhh........ se for para tratar "dela" Estás á vontade e á vontadinha!!!
xarmus disse (00:43): não sei se estou a entender bem... mas eu nunca te quis ir ao cu… se é a isso que te referes…
Maria 30 (00:43): Olha, vou desligar senão..... dá-se aqui uma inundação
Maria 30 (00:44): e depois é um sarilho! Loooool… Beeiiiiiiiiiiiiiiiiijos
xarmus disse (00:45): beijocas boas...

Foto 021

10.6.10

Conversa 016 Elizabete 34 C01

xarmus (15:57): voltei... já tenho saudadinhas de abusar de ti
Elizabete 34 (15:58): e eu saudades de ser abusada!
Elizabete 34 (15:59): é muito bom ser abusada por ti!

Conversa 015 Marisa 33 C01

Marisa 33: tens feito noitadas para trabalhar?
xarmus: até às 2 ou 3 da manhã
xarmus: não me tenho esticado muito
xarmus: estar muitas horas sentado é terrível para as costas
Marisa 33: pois... a idade não perdoa!
xarmus: mas sabes que eu tenho muita resistência…
xarmus: não sei se me estou a fazer entender…
Marisa 33: perfeitamente lol
Marisa 33: é de fazer inveja aos putos novos que conheço!

Conversa 014 Ilda 32 C01

Ilda 32 (00:52): pois.... a ver se ainda fodes bem como fodias.. ;)
xarmus (00:53): hehehehehehehe cada vez melhor
Ilda 32 (00:53): isso é k é falar!
Ilda 32 (00:54): ultimamente... são só decepções
xarmus (00:54): a experiencia... faz destas coisas
Ilda 32 (00:54): pois.... qto mais novos, menos fodem
xarmus (00:55): é verdade… é falta de experiencia
Ilda 32 (00:57): a ultima, foi com um gajo de 45... tb bom como milho
Ilda 32 (00:58): era pioor q o outro: é tao bom nao foi?? DDaassssssssssssssssssssssssse!!
xarmus (00:58): hehehehehehehehe
Ilda 32 (00:58): Pior experiência da minha vida!
xarmus (00:58): nem dá para aquecer
Ilda 32 (00:58): ri-te... ri-te!! Aquecer??
Ilda 32 (00:59): Nem percebi qdº entrou nem qdº saíu... lol… uma pessoa com uma tesão do caraças á espera de ser montada.... olha... nada!.... Só comigo!!!
xarmus (01:07): Então vou foder-te até te vires… e não saio dali enquanto não te esporrares toda
Ilda 32 (01:07): hhhuuuummm… eehhh pá nem me digas mais nada
Ilda 32 (01:08): que hoje, nao posso jogar lá os dedos.. hehe… passei um verão de merda.... com tanta tesãaaoo
Ilda 32 (01:09): E nao tou para conhecer mais gajos com experiências de merda. chiça!!
Ilda 32 (01:10): Ainda me lembrei de ti, mas pensei... Ah, com tanta gaja boa, nao me vai querer comer, de certeza! Se soubesse.... já teria te ligado á mais tempo! hehehehehehe
xarmus (01:14): claro que quero... és uma boa queca... sempre gostei de te comer
Ilda 32 (01:18): eehhh pa… nem digas mais nada… é que estou a pintar as unhas e o pincel até treme… hehehehehehe

D004 gerir blog

Cá ando eu a procurar históricos para publicar… gerir um blog dá uma trabalheira enorme. Ando a escrever histórias também, mas como não consigo escrever mais que uma por semana, vou entretendo-vos com os históricos que também são muito giros. Só que procurar partes giras entre milhares de históricos é muito demorado. Mas já tenho uns quantos na pasta “prontos a publicar” e portanto já vou ter matéria para publicar durante a semana.

Foto 020

H011 Devolver ao mar

Os encontros sexuais com raparigas novas, desde que tudo seja desejado por ambas as partes, não me fazem confusão nenhuma. Até porque normalmente tenho uma postura de “serviço público”, ou seja, tento saber o que elas querem, porquê, que experiências tiveram, o que têm curiosidade em experimentar, e tenho sempre cuidado para não estragar nada, tanto a nível físico como psicológico.

