Seduzir com prazer

Ao criar este blogue, a ideia foi partilhar a minha experiência adquirida ao longo de 15 anos de frequência em sites, chats e redes sociais. Teclei, conversei, conheci muitas pessoas e vivi experiências que foram a vertente prática da minha aprendizagem. A net, com a possibilidade de nos relacionarmos anonimamente, veio trazer novas formas de interagirmos uns com os outros.

O objetivo deste blog é, através da partilha, ajudar a que todos nós compreendamos melhor esta nova realidade, e com isso estimular a reflexão de temas como o amor, o sexo e os relacionamentos em geral. Assim, publicarei algumas histórias por mim vividas, reflexões, informação que ache relevante, históricos de conversas, e algumas fotos sensuais de corpos de mulheres com quem troquei prazer e que tive o privilégio de fotografar. Todos os textos e fotos que vou publicando, não estão por ordem cronológica, e podem ter acontecido nos últimos 15 anos ou nos últimos dias. Todas as fotos e conversas publicadas, têm o consentimento dos intervenientes.

As imagens publicadas neste blogue estão protegidas pelo código do direito de autor, não podendo ser copiadas, alteradas, distribuídas ou utilizadas sem autorização expressa do autor.


30.3.11

H019 Coisas que acontecem ( parte IV )

Eu: - E então? Viva?
Ela: - Bem… nem sei que te diga… estava mesmo a precisar disto. Foi mesmo na medida certa. Devo confessar-te que passei um mau bocado, mas o alivio do depois, e sentir o prazer que isto tudo te deu, é uma recompensa maravilhosa. Adorei mesmo. Amanhã estou toda fodida das costas e do cu. Será que me vou conseguir sentar?
Desamarrei-a.
Eu: - Mas tiveste prazer?
Ela: - Muito mesmo. Foi tudo muito bom. Tens jeito para Dom. O antes por saber que vou ser açoitada, o durante… gosto de sentir a dor fina dos açoites, e a calma do depois. Parece que estive a correr horas. E tu és um querido, o meu Dono nunca me tratou assim… esse cremezinho nas costas soube tão bem.
Eu: - Vou buscar um cigarrinho… queres um?
Ela: - Traz.
Eu: - Água?
Ela: - Também.
Eu: - Eu vou foder-te mais, e foder-te a boca também… adoro, mas já não te vou açoitar mais, estás toda marcada e isso tem ar de que vai ficar negro. Fazemos um intervalinho mas depois quero vir-me outra vez.
Ela: - E amanhã de manhã, fodes-me mais?
Eu: - Claro linda, sais daqui com o tratamento completo.
Deitámo-nos a fumar um cigarrinho. Tinha baixado o volume à musica e estava agora muito suave. As velinhas ainda queimavam e a fragrância que largavam era uma delícia.
Ela: - Tenho uma coisa a confessar-te…
Eu: - Diz…
Ela: - Eu não vivo em Lisboa
Eu: - Não te preocupes que eu também não vivo. Hehehehehe
Ela: - Vivo em Leiria.
Olhei para ela…
Eu: - Tens a certeza que vives em Leiria?
É verdade que pouco ando por Leiria, e quando lá estou é apenas casa trabalho e trabalho casa. A minha vida é mais em Lisboa e por outras cidades, mas era estranho nunca ter visto aquela cara.
Ela: - Agora não sei onde vivo… queres ver…
Ela olhou para mim com um ar desconfiado.
Ela: - Não me digas que vives em Leiria?
Eu: - Vivo perto, mas tenho uma empresa em Leiria.
Ela: - Não me digas… foda-se. Eu já digo que vivo em Lisboa para estas coisas não me acontecerem… azar do caralho. Que merda… se te encontro por lá nem sei onde me enfiar. É pá tu não podes contar isto a ninguém… aquilo é um meio pequeno e espalha-se logo.
Eu: - Não posso??? Estava a pensar publicar no jornal de Leiria.
Ela: - Estúpido… vê lá se atinas.
Eu: - E vives para que lados?
Ela : - Na rua **** ******** **** sabes onde é?
Eu: - Ui… isto está a ficar giro. Somos vizinhos e não nos conhecemos.
Ela: - VIZINHOS???? Mas tu disseste que moravas perto de Leiria?
Eu: - E vivo… mas a minha empresa é nessa rua.
Ela: - Brincalhão… estás a gozar… na minha rua nem há empresas, é uma zona habitacional.
Eu: - Não? De certeza?
Ela ficou pensativa… como que a visualizar toda a rua.
Ela: - Que eu saiba, só tem um gabinete de arquitectura quase em frente à minha porta do outro lado da rua.
Eu: - Pois tem… no terceiro andar… né?
Ela ficou branca de repente, e olhou para mim com os olhos esbugalhados
Ela: - Não me digas que trabalhas lá?
Eu: - Não só trabalho como a empresa é minha.
Ela: - TUA ???? Ai que desgraça… só a mim é que me acontecem destas coisas… nem sei como é que te hei-de dizer isto.
O ar de aflição dela, começou a preocupar-me. Havia ali qualquer coisa de muito estranho.
Eu: - Desembucha mulher…
Ela: - Tu não tens um filho chamado André?
Aí é que eu comecei a ficar deveras curioso.
Eu: - Tenho… porquê?
Ela: - É que eu sou a professora de matemática do teu filho.

