Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


12.12.11

Foto 371

10 comentários:

Anónimo disse...

É preciso isto tudo para ter um orgasmo?!

Respeito, mas acho que nunca vou compreender...

xarmus disse...

Claro que não. "Isto tudo" é só uma forma de ter prazer, independentemente dos orgasmos. São brincadeiras sexuais, fetiches, o que lhe queiras chamar. Não sei se te referias a mim ou à minha amiga, mas eu acho que posso falar pelos dois. Por mim, eu gosto de dar prazer. O que me dá prazer é dar prazer, e por isso desde que sinta o prazer da minha parceira, eu tenho muito prazer, independentemente da forma de o conseguir. Acho que vale tudo, desde que consentido e desejado pelos dois.

Pela parte dela… eu sei que ela gosta destas brincadeiras, gosta de se entregar ao homem que está com ela, gosta de se sentir dominada, usada e abusada, dentro dos limites dela. Cada pessoa tem os seus. É claro que ela não faz isto com todos os homens com quem está, mas se gostar dele, se gostar da forma como ele a domina, e se ele também gostar destas brincadeiras, estão reunidas as condições para se brincar, seja assim ou de outra forma qualquer.

Tu perguntaste se era preciso isto para se ter um orgasmo… para veres a diferença entre as nossas formas de pensar (a minha e a tua), o orgasmo para mim não é a finalidade do sexo. Dá-me mais prazer todo o percurso até ao orgasmo que propriamente o orgasmo. Para mim, o orgasmo é como um cafezinho no fim de uma excelente refeição. Sabe bem, faz falta para aconchegar a refeição, mas não é o melhor da refeição. Até porque o orgasmo é muito curto, são uns segundos de prazer, e todo o percurso até lá pode durar muitas horas de prazer.

Vou ter que sair… mas talvez volte ao tema para te responder de outra forma. Achei o teu comentário muito interessante e com potencialidade para conhecermos melhor as diferentes formas de pensar em relação a este tema.

Mas tal como tu… respeito todas as diferentes formas de pensar.

Anónimo disse...

Olá meu querido.

Adorei a tua resposta. Confirma-se a função pedagógica do teu blog no combate à iliteracia sexual ...

Beijinho

Anónimo disse...

Inicialmente eu referia-me a ela, porque eu sou uma ela tb. Mas vendo bem as coisas é algo que tb te dá prazer e muito, senão não conseguirias executar essa forma de prazer, acho. Gostaria que ficasse claro que tb eu gosto de submissão e brincadeiras, até porque chega-se a um ponto em que o normal do sexo não dá tesão, certo, mesmo que feito com Amor e Paixão. O que eu acho é que numa escala de 1 a 10, suponhamos, eu provavelmente fico-me por um 3, porque penso que além desse limite, me afectaria psicologicamente. Mas eu só falo por mim. Penso que excesso de dor fisica me bloquearia sexualmente tirando-me o prazer do momento. E quem conhecesse o meu corpo sabe que para mim, nada melhor do que 2 ou 3 orgasmos seguidos, para conclusão. Depende da entrega e do que se recebeu.

xarmus disse...

O comentário do anónimo das 11:44 é da M João 42, que é a senhora que está na foto 371 e na conversa 316. Ela esqueceu-se de assinar o comentário e pediu-me para eu acrescentar, mas como os autores dos blogues não têm acesso a fazer qualquer tipo de alteração aos comentários recebidos, deixo aqui a informação.

xarmus disse...

Olá Anónima das 16:16

Sim, sempre me deu prazer dar prazer, mas em relação à violência física foi uma aprendizagem, já que foi coisa que nunca me deu prazer. Em certa altura da minha vida comecei a conhecer mulheres que gostavam de ser dominadas, abusadas, ou apanharem umas palmadas no rabo, estalos na cara, ou mesmo apanharem com o cinto ou com um chicote, e comecei a ter prazer ao ver o prazer que elas sentiam ao ser castigadas da forma que gostam, seja de forma suave ou de forma mais dura. Sempre me deu prazer dominar, mas nunca me deu prazer provocar dor. Neste momento gosto de provocar dor a quem tem prazer com a dor.

Quanto à escala de 1 a 10, dizes estar no nível 3, e eu digo-te que a M João deve estar no nível 5. Apesar das marcas visíveis na fotografia parecerem de uma grande violência, acredita que não é mesmo. A M João gosta de ser dominada, gosta dos jogos de submissão, gosta de apanhar com o chicote, mas de forma moderada. Não tem prazer na dor intensa.

Tu própria, se um dia vieres o teu rabo ao espelho depois de estares de gatas a ser penetrada por trás e apanhares umas palmadas nas nádegas, ficas chocada com o estado do teu rabo. O chicote, por ter tirinhas fininhas ainda marca mais, mas acredita que não provoca dor em demasia.

Devo dizer-te que já conheci mulheres que na escala de 1 a 10 situam-se nos 8 ou 9 (deixo o 10 para as masoquistas que gostam de sentir os bicos das mamas pregadas numa tábua de madeira a sangrarem), e devo dizer-te que essas mulheres ficam a escorrer da cona a levarem com um cinto ou com um chicote com toda a força que um homem tem e em qualquer parte do corpo, ou seja, são chicoteadas mesmo à séria, sem meiguices nenhumas.

Falando por mim, acho que gosto de ir (e apenas com quem gosta) até ao grau 7 ou 8, mais que isso começa a ser demasiado para mim. E não estou a falar em apanhar, mas em dar… hehehehehe

Anónimo disse...

Nem precisavas de especificar... apanhar não é contigo :)

No entanto consta que há homens por aí, figuras publicas inclusive que procuram a submissão executada por mulheres de chicote na mão, só querem apanhar uma boa tareia e depois ficam prontos para continuar o seu dia.

É no minimo curioso, mas Freud lá terá as suas explicações.

São formas de relaxar e cada um terá as suas.

xarmus disse...

É verdade... também há homens submissos ou escravos que adoram apanhar. haja quem lhes dê. Se forem politicos, devem ser barbaramente castigados... hehehehehe

Anónimo disse...

Também tinha uma ideia negativa da coisa, mas só mesmo tu para me teres feito mudar de ideias...:)
Mas lá está, é preciso saber "até que nível" é k se vai, mas tu tens mãozinhas para isso!!!

Niniche

xarmus disse...

As pessoas quando ouvem falar de apanhar com o cinto, pensam logo em dor e em sacrifício, mas não existe nem uma coisa nem outra.

É uma brincadeira bem prazeroza para os dois, e sem qualquer tipo de dor.