Tento adequar o meu comportamento às necessidades e vontades delas, e nunca tento fazer nada que elas não desejem. Como sou muito mais velho, sinto que devo ajudar no esclarecimento das dúvidas que possam ter não só em relação ao sexo como à vida em geral, e gosto de sentir que a minha passagem pela vida delas é positiva e que contribuiu para o seu desenvolvimento, quer haja ou não haja sexo. Até cheguei a ouvir várias vezes… eh pá… tá calado que até pareces o meu pai a falar.

Costumo dizer que é natural, porque os pais delas só lhes querem bem, e os conselhos que lhes dão são sempre com intenção de as ajudarem, e o meu interesse como amigo experiente, é o mesmo. Mas isto tudo para dizer que não me sinto mal com o facto de conhecer e papar algumas raparigas com idade para serem minhas filhas, até porque uma miúda de vinte anos é uma mulher em relação ao corpo, e a maior parte delas já tem maturidade muito aceitável, muito mais que os rapazes, que com 20 anos são muito imaturos.

Mas em relação às mulheres também há excepções, e um dia fui conhecer uma miúda de dezanove anos, caí no disparate de ir jantar com ela sem a conhecer bem, e lixei a queca que tínhamos combinado dar a seguir ao jantar. A conversa dela era demasiado imatura, e comecei a perder a vontade de estar com ela intimamente. Quanto mais ela falava, mais eu tinha dificuldade em saber o que dizer, porque percebi que tal como a conversa dela não me interessava, a minha conversa também não lhe devia interessar para nada.

Comecei a ter dificuldade em arranjar tema de conversa, e dei comigo a dar-lhe conselhos de pai. Que devia usar sempre preservativo nas relações, e falei-lhe dos perigos corria ao encontrar-se com homens que conhecia da net. Ensinei-lhe uns truques para se defender no caso dos encontros correrem mal.

Quando decidi que não a ia papar, comecei a pensar em como me baldar sem lhe fazer mossa. Era importante que ela não se sentisse rejeitada, e tinha que arranjar uma tanga que ela engolisse na boa. Comecei a dizer que o jantar não me estava a cair bem, e até nem acabei de comer para ser mais convincente. Conversámos mais um cadinho, e eu pedi licença para ir ao w.c. Quando voltei, disse-lhe que estava com vontade de vomitar mas não tinha conseguido.

Pedi a conta, paguei e saímos. Disse-lhe que se ela quisesse podíamos conversar mais um bocado na autocaravana, mas que eu não estava em condições de me enrolar com ela na cama conforme tínhamos combinado. Ela disse-me que tinha pena, mas que compreendia e que ficava para outra vez. Ainda me lembro de pensar… sim… daqui a uns aninhos.

Ofereci-me para a levar a casa, e ela aceitou. Pelo caminho lá consegui arranjar um bom tema de conversa… anedotas. Como estava “mal disposto”, não me podia rir muito, mas ela riu-se a bandeiras despregadas. Foi fixe. Ainda assim consegui que ela tivesse uma noite agradável. Claro que se a tivesse papado, ela teria uma noite muito mais agradável, mas tive medo de não me sentir bem com a situação durante o acto, e achei melhor assim.

Preciso de ver do outro lado a maturidade suficiente para sentir que o acto é consciente, de livre vontade, e entre duas pessoas adultas. Fazendo a comparação com a pesca, a minha atitude fez-me lembrar a daqueles pescadores que apanham peixe miúdo e o devolvem ao mar vivo e de boa saúde. É o que faço quando a pesca não me agrada, e sinto-me bem com isso.