25 comentários:

bomamigo disse...

BINGO!!!

Kickboy disse...

Boas Xarmus,

Deixa-me confesar-te o seguinte: Estou viciado na leitura do teu blog e nas aventuras que descreves por aqui!! Independentemente da veracidade das mesmas, a forma como escreves está muito boa!! Qualquer dia ainda te peço umas dicas...

Continua forte!

Abraço

Andreia disse...

eheheheh! muito bom :)

Pronto, são mesmo coisas que acontecem:)

Isto continua?

xarmus disse...

Olá bomamigo

Pois... foi mesmo o pior possivel. Mal o meu filhote sabe que a andei a chicotear de cinto a professora dele... mas tudo bem... são mesmo coisas que acontecem, e é uma cena gira para lhe contar quando ele for homem, ou quando eu estiver com os pés para a cova... hehehehehehehe

xarmus disse...

Olá Kickboy

Obrigado pelo teu comentário e pelas tuas visitas... ainda bem que gostas. Todas as histórias que conto aqui são verdade. A ideia foi mesmo essa, contar exactamente como as coisas aconteceram. Ao fim de 10 anos de engates e encontros através da net, acumulei muitas centenas de histórias, alguma delas verdadeiramente caricatas.

Sempre que puder ajudar, fa-lo-ei com muito gosto. Quando precisares de dicas, estás à vontade. Por enquanto ainda são de borla... hehehehehehe. Qualquer dia começo a cobrar.

Se precisares que te afine alguma amiga... podes enviar também... transformo com facilidade um Fiat 600 num BMW M5 Coupé ;)

Continua com essa vontade de aprender, é o melhor caminho para seres um excelente amante, e teres as mulheres que quiseres... e nunca te esqueças... se elas gostarem... voltam.

Abraço

Fruto Proibido disse...

Ai que isto cada vez está melhor! É caso para dizer que estou colada ao ecran!!

Beijinho

xarmus disse...

Olá Andreia

Em princípio não... achei que era um bom final para a história acabar aqui. Claro que o nosso encontro não acabou, e voltei a fodê-la, e fodi-lhe a boca que é uma especialidade minha muito apreciada pelas mulheres, dormimos juntos e de manhã levou outra. Ainda me fartei de brincar com ela... do tipo... quero um 18 para o meu filho senão conto isto lá na escola... disse-lhe que era uma vergonha um pai entregar o seu filho na escola a pensar que é ensinado por gente séria e depois é o que se vê... professoras que para além de foderem com desconhecidos e com os pais dos alunos ... ainda gostam de levar com o cinto... enfim... foi um pagode toda a noite... hehehehehehe

Não estava a pensar continuar... até porque o objectivo da historia era contar este acaso que era dificílimo de acontecer, mas posso pensar no assunto. Mas mais na vertente da conversa que se seguiu do que contar a parte que do sexo.

xarmus disse...

