Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


20.1.11

D028 Resposta a Comentário

Nos meus passeios pela blogosfera (às vezes lá arranjo tempo para passear), encontrei um post em que uma professora relatava com incredulidade a forma de pensar dos jovens de hoje em relação a certas matérias. Deixei um comentário ao post, que acho que devo publicar aqui, e que nem precisa do post para fazer sentido. É natural que alguns jovens não gostem de ler, mas de facto é uma verdade que constato na maioria dos jovens, e claro, o barrete só serve a quem o enfiar, porque como tudo na vida, nada é uma verdade absoluta, e há jovens e jovens.

Comentário:

Quando éramos mais novos, tínhamos a ideia de que os cotas eram conservadores, e na nossa juventude até talvez fossem, mas chegado eu à idade adulta e para muitos jovens, "cota", reparo com grande espanto que a juventude é maioritariamente imatura, conservadora, retrógrada e preconceituosa, com a agravante de estarem cheios de certezas absolutas.

Para uma grande parte dos jovens, isto está certo e aquilo está errado, e ponto final.. Nada é relativo, nem existem gamas de cinzentos, ou é preto ou é branco. Outra coisa curiosa, é que nem têm a noção de que podem mudar de opinião ao longo da vida. Acham que o que pensam hoje, é o que vão pensar para o resto da vida, e ficam muito ofendidos quando lhes digo: - Mas tu ainda és novinha e vais aprender muito ao longo da vida e que te vai fazer mudar de opinião.

Se eu com a idade e experiencia de vida que tenho, estou aberto e acredito que possa mudar de opinião, faz-me uma confusão imensa que uma jovem de 30 anos me venha dizer que nunca há-de mudar de opinião… mas enfim, como costumo dizer… são jovens, não pensam.

4 comentários:

SomeoneElseNotMe disse...

http://blog.afundasao.com/2011/01/do-amor-segundo-os-meus-alunos-e-nao-so.html?zx=e0412b66b787fe94
foi este o texto q leste? :)
bjs

xarmus disse...

Sim... esse mesmo... beijos

Anónimo disse...

Não posso falar quanto á generalidade dos jovens mas falando na primeira pessoa acho pelo menos alguns jovens pensam. E que não sei bem porque razão têm-se criado uma onda em que todas as pessoas são contra o consumismo, a favor do amor verdadeiro para sempre e a olhar má cara para o divórcio. Se existe divórcio é porque tem que existir e porque nem todos os casamentos dão certo e são para sempre e muito menos as pessoas são obrigadas a estar presas a um casamento que não querem se for esse o caso.
Mas continuando com a linha de pensamento parece que se anda a criar a ideia de que se 'eu' ou a pessoa em questão quiser pudemos salvar o mundo das pessoas más, das coisas más basta querermos pegamos na varinha de condão e plim. E somos felizes para sempre!
Parece que até se esquecem o sitio onde é o chão, a realidade. Ninguém pode salvar o mundo ou whatever porque não há nada para salvar a não ser nós próprios e quem assim o quiser. Não basta querermos que as coisas aconteçam que acabe tudo o que está de mal e falar e dizê-lo com todas as palavras e espalhar. Eu posso dizer o que eu quiser para voce a acreditar mas senão o for de me vale dizê-lo? NADA. Só me engano a mim própria.
Passa-se a mesma coisa connosco não vale nada fazer-mo-nos acreditar que se nós quisermos as coisas mudam, porque as vezes não mudam. Às vezes não há finais felizes e os 'bons' ficam mal e os maus bem - este é o mundo real. Por isso, na minha opinião (só mais uma) o importante é não nos desiludirmos sermos fiéis a nós próprios áquilo que somos e que acreditamos. Traçar objectivos, prioridades - aquilo que o mundo pode cair mas eu morria para salvar e ser fiel a isso.
Ter plena noção que a única verdade é a morte. E que o que é certo hoje amanhã pode não ser. E ainda que me seja orgulhosa e dificil de convencer acredito que sou muito nova, com a mania que sei alguma coisa (lool), sei que ainda tenho muito para aprender, para viver.

Sofia

xarmus disse...

Olá Sofia. Obrigado pelo teu comentário. Eu sei que há jovens que pensam, e ainda bem que assim é, mas constato que infelizemente há jovens que acham que já sabem tudo, e que nunca vão mudar de opinião ao longo da vida.