8.6.10

Conversa 013 Ana 18 C01

(00:41) xarmus: Olá… tudo bem?
(00:41) Ana 18: lol.. por acaso tou c um doi doi
(00:41) Ana 18: um doi doi bom
(00:41) Ana 18: lol
(00:41) xarmus: então?? que tens?
(00:42) Ana 18: dei uma foda tão boa prai há meia hora... tou a tremer das pernas..lol
(00:42) xarmus: maravilha
(00:43) xarmus: para quem se andava sempre a queixar das fodas... nada mau
(00:43) Ana 18: fg, podes crer..
(00:43) Ana 18: eu nem acredito em mim própria.. mas em 2 dias fodi c 2 gajos diferentes q conheci no proprio dia
(00:43) xarmus: que idade tinha o gajo?
(00:43) Ana 18: o de ontem tinha 20..foi mais fraquito, veio se antes do tempo lol
(00:44) xarmus: andas a desforrar-te
(00:44) Ana 18: o de hoje tinha 22... mas tinha um pau monumental, tão grosso
(00:44) Ana 18: completamente.. este ultimo vai ficar cm amigo colorido
(00:44) xarmus: usas preservativo??
(00:44) Ana 18: ya, usa
(00:44) xarmus: tens que usar sempre
(00:44) Ana 18: claro
(00:45) xarmus: e vê lá não descambas.... a foder dessa maneira tudo o que te cai no prato... qualquer dia podes não te sentir muito bem com isso
(00:45) Ana 18: claro q nao.. foram só eles os 2..e pronto
(00:45) Ana 18: lol
(00:46) Ana 18: e tlv será um repetidamente..lol
(00:50) xarmus: maravilha... assim já tens queca
(00:51) Ana 18: ya.. fgo, mas o rapaz tinha jeito.. e quem olha p ele n diz...
(00:52) Ana 18: eu a pensar q ia ter um simples jantar no mcdonalds.. e acabo assim
(00:52) Ana 18: lol
(00:53) xarmus: fodeste onde?
(00:53) Ana 18: aqui em casa
(00:53) xarmus: vives sozinha?
(00:53) Ana 18: yup
(00:53) xarmus: maravilha
(00:53) Ana 18: quer dizer.. vivo num apartamento partilhado
(00:53) Ana 18: mas nem conheço o resto das pessoas
(00:53) xarmus: sim... é o normal
(00:54) Ana 18: tou dorida...lool
(00:55) xarmus: tadinha
(00:56) Ana 18: n me importava q doesse mais..lol
(00:56) xarmus: e levaste no cu também?
(00:56) Ana 18: ele queria.. mas eu achei demasiado grosso e n quis.. assustei me
(00:56) Ana 18: LOL
(00:57) xarmus: pois... fizeste bem
(00:57) xarmus: senão agora ainda estavas mais dorida
(00:57) Ana 18: pois.. e n pode ser q tenho de tar sentada a estudar

7.6.10

Foto 019

Conversa 012 Ana 36 C01

Ana 36 : como gostaria de estar sentada ao seu lado e te lambendo todo
Ana 36 : daria tudo pra tê-lo agora coladinho a mim
Ana 36 : preciso ser sua nas 24h do dia
xarmus : era bom..... não era?
Ana 36 : dormir e acordar ao seu lado, nossa q delícia
Ana 36 : já imaginou
Ana 36 : n mandei vc ser bom
Ana 36 : n mandei vc ser perfeito
Ana 36 : sem defeitos
xarmus : que exagero... devo ter alguns... tu é que és uma querida
Ana 36 : é por isso q as mulheres de todo o mundo se apaixonam por vc
Ana 36 : vc é muito lindo
Ana 36 : ja te disseram isto, kkkk
xarmus : tu também és muito bonita..... e com um corpinho muito bom
xarmus : gostei muito
Ana 36 : ah! vai n faz isso
Ana 36 : fico toda m.......
Ana 36 : mas preciso ter vc de novo pra tirar as provas
Ana 36 : kkkkk
xarmus : heheheheheheh….. mas eu não vou voltar aí tão depressa…. E estamos com o atlântico entre nós… não sei se reparaste…
Ana 36 : nem me fala isso
Ana 36 : vc é transparente, alegre, extrovertido, amigo, gostoso, tesudo. hum nem me fala o resto
Ana 36 : és muito bom mesmo
Ana 36 : isso vc disse e eu comprovei ao vivo e a cores
Ana 36 : xau meu amor, lembre-se adorei o seu jeito de ser
Ana 36 : mas n fica convencido
Ana 36 : pq vc realmente é gostoso mesmo
xarmus : beijocas linda….. descansa bem…. E não sonhes comigo… senão acordas cansada.

Mail 001

Velho,

Preciso duma queca das tuas,
a minha vida anda complicada,
tu ainda dás umas tantas,
mesmo velho,
não tens o estúpido pudor que eu tenho,
vais descomprimindo,
eu tranco-me em mim e o resultado é o que é.

Cumprimentos,
***** ******

6.6.10

Foto 018

H010 Pura quimica

A diferença de idades no sexo às vezes tem fenómenos bem curiosos. Um dia conheci na net uma rapariga de 21 anos que andava no 3º ano da universidade de ciências. A rapariga era pacata, não tinha namorado, nem amigos coloridos. Queria estudar e acabar o curso, era tímida, e passava a vida de escola para casa e de casa para a escola, e estava empenhada em acabar o curso com boas notas.