Olá Fruto Proibido

Não te estejas a afiambrar a mais, porque a história acaba aqui. Não tem continuação.

Pode ser que me dê para vos contar o depois... mas o objectivo da história, era mostrar aos leitores que apesar de as pessoas que andam na net no engate, dizerem que são de outra cidade para não apanharem pessoas do local onde moram, podem acontecer destas coisas, ou piores ainda.

Beijocas boas

Fruto Proibido disse...

Ooooh! Mas foi bom à mesma! Fiquei de boca aberta no final.
O objectivo foi cumprido! Podemos desviar tanto os nossos dados, mas de facto quando se promove um encontro acabasse por se descubrir tudo. Parecia telenovela!

*beijinhos

xarmus disse...

Olá Fruto Proibido

Não... são muito mais as vezes que ninguém fica a saber de nada do que casos destes. Mas o facto é que às vezes acontece, felizmente são raros. A mim, além deste aconteceu-me outro parecido. Entrei numa reunião de trabalho com uma cliente, e ela era uma gaja que eu tinha comido uma vez assim mesmo à má fila. Blind date mesmo. Claro que fizemos de conta que não se tinha passado nada, mas são coisas chatas, principalmente para as mulheres que são mais descriminadas por isso, e que ficam logo a pensar... o que é que este gajo fica a pensar de mim.

Beijinho

«_FP_» disse...

espectacular lol...como o mundo é pequeno lolol

abraços

xarmus disse...

É mesmo...

Abraço

Mariluu disse...

Olá Olá!!
Já cá faltava o meu comentário mordaz :D

Vá mas gostei da história :)

Moral da história: O teu filho vai ter sempre boa nota à disciplina de matemática enquanto ela for a docente dele!

E eu que pensei que fosse algo como o incesto!!

xarmus disse...

Olá Mariluu

Eu gosto dos teu comentários... mesmo que mordazes.

Incesto nunca me aconteceu, mas já me aconteceu depois de esfodaçar uma querida de 32 anos, chegarmos à conclusão de que há 20 anos atrás... eu tinha sido professor dela. Eu tinha 24 e ela 12 aninhos.

O Rapaz! disse...

lol adorei.. e a ultima parte é hilariante xD

xarmus disse...

Olá O Rapaz... são mesmo coisas que acontecem.

Abraço

Anónimo disse...

poxa é caso para dizer todo o cuidado é pouco ainda que anónimos...

abraço

Anónimo disse...

Bem, esta é genial, o que me ri :)
É preciso "azar" e na mesma rua :, muito bom!:)
A história do "Fast food" também tem montes de piada mas esta tem muito mais "sabor" :)

beijinhos

Isabel

xarmus disse...

Olá Isabel... o mundo é mesmo pequeno.

São histórias diferentes. Enquanto o fast food mostra a rapidez com que se pode encontrar bom sexo na net, a outra, mostra como apesar de todos os cuidados, podemos dar de caras com pessoas próximas.

beijos

Eva Lua disse...

Que história deliciosa :) é preciso ter sorte...hahahahaha bjokas

xarmus disse...

Olá Eva Lua... ou azar, depende do ponto de vista.

Beijo

PD disse...

Espectacular.

Depois disto, castigas a professorinha quando queres...

xarmus disse...

Olá PD

Isto já aconteceu há uns aninhos e nunca mais voltei a vê-la, mas passado uns anos ainda via o carro dela estacionado à porta da minha empresa.

Abraço

Lady Bug disse...

Espectáculo!!!
Adorei ler!!!

xarmus disse...

Olá Lady Bug... Obrigado pela visita e pelo comentário.