Conhecemo-nos num site de amizades, e como ela gostou da minha mensagem, adicionou-me. Começámos a teclar e rapidamente deu para ver que ela não estava numa de quecar nem de conhecer ninguém da net. Andava lá só para se entreter e conversar com alguém interessante que pudesse aparecer. Conversávamos uns bocadinhos sempre que nos encontrávamos no msn, e isso durava há cerca de 8 meses.

Um dia, estava eu no Campo Grande estacionado a arrumar as papeladas resultantes de uma reunião que tinha tido ali perto, quando ela me apareceu no msn. Disse-lhe que estava no Campo Grande e ela disse-me que ia sair naquele momento do laboratório onde estava a fazer investigação e que se eu não me importasse, passava por ali para me conhecer e ver o meu escritório móvel. Passados uns 15 minutos bateram à porta, era a Isabel.

Muito mais bonita do que parecia nas fotos que tinha no msn, e muito boa por sinal. Pequenina e com um sorriso muito tímido, correspondia na perfeição à imagem que tinha dela no decorrer das muitas horas de teclanso que já tínhamos tido ao longo dos últimos meses. Embora no inicio tivesse tentado engatá-la, depois de ela me dizer que não estava nessa, deixei de tentar seduzi-la e as nossas conversas eram banais, acerca do nosso dia a dia, e de temas relacionados com ciência. Às vezes contava-lhe as minhas aventuras, que ela achava o máximo, mas nunca demonstrou qualquer vontade de ter sexo comigo.

Naquele dia tivemos uma conversa normal acerca da experiências que ela estava a fazer em laboratório, e aproveitei a ocasião para olhos nos olhos tentar perceber o que se passava com ela a nível sexual. Ela não se mostrou muito à vontade em falar acerca do tema, mas lá foi respondendo às questões que lhe ia colocando. Depois de conhecer a história da vida amorosa dela, deu para entender a razão pela qual ela não queria nada com os homens. Experiências castradoras, relações conflituosas, namorados ciumentos e até dores no sexo… enfim, infelizmente, uma situação muito comum.

Ao fim de 30 minutos de conversa diz:
Isabel: - Incrível, neste bocadinho já te contei mais coisas acerca da minha vida, do que alguma vez contei a alguém, sinto uma confiança e um à vontade contigo muito estranho, parece que já te conheço há muitos anos.
Eu: - É verdade, já não és a primeira pessoa a dizer-me isso. Eu acho que o facto de eu ser muito liberal e despreconceituoso, e nunca julgar os outros, transmite confiança para desabafarem comigo. De qualquer modo já teclamos há uns bons meses.

Ela foi criando à vontade para me contar os pormenores das situações em que se viu envolvida e aprofundámos as possíveis causas dessas situações. Ela, que sempre foi vítima de relacionamentos muito complicados, sentia-se culpada de tudo o que lhe tinha acontecido. Como era muito tímida e com muita falta de confiança em relação ao sexo, achava que devia de ser uma lástima na cama e isso fazia com que os homens perdessem a paciência com ela, a forçassem a determinadas situações e fossem menos meigos depois de a apanharem numa situação mais vulnerável.

Embora isso não fosse razão para abusarem dela, no fundo, foi esse tipo de relação meia forçada que fazia com que ela não gostasse de sexo. No sexo, tudo tem que ser desejado por ambas as partes, e nunca se deve passar à fase seguinte, sem que isso seja verdadeiramente desejado, e que o corpo já esteja preparado para dar esse passo.

Disse-lhe que ela devia de ter boas experiências sexuais para limpar a má imagem que ela tinha do sexo, e ganhar confiança nela própria em relação aos homens e ao sexo.
Isabel: - Pois… isso é muito bonito, e como é que eu sei que homens é que me dão boas experiências?
Eu: - Eu, por exemplo
Isabel: - Heheheheheh, o que tu queres sei eu…
Eu: - Claro que eu ia gostar e ia ter prazer nisso, mas acredita que te fazia mais falta a ti do que a mim.
Isabel: - E tu achas que eu ia para a cama com um gajo mais velho que o meu pai?
Eu: - Ó linda… eu não sei o que fazias ou não, mas que te fazia muito bem, não tenhas duvidas… e mais, o que tu precisas neste momento, são mesmo boas experiências e isso só vais conseguir com homens mais velhos, que não sejam egoístas, que se preocupem com o teu prazer e bem estar, e que em vez de se servirem de ti para gozarem eles, sejam suficientemente altruístas para pensarem no teu prazer antes do deles. Com rapazes da tua idade vai ser difícil conseguires isso.
Isabel: - E tu eras capaz de fazer isso?
Eu: - Hehehehehehehe… ai rapariga… estás mesmo traumatizada. Eu faço sempre isso com todas as mulheres que vão comigo para a cama, e conhecendo os teus problemas, mais cuidados ia ter.
Isabel: - Não me digas que não tens prazer e que também não te serves das mulheres.
Eu: - Claro que tenho, mas o que me dá prazer, é dar prazer, é sentir o prazer da mulher, e depois como sou um cavalheiro, nunca me venho antes das senhoras… hehehehehehe. Deixo as senhoras virem-se as vezes que quiserem, e só depois é que eu me venho. Mas no teu caso, e visto que seria mais terapia do que sexo, nem me importava de não me vir.
Isabel: - Pois, entendo…. Talvez um dia me decida a estar contigo. O facto é que me sinto muito à vontade contigo. Bem… vou andando senão ainda me dás a volta.
Levantou-se, pegou na mochila e dirigiu-se para a porta.
Eu: - Quero um abracinho e duas beijocas boas
Isabel: - Claro, és um querido… mereces um abracinho e dois beijinhos.
Abraçamo-nos… e ficámos um pouco abraçados. Claro que me começou a crescer o piço, e ela deve ter sentido. Uma coisa deste tamanho, não passa despercebido de forma nenhuma. Fiquei um bocado atrapalhado com a situação, e pedi-lhe desculpa. Aquele abraço foi estranho, porque a energia que ali se gerou foi uma coisa muito forte. Não sei o que ela sentiu, mas eu senti coisas estranhas. Mais do que a tesão, senti uma passagem de energia indescritível. Ela apertou-me com mais força, e eu retribuí. Eu acho que ela deve também ter sentido o mesmo que eu. O facto é que não parava de me abraçar, um abraço muito apertadinho e muito sentido. Possivelmente também se estava a sentir molhadinha. Aquele abraço parecia nunca mais acabar. Afrouxámos a força do abraço, mas continuámos abraçados.
Eu: - Estás com tempo?
Isabel: - Estou.
Eu: - Apetece-me beijar-te e dar-te muitos miminhos. Posso?
Isabel: - Acho que não devia, mas estou a sentir uma vontade incontrolável de me entregar a ti.
Eu: - Eu sei que sou suspeito, mas acho mesmo que devias.
Isabel: - Achas mesmo?
Eu: - O pior que pode acontecer, é teres prazer como nunca sentiste na vida.
Isabel: - Pois… já deu para ver… e isso também me assusta.
Eu: - Fazemos o seguinte… vamos andando, na condição de pararmos se tu te sentires mal com alguma coisa.
Isabel: - E tu paras se eu quiser?
Eu: - Claro linda… fica prometido.
Isabel: - Então leva-me… devagarinho.

Peguei nela e levei-a para a cama. Já sabendo como funcionam a generalidade dos homens, e sabendo de como as coisas aconteceram com ela em matéria de sexo, fiz questão de lhe mostrar como se podia ter muito prazer no sexo mesmo sem estarmos apaixonados, e que a diferença de idades também não era entrave a termos muito prazer. O prazer dela foi a minha prioridade, até porque o meu objectivo era mais tirar-lhe a má ideia que ela tinha do sexo do que eu ter prazer. Se fosse bem sucedido de certeza que ela voltaria a querer estar comigo e eu teria oportunidade de ter muito prazer com ela.

É evidente que dar-lhe prazer também me dava muito prazer, mas esmerei-me com todo o meu saber e dedicação para que ela tivesse mesmo prazer no sexo. Despi-a com muita calma e muita meiguice, e fui instalar-me confortavelmente entre as pernas dela. Disse-lhe para se relaxar e desfrutar das coisas boas que eu lhe ia fazer, sem pressas e sem obrigações ou expectativas de nada. Apenas deixar o prazer fluir, e se achasse que devia dar alguma dica ou se alguma coisa não estivesse bem para me dizer.

Comecei a beijar-lhe a coninha com muita suavidade e a abrir caminho por entre os pelinhos com a língua. A coninha dela foi-se abrindo, e começou a ficar molhadinha à medida que a respiração dela começou a ficar ofegante. Deliciei-me a sentir as respostas do corpo dela. Estava cheia de prazer, mas por nunca se ter vindo a ser lambida, não estava fácil de se vir, e eu decidi meter-lhe os dedinhos na coninha e mexer-lhe em zonas que provocam mesmo o orgasmo. Fui experimentando várias opções e vendo como a coninha dela reagia, até que o orgasmo foi inevitável.

Perdi a noção do tempo, mas devo ter estado a lambê-la e a deliciar-me com aquela coninha uns bons quarenta e cinco minutos. Ela estava completamente extasiada com o que tinha acabado de sentir. Parecia que estava com dificuldade em saber o que dizer. Com as pernas a tremer e a voz meia rouca lá conseguiu dizer:
Isabel: - Meeeuuuuuuuu deuuuus… não tens noção do que me fizeste sentir.
Eu: - heheheheheheh…. Pois, talvez não tenha mesmo, mas pelo que senti, faço uma pequena ideia.
Se a coisa já "doi" a mulheres experientes no sexo, imagino a uma rapariga sem experiência nenhuma na coisa… deve ter sido mesmo "mauzinho".
Deixei-a descansar um bocadinho, enquanto acariciava aquelas lindas mamocas.
Eu: - Posso penetrar-te coisa boa?
Isabel: - Pois… tu ainda não tiveste prazer não é?
Eu: - Ó linda… eu já tive montes de prazer e passei este tempo todo de pau feito, mas gostava muito de te penetrar… mas só se te apetecer a ti.
Isabel: - Eu já estou satisfeita… mas tu foste tão querido que mereces tudo. Mas promete-me que és meiguinho…
Eu: - Claro delicia… vou tratar-te muito bem…. Vamos fazer assim… Vais deitar-te de barriga para cima, com as pernas abertas e relaxar completamente, deixar os músculos descontraírem… e eu vou entrar muito devagarinho… vamos sentir tudinho com muito prazer. Enfiei um preservativo, e sem fazer peso em cima dela fui entrando. Apesar de já se ter vindo e de eu já lhe ter enfiado dois dedinhos, a rapariga estava muito apertadinha. Só deixei cair o meu corpo em cima dela quando já estava com a cabecinha lá dentro, para continuar até ao fim enquanto lhe dava umas festinhas na cabeça e umas beijocas na boca. Quando o meu corpo se encostou ao dela senti uma sensação estranhíssima, parecida com a que tinha sentido quando a abracei, e ela deve ter sentido o mesmo porque a coninha dela de repente sugou-me o que faltava entrar.

Ela estava toda a tremer de prazer e eu fiquei quase a vir-me mesmo sem me mexer. Parece que ficámos ligados à corrente. Como queria que ela experimentasse o que era ser fodida como deve ser, e com tudo a que tinha direito, tive que ficar muito quietinho para não me vir logo ali. A energia que resultava daquela união era de facto muito forte. Com muito jeitinho, lá consegui ir fodendo a Isabel, sempre com paragens estratégicas para não me vir. Se ela estava quietinha, sem dizer nada, sem fazer nada, nem sequer me chupou ou tocou no piço, era estranho eu estar naquele estado. Eu acho que a única explicação era mesmo haver entre nós, condições propícias à troca de energia, como se um de nós fosse o pólo positivo de um íman e outro o negativo.

Quando lhe disse que já não aguentava mais e ía fodê-la até me vir, já ela estava completamente fora dali, e aqueles cinco minutinhos em que me demorei a vir, foram a puta da loucura… Ela parecia que estava a levar choques eléctricos… tremia e gemia, com a respiração completamente descontrolada . Depois de me vir, ficámos os dois a sentir um formigueiro estranho, e percebemos que estávamos os dois dermentes. Adormecemos quase de seguida. Acordei uns 30 minutos depois, ainda ela dormia. Acordei-a com beijinhos, e embora me apetecesse beijá-la na cona, pensei que era melhor não ir por aí, senão ficávamos ali mais umas horas a levar choques eléctricos… hehehehehehehe. Era melhor descansar e repetir noutra altura. Ela acordou com suavidade, e parecia que tinha acabado de nascer, com um olhar muito brilhante e expressivo, e um sorriso de satisfação.

Isabel: - Percebi agora que nunca tinha tido sexo na minha vida.
Eu: - Não penses que é sempre assim, porque eu já tenho quilometros de sexo e também senti coisas bem estranhas. Acho que encaixámos muito melhor do que é normal nestas situações. Não me perguntes porquê porque eu também não te sei responder.
Isabel: - E achas que vou voltar a sentir este prazer com outros homens?
Eu: - Não sei, mas acho que pelo menos já sabes o que é ter prazer, já ficas a saber o que é possível sentir e também acho que se estivermos mais vezes um com o outro, podemos perceber melhor o que aconteceu. Mas acho que sim, que hás-de ter este prazer com outros homens. Ainda és novinha e tens muito para viver. Existem fortes probabilidades de quando estiveres apaixonada, sentires muita intensidade no sexo. Quando amamos alguém, a intensidade do prazer é enorme, e sentimos coisas maravilhosas.

Depois de ela sair, ainda fiquei a tentar perceber o que se passou ali, mas não cheguei a nenhuma conclusão satisfatória. Voltámos a estar juntos mais seis vezes ao longo de três meses, até que a Isabel foi fazer investigação para a Holanda ao abrigo de um protocolo qualquer de intercâmbio entre universidades. As vezes que estivemos juntos foram sempre de uma intensidade espantosa. Era estranho, porque não sendo ela muito dada a mamar, nem desinibida, nem atrevida e muito menos debochada, tudo características que eu aprecio nas mulher, o prazer que sentíamos quando estávamos encaixados e de pele com pele, era de facto muito estranho.

Um fenómeno de difícil compreensão, que a diferença de vinte e cinco anos de idade entre nós, não ajudava a deslindar. A única coisa que deu para perceber, é que a diferença etária não só não afectou o nosso relacionamento sexual, como possivelmente foi uma das causas para a intensidade da atracção que sentimos um pelo outro. O que interessa, é que a rapariga passou a ver o prazer e o sexo de uma forma diferente. A Isabel já acabou o mestrado, e está a namorar com um rapaz que conheceu na universidade. De vez em quando recebo um sms dela com um beijinho, que retribuo com muito carinho.

5.6.10

Conversa 011 Naiara 42 C01

Naiara 42 (23:32): tenho mta vontade de ta contigo
Naiara 42 (23:33): sentir vc me chupar
Naiara 42 (23:34): vc chupa tao gostoso......
Naiara 42 (23:34): ninguem me chupou tao gostoso como vc
xarmus diz (23:34): gostava que fosses muito cachorra... muito depravada... permissiva... e se não for pedir muito... obediente
Naiara 42 (23:35): pode deixar que vou ser
Naiara 42 (23:35): ja to aqui cheia de tesão
Naiara 42 (00:35): faço tudo que vc quiser
xarmus diz (00:35): vais ter que gozar duas vezes.... hehehehehehe
Naiara 42 (00:36): fazendo amor contigo isso é facil
Naiara 42 (00:36): pois vc me da mta tesao

4.6.10

Foto 017

Conversa 010 Paula 39 C01

(21:47) xarmus: olá delicia… tudo bem??
(21:48) Paula 39 : sim mais ou menos
(21:49) xarmus: então?? o que é que não está bem??
(21:49) Paula 39 : tenho q te dar os parabens
(21:50) xarmus: então??
(21:51) Paula 39 : embrulhei.me com o tal rapazinho casado
(21:51) xarmus: e??
(21:51) Paula 39 : e desta vez foi a serio
(21:51) xarmus: ele conseguiu??
(21:51) Paula 39 : ele conseguiu
(21:52) xarmus: boa...
(21:52) Paula 39 : eu fikei a xuxar no dedo
(22:09) xarmus: se não puxas por ele... estás fodida... ou seja... mal fodida
(22:10) Paula 39 : tu conseguiste fazer.me vir 2 vezes
(22:10) xarmus: mas eu sou um querido... e gosto de ti
(22:10) Paula 39 : eu sei
(22:10) xarmus: e a segunda foi bem rapido
(22:10) Paula 39 : ctg sinto.me sempre desejada
(22:10) xarmus: eu desejo-te…
(22:42) xarmus: e como é ele da tamanho?? é XXL?
(22:42) Paula 39 : nem metade
(22:43) Paula 39 : n vi o tamanho dos preservativos mas ficavam largos
(22:43) xarmus: mas deves ter visto o piço...não??
(22:43) Paula 39 : sim claro nao tem nada a haver contigo
(22:43) Paula 39 : metade talvez
(22:44) xarmus: isso tambem é muito pouco...
(22:44) Paula 39 : homem grande picha pekena
(22:44) Paula 39 : nao medi mas sei q nao tem nada a haver com o teu… alias nunca vi ninguem como tu
(22:46) xarmus: pois... sorte a minha
(22:46) xarmus: bem que a minha tia que me dava banho quando eu era pequenino me dizia.... quando fores grande... vais ter as mulheres todas atrás de ti... com uma ferramenta destas
(22:47) xarmus: eu nunca percebi o que é que ela queria dizer com aquilo.. agora entendo… hehehehehehe
(22:47) Paula 39 : pois
(22:47) Paula 39 : eu n quero estar a cuspir no prato q comi
(22:47) Paula 39 : nem quero fazer comparações.. tu és uma pessoa e ele é outra
(22:48) xarmus: claro... somos todos diferentes… e o que conta é o conjunto todo
(22:48) xarmus: e como tu te sentes com cada pessoa
(22:48) Paula 39 : mas tu tens uma postura completamente diferente
(22:48) Paula 39 : e nunca me senti mal ao pe de ti
(22:48) Paula 39 : pelo contrario
(22:49) Paula 39 : sinto.me desejada, mimada e à vontade qb
(22:49) Paula 39 : tendo em conta q és um predador
(22:50) xarmus: sou um predador especial de corrida
(22:50) Paula 39 : és um querido
(22:50) xarmus: eu sou predador porque adoro sexo... mas sou querido para toda a gente que merece a minha confiança
(22:51) Paula 39 : obrigada
(22:51) xarmus: eu gosto de ti.. e sempre te achei uma querida também... e serei sempre teu amigo
(22:51) Paula 39 : eu ja nao tenho duvidas
(22:52) Paula 39 : embora tenha muita pena n poder estar contigo mais vezes
(22:52) xarmus: eu sei... tambem tenho

2.6.10

Foto 016

R003 Diferenças de idade

Mesmo antes de existir net, já havia relacionamentos sexuais entre pessoas com grande diferença de idades, mas os sites de relacionamentos e o anonimato vieram facilitar de uma forma exponencial este tipo de relacionamentos.

Uma miúda com 20 anos dificilmente assumiria uma relação perante a sociedade e amigos, com um homem com idade para ser pai ou avô dela, até porque os gostos, interesses e objectivos de vida são completamente diferentes.

No entanto, para experimentar dar uma queca de forma anónima com um cota charmoso e experiente sexualmente, não só não tem inconvenientes de maior, como pode até ser bastante gratificante. Na net, a procura de pessoas mais velhas por parte de pessoas mais novas, acontece em ambos os sexos.

Eu, com 45 anos, já tive experiências sexuais com raparigas na casa dos 20 anos e Já me embrulhei com mulheres muito mais novas por razões completamente diferentes. Fui procurado por raparigas que já tinham tido experiências sexuais com homens muito mais velhos e que apesar de terem namorados da idade delas, quando querem mesmo ter prazer à séria, escolhem homens mais velhos.

Segundo elas uma grande parte dos rapazes da idade delas, são muito egoístas, não se preocupam em lhes dar prazer e vêm-se muito rápido. Já fui procurado por uma miúda de 22 anos que nunca tinha estado com um homem da minha idade, mas que as amigas lhe tinham dito que os homens mais velhos eram muito melhores, e ela queria experimentar e queria que eu lhe ensinasse a dar prazer a um homem.

Até já me aconteceu conhecer uma rapariga com 25 anos que apesar de ter tido relações sexuais 3 vezes, ainda era virgem, ou seja nunca a conseguiram penetrar até ao fim, e ela queria que eu lhe tratasse do assunto.

Já fui convidado para ter sexo com duas amigas bi, que namoravam uma com a outra, e queriam fazer uma brincadeira a três.

As histórias são muitas, e na impossibilidade de as contar todas em pormenor vou contar algumas aqui no blog, que me foram especialmente prazerosas, engraçadas, ou que de alguma forma contribuam para a compreensão deste fenómeno.

xarmus